Home/Resumos/Resumo: Japão Antigo

Resumo: Japão Antigo

agosto 4th, 2011|Resumos|7 Comments


Neste resumo, você vai conhecer os aspectos mais importantes da história do Japão Antigo, sua sociedade, religião, economia, cultura, os poderosos imperadores e sua influência no ocidente. Ao terminar de ler o conteúdo, faça o quiz e teste seus conhecimentos.

  • Quiz sobre o Japão Antigo: Teste seus conhecimentos sobre este assunto com o quiz. Aprenda os principais conceitos desta aula e fique fera nas avaliações.

Antecedentes

A palavra Japão, em japonês, significa “terra do sol nascente”, devido à sua localização no extremo oriente do planeta. É um país de cultura única. Definir em que época realmente iniciou-se a civilização japonesa é muito difícil, mas os vestígios de vida na ilha indicam que pelo menos a 100 mil anos atrás, quando o Japão era colado ao continente asiático.

Os habitantes asiáticos passaram a migrar para o leste, provavelmente seguindo os animais, tendo em vista que, na época, a caça e a coleta eram as principais fontes de alimento. Ao contrário do que muitos pensam, indícios mostram que a origem do povo japonês não é chinesa. Instrumentos de pedra e fósseis humanos mostram que esse povo existe desde o Período Paleolítico.

A história do Japão é, até hoje, cheia de mistérios e segredos, devido ao seu “isolamento” de outras nações asiáticas. A divisão em períodos foi feita para facilitar o entendimento de sua história.

Períodos Jomon e Yayoi

O Período Jomon durou de 8 mil a 300 a.C. Neste período, a ilha se formou, pois com um aumento considerável da temperatura no planeta, o gelo começou a derreter e o nível do mar se elevou. Neste período, o homem continuava vivendo da caça e coleta, mas já se iniciava a produção de recipientes de barro, chamados de cerâmica jomon. Passaram, também, a usar o arco e a flecha.

O Período Yayoi durou de 300 a.C. a 300 d.C. Neste período, vários coreanos emigraram ao território e levaram novas culturas, como técnicas do plantio do arroz e o trabalho com bronze e o ferro. Além disso, neste período iniciaram as guerras pelo poder, onde o tamanho de uma “aldeia” determinava quem era o mais forte e passou a existir uma grande rivalidade entre as regiões.

As pessoas se alimentavam do arroz cru, que era cozido no vapor ou fervido. Legumes trazidos pelos chineses e a alimentação à base de carne de animais, como cavalos e gado, também foram incorporados à cultura japonesa.

Períodos Yamato e Asuka

O Período Yamato durou de 300 a 593. Inicialmente, o Japão acabou dividido em varias áreas, devido ao seu relevo, cada uma delas com seus próprios costumes. A influência de coreanos e chineses no território japonês foi ainda mais forte, inclusive com a introdução do budismo naquele território, em 538.

A grande mudança deste período foi a unificação do território japonês em torno da dinastia Yamato, tendo Jimmu Tenno se consagrado primeiro imperador do Japão. O Período Asuka durou de 593 a 710. Durante este período, em 604, é criada pelo príncipe Shotoku Taishi a primeira Constituição do país, com 17 artigos. Além disso, foram introduzidos impostos que os camponeses deveriam pagar.

O período foi marcado também por avanços na parte de arquitetura e nas áreas filosóficas. Por outro lado, ocorreram diversos atentados à família imperial, assim como disputas entre famílias poderosas.

Períodos Nara e Heian

O Período Nara durou de 710 a 794. Iniciou quando a Imperatriz Genmei transferiu a capital imperial japonesa para Nara, uma cidade que foi construída baseada na capital chinesa Tang. Neste período, foram construídos diversos templos budistas, por todo o país. Além disso, muitas escolas com pensamentos budistas foram estabelecidas na capital, dentre elas a Sutra da Luz Dourada.

O Período Heian durou de 794 a 1192. Com a posse do Imperador Kammu, novamente a sede da capital imperial muda de local, dessa vez seria Heian-Kyou, que significa “capital da paz e da tranquilidade”. Por volta de 838, o Japão cortou relações com a China devido à desordem que enfrentava. No século X, o Japão se encontrava sob o comando do clã Fujiwara e avançou muito na área cultural.

Neste período, ocorreram muitas batalhas pelo poder entre grandes famílias e surgiram os samurais, soldados da aristocracia japonesa, conhecidos pela disciplina, lealdade e grande habilidade com a espada.

Períodos Kamamura e Muromachi

O Período Kamamura durou de 1192 a 1333. Neste período, os samurais se consagraram no poder e foi criado o regime militar conhecido como Xogunato. A capital imperial passa a ser em Kamamura, uma vila de pescadores bem protegida, ideal para se defender de grandes conflitos.

Em 1220, o rei da Mongólia conquista toda a China devido ao seu grande armamento. Kublai Khan, neto de Genghis Khan resolve conquistar também o Japão, mas é derrotado pelos samurais. O Período Muromachi durou de 1333 a 1573. Neste período, pela primeira vez há o contato com o Ocidente, quando uma embarcação portuguesa chega à ilha trazendo as primeiras armas de fogo.

Na parte econômica, o poder passou para as mãos dos daymiôs, que eram os senhores feudais da época.

Períodos Azuchi-Momoyama e Edo

O Período Azuchi-Momoyama durou de 1573 a 1603. Devido ao declínio do xogunato, os senhores feudais tentaram assumir o poder a todo custo. Oda Nobunaga, um importante general, conquistou a capital do país, fazendo ressurgir o poder imperial e uma nova tentativa de unificação.

O Período Edo durou de 1603 a 1868. Neste período, Tokugawa Ieyasu assume o poder, conquista o controle total do país e se torna o novo Xogum do imperador. A capital se estabelece na cidade de Edo, atual Tóquio. Em 1633, a entrada de navios portugueses e a saída de japoneses do país foram proibidas, assim como o cristianismo.

No final do século XVIII, o país passa por uma reforma política, firmando vários acordos com os países ocidentais.

Períodos Meiji e Taicho

O Período Meiji durou de 1868 a 1911. Neste período, o imperador Meiji se muda para Tóquio, iniciando uma fase de grandes mudanças políticas, sociais e econômicas conhecidas como Restauração Meiji. Tais mudanças trouxeram a liberdade religiosa e a igualdade social. O Japão passou por uma grande industrialização e a chegada de grandes estudiosos ocidentais ajudou no avanço do país.

Os feudos foram extintos e, assim, surgiram as prefeituras e uma verdadeira invasão ocidental ocorreu, durante cerca de duas décadas, ocorrendo também uma sentimento de elevado nacionalismo. Essa época trouxe grandes avanços políticos, como a criação da primeira Constituição. Em 1910, o Japão ocupa o território coreano. Em 1912, morre o imperador Meiji.

O Período Taisho durou de 1912 a 1925. O período iniciou quando Taisho, filho do Imperador Meiji, assume o poder. O governo democrático ganhou grande força e o Japão entrou na Primeira Guerra Mundial.

Períodos Showa e Heisei

O Período Showa durou de 1926 a 1988. Com a grande crise econômica que o mundo todo enfrentava, os militares japoneses defendiam que somente a conquista de novas territórios solucionaria o problema. Em 1941, o Japão ataca Pearl Harbor, base naval americana no Havaí, iniciando uma disputa entre Estados Unidos e Japão pelo controle dos territórios no Oceano Pacífico.

Em 1945, os Estados Unidos lançaram bombas atômicas sobre as províncias de Hiroshima e Nagasaki, forçando a rendição do Japão e, por consequência, colocando fim à Segunda Guerra Mundial. A partir de 1947, o imperador perdeu o poder e a nova forma de governo passou a ser a monarquia constitucional, sob o controle de um parlamento. Em 1989, morreu o imperador Hirohito.

O Período Heisei iniciou em 1989 e dura até hoje. Com a morte de seu pai, Akihito assume o poder e inicia uma nova era, marcada por grandes avanços tecnológicos.

7 Comments

  1. Klaus do Iate 21 de março de 2014 at 11:33 - Reply

    Dá-lhe prof Michel! Que resumo maneiro. De 10000aC até hoje em 8 slides!

    • Michel Goulart 21 de março de 2014 at 15:00 - Reply

      Modéstia à parte, os melhores resumos de história da internet 🙂

  2. Klaus do Iate 21 de março de 2014 at 11:48 - Reply

    As palavras herói (grego), kight (saxao), e samurai (japones) tem mesmo significado servo, servidor e apesar do significado original humilde acabam por acúmulo de poder se tornando os mandatários de suas comunidades. No Japão os primeiros samurais eram homens convocados pelo governo central Yamato em cada clã-vassalo a servir obrigatoriamente por um tempo na capital ou em campanhas dos Yamatos sobre “estrangeiros”, todo seu equipamento (que era de um arqueiro montado, a espada era arma secundária!) que deveria ser custeado pelo clan de origem. Após longo tempo guerreando, estes homens voltavam para seus clans como candidatos praticamente incontestes a líderes de seus clans devido a enorme experiência militar e aos diversos escravos (prisioneiros de guerra que fez) que trazia consigo. O culto a espada só viria muito depois, quando o governo central japones tomou dois baques: O primeiro que trnasformou o imperador em figura decorativa religiosa por golpe do Xogum e seu conselho, o bakufu. O segundo que transformou a autoridade do Bakufu em letra morta e os daimios se tonaram deuses em seus feudos.
    O famoso Código de Honra só apareceu, quando o clan Tokugawa reunficou o Japào e tomou o Xogunato para si, sem Bakufu, mas permitiu a existência de numerosa classe de samurais sob grande vigilância. Como cada samurai só seria tolerado mediante total obediência ao Xogum, o Código de Honra se tornou coisa séria. Em troca, os samurais após Reunificaçao e Isolamento se tornaram praticamente uma elite parasita.
    Na época das guerras feudais, o código que existia era o da Arte da Guerra de Musashi, Sun Tzu e Maquiavel.

  3. Klaus do Iate 21 de março de 2014 at 12:03 - Reply

    O protosamurai do periodo Yamato e Nara usava principalmente arco e flecha sobra cavalo. Quando obrigado a desmontar usava escudo e armadura para as costas, duas coisas impensáveis para samurai clássico. A kataná (palavra derivada do português!!) tào decantada em textos como suprassumo das armas, deixa entrever sua origem como arma secundaria de cavaleiro (tem um gume e é curva, não presta para golpe de ponta ou para terçar arma).Os primeiros mosquetes a chegar ao Japão pelas maos de protugueses na ilha de Tanegashima, foram copiados em semanas pelos habilidosos artesãos japoneses! (olha como é antiga a tradiçao de copiar bem a tecnologia alienigena) E eram chamados de varas Tanegashimas. Corpos de mosqueteiros foram fundamentais nas batalhas de Reunificaçao dos Tokugawa. Mas assim que foi conseguido o poder supremo, os Tokugawas restringiram por lei ao maximo a produçao e a posse de tanegashimas e de cavalos. A reduçao de cavalos teve efeito benéfico sobre o fragil ecossistema de bosques do Japào. Um tabu cultural para restrirgir o consumo de carne bovina também. É interessante como o isolacionismo e até algum retrocesso, fez o Japão não se tornar um outro império asteca ou Africa. O isolacionismo foi respeitado pelos ocidentais até Japao ser despertado pelo canhoneio da marinha americana do Perry, quando japoneses deram uma guinada de 180graus passando a ser famintos de tecnologia ocidental ainda que com o preço da elite samurai e do xogum serem extintos e ser reavivado o milenar poder temporal do imperador. Os homens de Nihon se tornaram de tradicionalistas a ultrainovadores invocando uma tradiçao extinta pelos tradicionalistas. Isto é bem confucionista.

  4. Edson Francisco 25 de fevereiro de 2015 at 8:16 - Reply

    O Japão surgiu das cinzas depois de 1945, chegando a ser na década de 90, a segunda maior economia do mundo.Sempre permaneceu entre o cinco países mais ricos do mundo.

  5. Klaus do Iate 29 de agosto de 2016 at 16:11 - Reply

    O Japão ressurgiu das cinzas porque além de ter um povo tão disciplinado que parece robô, recebeu rios de dinheiro americano, como Europa recebeu plano Marshall. Por um triz URSS não produziu um Japão do Norte comunista, como produzira uma Coreia do Norte e uma Alemanha do Leste. Na mente da elite americana, Japão era um mercado consumidor imenso, ocidentalizado em posição estratégica na porta dos fundos da URSS e agindo como tampão da costa pacifica do próprio EUA, que não podia ser perdido pra comunismo por nada neste mundo. Historiadores modernos creem que bomba atômica em duas cidades japonesas foram sobretudo um recadinho pra Stalin mais que para Hirohito.

  6. catarina 24 de janeiro de 2017 at 19:13 - Reply

    os sites deviam ser todos assim, é muito mais fácil aprender desta forma. espero que me ajude no meu trabalho de Geografia

Leave A Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.