Home/Resumos/Resumo: Império Islâmico

Resumo: Império Islâmico

junho 30th, 2011|Resumos|21 Comments


Neste resumo, você vai aprender sobre a vida dos antigos árabes, o surgimento do islamismo com Maomé, a expansão pelo mundo, aspectos políticos, sociais, culturais. Ao terminar de ler o conteúdo, faça o quiz e teste seus conhecimentos.

  • Quiz sobre o Império Islâmico: Teste seus conhecimentos sobre este assunto com o quiz. Aprenda os principais conceitos desta aula e fique fera para provas, vestibulares e concursos.
Resumo-Imperio-Arabe-I

Clique na imagem para ampliar

  • Questão: Islamismo e Judaísmo: tente resolver esta questão sobre aspectos de ordem cultural e histórica que unem o islamismo e o judaísmo, duas das maiores religiões da atualidade.
Resumo-Imperio-Arabe-II

Clique na imagem para ampliar

Resumo-Imperio-Arabe-III

Clique na imagem para ampliar

  • Teleaula: A expansão dos árabes: Você vai testemunhar a importância que tiveram, para a humanidade, os viajantes árabes e mouros. Vai entender como foi a expansão dos árabes.
  • Teleaula: Império Muçulmano: Você verá como o império muçulmano começou sua expansão na Península Arábica, onde a religião do Islã foi revelada ao profeta Maomé.
Resumo-Imperio-Arabe-IV

Clique na imagem para ampliar

Resumo-Imperio-Arabe-V

Clique na imagem para ampliar

Resumo-Imperio-Arabe-VI

Clique na imagem para ampliar

21 Comments

  1. luana 14 de Maio de 2012 at 8:02 - Reply

    parabens

  2. João Vicente 24 de Maio de 2012 at 13:52 - Reply

    Mto bom prof adorei!!!Saudade

  3. bruna 29 de Maio de 2012 at 17:03 - Reply

    adorei esse site e super legal!!!

  4. rebeca 10 de outubro de 2012 at 14:42 - Reply

    nn encontrei o q qria… q pena

  5. camila cruz 11 de Março de 2013 at 16:28 - Reply

    Tenho grande dificuldade em história, mas me interesso muito pela matéria! Adorei, me ajudou muito. Os exercícios também foram de bom proveito! 🙂

  6. Klaus do Iate 12 de Março de 2013 at 11:14 - Reply

    Koran ou al-koran deixa claro que ha DUAS djihad uma interna, mais importante, a guerra de você contra você. Outra externa, que seria necessária levar a palavra verdadeira de Alah aos outros povos, para então cada um poder inciar a sua guerra interna individual (obedincia^=Islam a Deus=Alah contra obediencia ao Ego). Na verdade, a obediencia ao Ego comandou a expansao militar da djihad externa.

  7. Klaus do Iate 12 de Março de 2013 at 11:21 - Reply

    Com a duvida que pairou sobre a escolha dos sucessores de Maomé entre se deveria ser da familia biologica do Profeta ou apenas um seguidor a risca do Koran o que teoricamente abriria as portas do califado até para nao-arabes que se submetessem corretamente a Deus, houve um racha entre os islâmicos. Ali sob o ponto de vista familiar ou de fidelidade a doutrina deveria ser o califa ,mas foi morto, criando o Partido de Ali (shiitAli) e o surgimento de uma terceira djihad, nao prevista pelo Koran de islamico contra islamico. O partido de Ali era/é minoritario, mas crendo que a justiça de sua causa (obediencia a Deus) está acima de seus meios, e que Ali foi injustiçado, compatibilizou o uso de terrorismo, magnicidio como desenvolvido por seitas xiitas medievais (Assassinos) e outras atuais. Os sunitas dando credito a tradições contidas na Suna apesar disso também enverederam para métodos violentos desde que contivessem os xiitas.

  8. Klaus do Iate 12 de Março de 2013 at 11:30 - Reply

    No inicio do Islam, o próprio Islam foi mantido apanágio da nação árabe, isto não estava previsto no Koran com sua mensagem proselitista e missionaria, porque quem fosse islâmico não poderia ser escravizado e nem sobretaxado.Daí a relativa tolerância relgiosa para com os conquistados. Isto caiu rápido por terra, com mudança da capital para Damasco e com as dinastias de califas (alguns de nacionalidade síria ou persa e após fim do califado Único, turcos e outros) e com a obrigatoriedade da lingua arabe apenas na liturgia do Koran. A permissão para povos conquistados continuar suas relgioes ancestrais permaneceu entao apenas para cristãos e judeus, reconhecendo que Alah tb falou pela boca de profeta menores de Adão, Abraão e mesmo Jesus (chamado Issa no Koran), eles são respeitados como Povos do Livro, mas pagam imposto extra por isto.
    Não pagar imposto foi um grande estimulo conversor, as exigências espirituais menos duras, mais factíveis e as promessas de prêmio materialistas na pós-morte foram outros estímulos para conversão em massa ao Islam que permaneceu após desintegração do califado e mesmo hoje em dia..

  9. Klaus do Iate 12 de Março de 2013 at 11:36 - Reply

    No inicio do Islam, o próprio Islam foi mantido apanágio da nação árabe, isto não estava previsto no Koran com sua mensagem proselitista e missionaria, porque quem fosse islâmico não poderia ser escravizado e nem sobretaxado.Daí a relativa tolerância relgiosa para com os conquistados. Isto caiu rápido por terra, com mudança da capital para Damasco e com as dinastias de califas (alguns de nacionalidade síria ou persa e após fim do califado Único, turcos e outros) e com a obrigatoriedade da lingua arabe apenas na liturgia do Koran. A permissão para povos conquistados continuar suas relgioes ancestrais permaneceu entao apenas para cristãos e judeus, reconhecendo que Alah tb falou pela boca de profeta menores de Adão, Abraão e mesmo Jesus (chamado Issa no Koran), eles são respeitados como Povos do Livro, mas pagam imposto extra por isto.
    Não pagar imposto foi um grande estimulo conversor, as exigências espirituais menos duras, mais factíveis e as promessas de prêmio materialistas na pós-morte foram outros estímulos para conversão em massa ao Islam que permaneceu após desintegração do califado e mesmo hoje em dia. A permissão a poliginia (islâmico pode casar até com 4 mulheres segundo Koran) é uma consequência da djihad externa. No esforço para converter os nao-islâmicos, muitos homens saudáveis jovens morreriam, o que causava uma seria desproporção entre homens e mulheres islâmicos. Então para que estas jovens não caíssem em prostituição ou concubinato e crendo que um homem era necessário para proteger qualquer mulher, permitiu-se a poliginia, condenada pelas outras religiões abrâmicas na época de Maomé.

  10. Klaus do Iate 12 de Março de 2013 at 11:45 - Reply

    Acreditando fortemente na onipotência de Alah, cada vitória militar do Islam seria uma aprovação viva da vontade de Alah a iniciativa. Cada vitória então aumentava a motivação dos humanos islâmicos e as chances de vitória. Porem cada derrota tb seria uma desaprovação de Deus. A expansão do Califado Unico foi então parada em três momentos e locais:1) Na França, pelos merovingios de Carlos, a Marreta
    2) Na Anatolia, pela teimosa resistência bizantina, que mesmo tendo perdido suas melhores provincias , também tinha sua motivação religiosa no melhor estilo precursor de Cruzadas 3) Na Asia Central onde chocando-se com expansionismo da China Tang, houve um empate tecnico .
    O nascimento do xiismo foi precoce ,mas nao ameaçou prontamente a unidade interna do Califado, mas o golpe de estado que pôs os descendentes de Abass, parente de Maomé com nao-arabes persas, retirando o poder dos Umayads,sim. Ela representou uma troca de dinastia PARCIALMENTE bem-sucedida, pos na distante Al-Andalus (Espanha Islâmica) , os Umayads permaneceram no poder. Novamente a crença na onipotencia de Alah freiou choques entre Abassidas e Omiadas.

  11. Klaus do Iate 12 de Março de 2013 at 11:54 - Reply

    Os dois Califados ainda foram mais subdivididos,sofreria invasoes turcas e mongois, antes de se juntar em 4Estados islâmicos no seculo XV:1) Imperio Otomano, com etnia dominante turca e seita sunita 2) Imperio do Egito Islâmico,com etnia dominante arabe e casta militar turca e curda, só formalmente ligado ao Califa de Bagdá e oscilando entre xiitas e sunitas 3) Imperio Safavi do Iran, com etnia dominante persa e seita xiita 4) Imperio Timurida ou Mugal, que unficaria polticamente a India, formado por uma casta militar turca islamica governando uma massa hinduista numerosa.
    O imperio Otomano ficaria mais poderoso que o imperio bizantino no seu auge. Manteria minorias religiosas e etnicas como orgãos administrativos paralelos as administrações provincianas, tentando ao maximo controlar nacionalismos e continuar avançando sobre a Europa.

  12. Klaus do Iate 12 de Março de 2013 at 12:04 - Reply

    Curiosamente o fim de Estados islâmicos como o Califado e dos 4 impérios mencionados não reduziu o numero de adeptos ou os territórios islâmicos, pelo contrario. ,
    A expansão da religião islâmica aumentou,mesmo com o fim de Estados islamicos ou a ocidentalização da visão islâmica de mundo. É hoje a religião que mais cresce em numero de seguidores. mas ainda predomina em territórios áridos e semiáridos, com má distribuição de renda e educação. As areas islamicas na Idade Media eram as de melhor alfabetização, uma exigencia para ler o Koran. A descoberta de petroleo em areas islamicas aumentou o poder politico de suas elites, muitas comprometidas com os poderes ocidentais consumidores do petroleo.

  13. Isadora 12 de setembro de 2013 at 10:32 - Reply

    Adoreii Professor, Ta umaa Maravilhaa, aprendi muita oisa e isso era tudoo o que eu queriiaa ! Obrigada !! ;D

  14. juliana barreto 24 de outubro de 2013 at 15:01 - Reply

    concordo Bruna também amei esse site é super legal.

  15. juliana barreto 24 de outubro de 2013 at 15:03 - Reply

    que pena mesmo Rebeca se eu puder te ajuudar entrs e comenta vou ta esperando

  16. Carol 9 de Abril de 2015 at 17:42 - Reply

    ual amei este site me ajudou mt nas aulas de historia, vou avisar minha prof e meus colegas! mt obg viu!

  17. Lara Figueredo 1 de junho de 2015 at 16:36 - Reply

    Adorei Professor , me ajudou muito no meu trabalho… Parabens

  18. Lara Figueredo 1 de junho de 2015 at 16:37 - Reply

    Adorei Professor , me ajudou muito no meu trabalho…Obrigada!!!

  19. Larissa Manoela 13 de Março de 2016 at 19:57 - Reply

    Odiei, não me ajudou em nada!!

  20. Leticia Verli 17 de Maio de 2016 at 20:22 - Reply

    muito bomm

Leave A Comment