Home/Resumos/Resumo: Império Bizantino

Resumo: Império Bizantino

julho 15th, 2011|Resumos|30 Comments


Neste resumo, você vai aprender sobre o Império Bizantino, a formação do Império Romano do Oriente, aspectos políticos, sociais, culturais e sua desintegração. Ao terminar de ler o conteúdo, faça o quiz e teste seus conhecimentos.

  • Quiz sobre o Império Bizantino: Teste seus conhecimentos sobre este assunto com o quiz. Aprenda os principais conceitos desta aula e fique fera para provas, vestibulares e concursos.
Resumo-Imperio-Bizantino-I

Clique na imagem para ampliar

Resumo-Imperio-Bizantino-II

Clique na imagem para ampliar

Resumo-Imperio-Bizantino-III

Clique na imagem para ampliar

Resumo-Imperio-Bizantino-IV

Clique na imagem para ampliar

Resumo-Imperio-Bizantino-V

Clique na imagem para ampliar

Resumo-Imperio-Bizantino-VI

Clique na imagem para ampliar

Resumo-Imperio-Bizantino-VII

Clique na imagem para ampliar

Resumo-Imperio-Bizantino-VIII

Clique na imagem para ampliar

30 Comments

  1. Roberto de Lucas 17 de abril de 2012 at 15:47 - Reply

    Michel, na página 4; não eram eles que exportavam os objetos mencionados no primeiro parágrafo?

    • Michel Goulart 17 de abril de 2012 at 16:30 - Reply

      Considerando-se o papiro, era importando, provavelmente, da região do Egito.

  2. anonimo 12 de novembro de 2012 at 8:48 - Reply

    não vejo nada

  3. Klaus do iate 12 de janeiro de 2013 at 23:40 - Reply

    Roberto deve ter confundido o fluxo de produtos importados e exportados por Constantinopla, com as exportações e importações do imperio como um todo. O império romano oriental antes da mrote de Heraclion como um todo era autosuficiente e importava apenas seda chinesa. Houve varias tentativas malogradas de se contrabandear o segredo da produção de seda, até monges nestorianos conseguiram trazer bambus ocos preenchidos com folhas de amora e alguns ovos de bicho da seda para a Europa.

  4. Klaus do iate 12 de janeiro de 2013 at 23:42 - Reply

    Mesmo depois da perda de importantes provincias (Siria-Paelestina , Egito e restante do norte da Africa), o chamado Medio Imperio Bizantino ainda era uma potencia militar , compacta (restrita a Balkans, Anatolia, ilhas gregas e enclaves italianos) capaz de barrar o avanço do Califado, dos bulgaros e de piratas russos e normandos.

  5. Klaus do iate 12 de janeiro de 2013 at 23:44 - Reply

    Mas o imperio tinha inimigos internos também. A questao agraria nunca foi bem resolvida e latifundiarios as vezes usurpavam o trono após guerra civil contra governo central.

  6. Klaus do iate 12 de janeiro de 2013 at 23:48 - Reply

    No Alto ou Antigo ou Primitivo Imperio Bizantino, os choques entre catolicos ortodoxos gregos e monofisitas geraram crises importantes porque alguns imperadores eram orotodoxos outros eram monofisitas. E as disputas relgiosas ainda se confundiam com as torcidas organizadas dos times de bigas que corriam no Hipodromion. Pelo menos as derrotas para o Califado trouxeram fim a este tipo de crise , já que as sedes monofisitas ficaram quase todas nos territorios perdidos para os islamicos, e o pensamento religioso dentro do que restou do imperio , ficou mais homogeneo.

  7. Klaus do iate 12 de janeiro de 2013 at 23:49 - Reply

    As grandes dividas da Europa Ocidental com o Imperio Bizantino foram A) Ele ter repelido invasoes serias e B) Ele ter preservado muito conhecimento greco-romano

  8. Klaus do iate 12 de janeiro de 2013 at 23:51 - Reply

    Ingratamente a Igreja Catolica Romana e a Europa ocidental, trataram o imperio muito mal. A Quarta Cruzada ao inves de reforçar as posiçoes cristãs na Terra Santa e tomar o Egito dos islamicos, foi esquartejar o imperio bizantino.

  9. Klaus do iate 12 de janeiro de 2013 at 23:54 - Reply

    Ao contrario da Europa Ocidental onde houve uma disputa por poder temporal entre o imperador/reis e o papa; no imperio bizantino ficava claro que o imperador mandava no chefe da Igreja catolica ortodoxa grega, continuando a ideia original do imperador romano Constantino. Este regime era por isto chamado de cesaropapismo.

  10. Klaus do iate 13 de janeiro de 2013 at 0:00 - Reply

    O imperio bizantino apos a 4a cruzada se recuperou muito mal e “ficou dependendo dos jogos de outros para sobreviver”. O imperio foi aliviado por mongois e por Timur Lenk. Mas em 1453, o imperio dos turcos otomanos, ameaçando reunificar todo Islam, invadiu a Europa e cercou Cosntatinopolis. A última chance era de novo pedir ajuda a Cristandade Ocidental. Mas entao o Primeiro Cisma da Cristandade já havia acumulado muita magoa dos dois lados e nenhhum entendimento serio foi possivel a tempo. A conquista de Constantinopla pelos otomanos foi um importante estimulo a expansão atlântica dos europeus ocidentais.

  11. Klaus do iate 13 de janeiro de 2013 at 0:05 - Reply

    O Primeiro Cisma da Cristandade foi causado, doutrinariamente, por um detalhe bobo no Credo, mais pragmaticamente foi causado pelo cesaropapismo que os papas de Roma jamais aceitaram e foi perpetuado pela 4a cruzada que os bizantinos jamais esqueceram. O Segundo Cisma da Cristandade foi o papado de Avignon que foi uma tentativa do rei francês de estabelecer o cesaropapismo no Ocidente. E o Terceiro Cisma foi a Reforma Protestante.

  12. Klaus do iate 13 de janeiro de 2013 at 0:10 - Reply

    A ideologia do cesaropapismo bizantino também desencadeava desconfiança dos reis europeus ocidentais. Mas os bizantinos bem que souberam engolir que seu imperio romano fosse um imperio romano sem Roma. O que os bizantinos não puderam engolir foi a conversão dos bulgaros ao cristianismo orotodoxo grego. Ao inves de reduzir os choques entre bulgaros e bizantinos, a conversão transformaria o cã bulgaro em outro basileu capaz de dar ordens ao patriarca de Cosntatinopolis e se entitular Vigario (substituto) de Cristo. Isto, os imperadores bizantinos nao tolerariam.

  13. Klaus do iate 13 de janeiro de 2013 at 0:12 - Reply

    O esmagamento final da Bulgária foi conseguido após guerras muito sangrentas, mas isto também diminuiu a resistência aos normandos, turcos seldjuk e aos problemas internos agrarios. Em torno de 1100, o imperio entra na fase baixa ou tardia, implorando ajuda a Europa ocidental pela primeira vez.

  14. Klaus do iate 13 de janeiro de 2013 at 0:15 - Reply

    E este pedido de ajuda do imperador bizantino junto com a guerra entre papas e imperadores alemães que causam a 1a Cruzada.

  15. Klaus do Iate 12 de março de 2013 at 12:09 - Reply

    Acuda-me, Michel. Meu filhinho de 11 anos vai fazer prova a respeito das civilizações islamica e bizantina semana que vem. Ha videogames que o ajudem. O cara gosta de games , mas nao gosta muito de historia…

  16. Klaus do Iate 12 de março de 2013 at 12:10 - Reply

    Era uma pergunta: Ha videogames sobre bizantinos e islamicos sem ser Age of Empire, com uma boa didatica de Hsitoria?

    • Michel Goulart 12 de março de 2013 at 15:44 - Reply

      Klaus, vou dar uma olhada. mas acho que o interesse dele deve ser estimulado de outras formas.

  17. Klaus do iate 13 de março de 2013 at 8:48 - Reply

    Qualquer forma tá bom. Topo qualquer coisa. Já diria Maquiavel

  18. Klaus do Iate 27 de março de 2013 at 9:32 - Reply

    Foi feito. Alea jacta est. o cara fez prova anteontem disso tudo. Já tinha mostrado teus resumos do HD e os quizz. Ele tem um probleminha. Tenta resolver tudo de cabeça depois não checa nas fontes que tem onde ou porque errou. As vezes acho que a geração internet não quer se aprofundar em nada , nem em namoros. Ficam com uma gama de conhecimentos razoavelmente extensa, mas não intensa, profunda. Até aí tudo bem, mas não se disciplinam para aprender a aprender.lembra do tópico dos 4 mitos a respeito de aprendizagem? Que você discutiu aqui. Aquilo foi excelente. calou fundo em mim. Mas não neles. A minha menina de 15 anos tb. Está ha 2 anos do ENEM. Ela já é bem disciplinada, mas não intensifica coisa alguma.

  19. Klaus do Iate 27 de março de 2013 at 9:34 - Reply

    Outro dia googlei com ELE o termo navio-tumbeiro veio como primeiro link uma banda de rock progressivo gaúcha. Se o sujeito é virgem total no assunto iria linkar errado.

  20. Amanda 13 de abril de 2013 at 17:12 - Reply

    Isso sim é um conteúdo

  21. Klaus do Iate 14 de dezembro de 2013 at 11:18 - Reply

    Estive lendo um livro do Peter Heather, onde ele diz que o seculo VII foi QUASE tão terrivel para romanos orientais (bizantinos) quanto seculo V foi para romanos ocidentais e que Império bizantino foi pouco mais que que um Estado-tampão, considerado um Estado vassalo rebelde pelo Califado Único (omiadas e abassidas). Um poder secundário, nada como ” o escudo do Ocidente”. É certo que bizantinos tiveram que se reinventar quando perderam suas provincias mais ricas (Africa, Egito e Síria), mas no seculo X chegaram até a retomar alguns territorios do Islam. A crise de 1204 (Quarta Cruzada mudou de objetivo de retomar Jerusalem para tomar Constantinopla) foi muito mais séria, não? Na crise do seculo VII, o imperador retomou algumas propostas da Reforma Agraria dos Gracos! O novo sistema defensivo tinha implicações sociais e deu tão certo que, paradoxalmente, seu sucesso acabou gerando atritos entre o imperador, os latifundiarios da Anatolia e os minifundiários. A pergunta é entre seculo VII e X, o império bizantino era tão impotente assim quanto fala Heather?

  22. Leticia 24 de maio de 2015 at 19:37 - Reply

    O que foi o Cisma do Oriente ?

    • Michel Goulart 25 de maio de 2015 at 17:36 - Reply

      A separação da Igreja Católica no Oriente da autoridade do papa romano. Foi criada a Igreja Ortodoxa.

  23. Leticia 24 de maio de 2015 at 19:38 - Reply

    No governo de Justiniano eram condenadas as práticas de iconoclastia e monofisismo ?

    • Michel Goulart 25 de maio de 2015 at 17:36 - Reply

      Em boa parte da história do Império Bizantino, estas práticas eram condenadas.

  24. Klaus do Iate 29 de agosto de 2016 at 16:33 - Reply

    Cisma do Oriente tb chamado de Primeiro Cisma da Cristandade foi causado por um detalhe bobo no Credo, uma prece cristã catolica, mas mais pragmaticamente foi causado pelo cesaropapismo que os papas de Roma jamais aceitaram e foi perpetuado pela 4a cruzada que os bizantinos jamais esqueceram.
    O detalhe bobo era: Credo para os papistas ocidentais:…Creio no Espírito Santo,
    Senhor que dá a vida,
    e procede do Pai E DO FILHO.. Credo para os imperiais de Constatinopla: …Creio no Espírito Santo,Senhor que dá a vida,
    e procede do Pai.

Leave A Comment

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.