Home/Questões/Questão: Elites na Independência do Brasil

Questão: Elites na Independência do Brasil

setembro 20th, 2012|Questões|2 Comments


Na prova do Enem 2011, tente resolver esta questão sobre a forma como a elite nacional brasileira conduziu o processo de Independência visando criar um Estado que estivesse de acordo com seus interesses. A resolução está logo abaixo da questão, com comentários e habilidades cobradas na prova.

Revolta de escravos no Haiti

Para ter mais informações sobre este exame nacional, fique atualizado nas notícias sobre o Enem.

Esta questão trata do processo de independência brasileira no Primeiro Reinado. Para conhecer mais a fundo o que ocorreu no período e como se construiu a nova nação, leia o resumo sobre o Primeiro Reinado.

Questão

Questão 35

No clima das ideias que se seguiram à revolta de São Domingos, o descobrimento de planos para um levante armado dos artífices mulatos na Bahia, no ano de 1798, teve impacto muito especial; esses planos demonstravam aquilo que os brancos conscientes tinham já começado a compreender: as ideias de igualdade social estavam a propagar-se numa sociedade em que só um terço da população era de brancos e iriam inevitavelmente ser interpretados em termos raciais.
MAXWELL, K. Condicionalismos da Independência do Brasil. In: SILVA, M. N. (coord.) O Império luso-brasileiro, 1750-1822. Lisboa: Estampa, 1966.

O temor do radicalismo da luta negra no Haiti e das propostas das lideranças populares da Conjuração Baiana (1798) levaram setores da elite colonial brasileira e novas posturas diante das reivindicações populares. No período da Independência, parte da elite participou ativamente do processo, no intuito de

a) instalar um partido nacional, sob sua liderança, garantindo participação controlada dos afro-brasileiros e inibindo novas rebeliões de negros.
b) atender aos clamores apresentados no movimento baiano, de modo a inviabilizar novas rebeliões, garantindo o controle da situação.
c) firmar alianças com as lideranças escravas, permitindo a promoção de mudanças exigidas pelo povo sem a profundidade proposta inicialmente.
d) impedir que o povo conferisse ao movimento um teor libertário, o que terminaria por prejudicar seus interesses e seu projeto de nação.
e) rebelar-se contra as representações metropolitanas, isolando politicamente o Príncipe Regente, instalando um governo conservador para controlar o povo.

[toggle title=”Confira a resolução ;)”]

Resposta: D

Habilidade: Analisar a atuação dos movimentos sociais que contribuíram para mudanças ou rupturas em processos de disputa pelo poder.

Comentários: Esta questão aborda uma característica comum a outros processos de independência latino-americanas: o fato de que, com exceção da revolta de escravos no Haiti, as independências foram organizadas pela elite – geralmente branca – com o objetivo de construir um Estado de acordo com os seus interesses. Leia resumo sobre o Primeiro Reinado.

[/toggle]

2 Comments

  1. klaus do iate 20 de setembro de 2012 at 11:43 - Reply

    A independencia do Haiti foi um processo caotico, nao por ter sido liderada por elementos populares, mas porque envolveu rivalidade coloniais franco-espanholas, um papel dubio dos EUA ( que queriam manter seu lucrativo comercio triangular, mas tinham medo que o exemplo fosse seguido por escravos de suas pantations no Sul) e ainda tinha a heistação de Napoleao que nao sabia se investia na America com tanta luta na Europa e nao sabia se principios revolucionarios de direitos humanos deveria incluir todos). Como na nossa balaiada, os lideres hatianos se dividiam tb.

  2. Klaus do Iate 4 de junho de 2013 at 11:23 - Reply

    O conservadorismo permeia todo processo de independência do Brasil. Pois tratava-se de uma estranha briga entre um governo parlamentarista portugues com ideias iluministas , MAS ainda colonialista CONTRA uma força colonial absolutista porque aqui era a efetiva metropole do imperio portugues enquanto a familia real morou aqui. Daí a formação de uma monarquia ao inves de uma republica tipica como no resto da America Latina. Esta força era respalda pelas elites regionais escravocratas. As elites regionais que fecharam com o lado colonialista OU as forças populares pro-independencia , mas que pediam mudanças mais significativas foram IGUALMENTE esmagadas pela aliança familia real-escravocratas. Por outro lado, o pais manteve-se coeso, como nenhum outro da America Latina. Bolivar temia o Brasil, que era monarquia e conseguiu o que ele não conseguiu. O Mexico tb teve um surto monarquista, alimentado pelo exterior e olhado com muita desconfiança pelos EUA.
    Apesar da participação de setores iluministas (maçons), a Independência foi reacionária. Ela, a Proclamação da Republica e mesmo a Abolição da Escravidão da forma como foram feitas no Brasil, foram feitas de modo a manter no poder quem já estava.
    Talvez este seja o segredo da estabilidade política brasileira, as mudanças que vem pra ficar são feitas muito vagarosamente, Revoluções não colam. Não se pode dizer que a sociedade brasileira fede a podre, porque cadáveres estão mudando, fervilham de vida, somos mais próximos a múmias para as coisas realmente importantes. Só mudamos nos detalhes.

Leave A Comment

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.