Questão: Crash de 1929 e Crise de 2009

Home » Questões » Questão: Crash de 1929 e Crise de 2009

Na prova do Enem 2012, tente resolver esta questão sobre a relação entre a crise de 1929, decorrente da queda da bolsa de Nova York, e a recente crise econômica de 2009 nos EUA. A resolução está logo abaixo da questão, com comentários e habilidades cobradas na prova.

Enem-Crise-Financeira-1929-2009

Para ter mais informações sobre este exame nacional, fique atualizado nas notícias sobre o Enem.

TEXTO I

A Europa entrou em estado de exceção, personificado por obscuras forças econômicas sem rosto ou localização física conhecida que não prestam contas a ninguém e se espalham pelo globo por meio de milhões de transações diárias no ciberespaço.
(ROSSI, C. Nem fim do mundo nem mundo novo. Folha de S.Paulo, 11 dez. 2011 (adaptado).

TEXTO II
Estamos imersos numa crise financeira como nunca tínhamos visto desde a Grande Depressão iniciada em 1929 nos Estados Unidos.
(Entrevista de George Soros. Disponível em: www.nybooks.com. Acesso em: 17 ago. 2011 (adaptado).

A comparação entre os significados da atual crise econômica e do crash de 1929 oculta a principal diferença
entre essas duas crises, pois

a) o crash da Bolsa em 1929 adveio do envolvimento dos EUA na I Guerra Mundial e a atual crise é o resultado dos gastos militares desse país nas guerras do Afeganistão e Iraque.
b) a crise de 1929 ocorreu devido a um quadro de superprodução industrial nos EUA e a atual crise resultou da especulação financeira e da expansão desmedida do crédito bancário.
c) a crise de 1929 foi o resultado da concorrência dos países europeus reconstruídos após a I Guerra e a atual crise se associa à emergência dos BRICS como novos concorrentes econômicos.
d) o crash da Bolsa em 1929 resultou do excesso de proteções ao setor produtivo estadunidense e a atual crise tem origem na internacionalização das empresas e no avanço da política de livre mercado.
e) a crise de 1929 decorreu da política intervencionista norte-americana sobre o sistema de comércio mundial e a atual crise resultou do excesso de regulação do governo desse país sobre o sistema monetário.

[toggle title=”Confira a resolução ;)”]

Resposta: B

Habilidade: Analisar a ação dos estados nacionais no que se refere à dinâmica dos fluxos populacionais e no enfrentamento de problemas de ordem econômico-social.

Comentários: A crise de 1929 nasceu da superprodução e, consequentemente, da deflação na economia norte-americana. Originou-se em meio ao capitalismo liberal e se propagou mundialmente. Já a recente crise de 2009 também originou-se nos EUA, em consequência dos efeitos da desregulamentação dos mercados adotada pelas medidas neoliberais no final do século XX.

[/toggle]

By | 2014-02-15T09:26:25+00:00 20 de Fevereiro de 2014|Categories: Questões|Tags: , , , , |4 Comments

About the Author:

Professor, historiador e blogueiro, já trabalhei em algumas das maiores escolas públicas e particulares de Santa Catarina. Comecei a lecionar em 2001, sempre preocupado com um ensino caracterizado pela criatividade e inserção de novas tecnologias e metodologias variadas em sala de aula.

4 Comments

  1. Klaus do Iate 20 de Fevereiro de 2014 at 12:17

    Mas prof, mas que uma crise de superprodução, a Crise de 29 não foi uma crise de subconsumo? Ha uma pequena diferença nisto.
    Passando de um polo a outro. Todos se ferraram em 29, exceto Italia fascista e URSS, por isto, a crise fez com que muitos simpatizassem com Estados totalitários.
    Os que mais se ferraram foram a Alemanha, o Terceiro Mundo e os EUA.
    Quanto a crise de 2007-2009 ela começa porque houve um consumo artificialmente aumentado nos EUA, que motivou uma quebra do mercado imobiliario americano, que arrastou todos os outros setores da economia, os bancos, nao conseguindo cobrar seus creditos, se endividaram e começaram a transportar bilhoes de dolares pelo mundo na velocidade de segundos pela internet, e governo nenhum conseguiu cobrar dividas deles.

  2. lucas 21 de Fevereiro de 2014 at 10:58

    A crise de 2009 foi grave não há dúvidas sobre isso, mas igual a de 1929…acho difícil e espero que nenhuma crise se iguale a aquela! E também penso que com a tecnologia e todo o conhecimento economico acumulado pelas nações atraves dos tempos dificulte uma possível crise a la 1929…

  3. Klaus do Iate 23 de Fevereiro de 2014 at 16:10

    Concordo com o Lucas. As crises de consumo parecem ser inerentes ao capitalismo, o misterioso, pelo menos para mim são as recuperações do consumo. Ha um estudioso russo não-marxista cujo nome mais tarde postarei, que estudou as recuperações a fundo e ACHA que as recuperações geralmente se dão com algum avanço tecnologico. No caso da grande crise de 29, qual seria este avanço? Só vejo para época novas posturas políticas (no caso, mesmo nos paises capitalistas “democraticos” se aceitou algum grau de planificação estatal da economia em nome de um Estado do Bem-estar social, enquanto outros paises apelaram para o totalitarismo escancarado). Já a saída da grande crise de 1973 relacionada ao petroleo, pode realmente ter sido a ascenção dos microcomputadores, especialmente depois que a Internet deixou de ser de uso exclusivo das forças armadas americanas. Ainda estávamos vivendo deste empurrão, quando veio a crise de 2007-2009, quando de novo se aceitou, dentro do coração do capitalismo uma intromissão estatal (desta vez para “salvar” bancos).

  4. ANDRÉ 14 de Maio de 2014 at 11:06

    Klaus, A Itália se ferrou em 29 sim, como muitos países! Primeiro, ela ainda não era fascista, pois Mussolini ainda não tinha assumido. Os Italianos tinham relações comerciais com os EUA, até porque tinham uma boa relação, pois atuaram juntos na primeira guerra. O único que não sofreu os danos foi a União Soviética, de Stalin.

Leave A Comment