Neste resumo, você vai conhecer as práticas econômicas conhecidas como Mercantilismo. Você vai aprender sobre as características deste sistema e suas repercussões. Ao terminar de ler o conteúdo, faça o quiz e teste seus conhecimentos.

  • Quiz sobre o Mercantilismo: Teste seus conhecimentos sobre este assunto com o quiz. Aprenda os principais conceitos desta aula e fique fera para provas, vestibulares e concursos.

Antecedentes

O Mercantilismo foi um conjunto de práticas econômicas que surgiu na Europa, a partir do séc. XV, baseado na busca de desenvolvimento econômico de um país através do acúmulo de riquezas. Durante a Idade Média, a terra constituía a chave da fortuna de um indivíduo. Media-se a riqueza pelo tamanho das propriedades que alguém possuía.

Porém, a partir do ressurgimento do comércio e das cidades, a situação começou a mudar. A produção artesanal e o comércio passaram a movimentar a economia. Assim, pouco a pouco, a economia baseada na troca de produtos agrícolas foi sendo substituída pela economia baseada na troca de mercadorias por dinheiro.

Para estimular o comércio e a produção, tornou-se necessário aumentar a quantidade de moedas em circulação. Este fato estimulou a prática mercantilista na Europa.

Características

O mercantilismo tinha uma série de características. O metalismo, ou bulionismo, caracterizou-se por quantificar a riqueza de uma nação pela quantidade de metais preciosos, ou seja, ouro e prata. Buscava-se a balança comercial favorável, ou seja, o esforço para vender (exportar) mais do que comprar (importar), pois desta forma a nação não perderia reserva de metais preciosos.

Adotavam-se medidas de protecionismo, utilizadas pelo estado para diminuir as importações, geralmente através do incentivo à produção industrial interna e taxas alfandegárias. Havia a intervenção do estado na economia, representado pelo rei absolutista. Este determinava a quantidade de impostos e controlava o comércio e o mercado.

A conquista de novas terras estimulou o pacto colonial, que era caracterizado pelo controle de um determinado país europeu – chamado de metrópole – sobre uma região conquistada – chamada de colônia.

Sistema colonial

Dentro do pacto colonial, as colônias conquistadas pelos europeus, no decorrer do séc. XIV, podem ser divididas em colônias de exploração e colônias de povoamento. As colônias de exploração eram caracterizadas pela economia agrícola, produção para a exportação, grandes propriedades, trabalho escravo e monocultura.

Por sua vez, as colônias de povoamento eram caracterizadas pela economia industrial, produção para o mercado interno, pequenas propriedades, trabalho livre e policultura. Neste sentido, podemos dizer que a colonização do Brasil foi caracterizada pelo modelo de exploração. O norte dos Estados Unidos, por outro lado, foi colonizado sob modelo de povoamento.

Vale ressaltar que esta classificação atualmente é questionada por muitos historiadores e pesquisadores.

Colbertismo

Na França, o mercantilismo surgiu durante o século XVI, no contexto do fortalecimento da monarquia nacional absolutista, representada pelo rei Luís XIV. O principal aplicador do sistema mercantilista na França foi o ministro das finanças francês Jean-Baptiste Colbert. Ele ocupou este cargo durante 22 anos.

Durante o período em que ocupou este cargo, Colbert estimulou a industria francesa, incentivou as exportações e reduziu as taxas alfandegárias internas. Estas práticas mercantilistas ficaram conhecidas na França como colbertismo e fizeram com que a economia do país se fortalecesse, equiparando-se à das demais potências européias da época.