Resumo: Persas

Home » Resumos » Resumo: Persas

Neste resumo, você vai conhecer mais sobre os persas, sua cultura e como era a sua organização social, política e econômica, assim como o impacto desta civilização sobre outras regiões. Ao terminar de ler o conteúdo, faça o quiz e teste seus conhecimentos.

  • Quiz sobre os persas: Teste seus conhecimentos sobre este assunto com o quiz. Aprenda os principais conceitos desta aula e fique fera nas avaliações.
Resumo-Persas-I

Clique na imagem para ampliar

  • Jogo: Desenvolvendo o Império Persa: Você deve encaixar as pedrinhas corretamente visando coletar recursos com o objetivo de desenvolver a Pérsia, uma das maiores civilizações.
  • Jogo: Príncipe da Pérsia: Neste clássico do rei da Pérsia e a princesa, deve-se descobrir várias passagens secretas. Fique atento com os pisos quebradiços e lanças que brotam do chão.
Resumo-Persas-II

Clique na imagem para ampliar

Resumo-Persas-III

Clique na imagem para ampliar

Resumo-Persas-IV

Clique na imagem para ampliar

By | 2014-03-18T17:31:17+00:00 15 de setembro de 2011|Categories: Resumos|Tags: , , , |24 Comments

About the Author:

Professor, historiador e blogueiro, já trabalhei em algumas das maiores escolas públicas e particulares de Santa Catarina. Comecei a lecionar em 2001, sempre preocupado com um ensino caracterizado pela criatividade e inserção de novas tecnologias e metodologias variadas em sala de aula.

24 Comments

  1. Luisa 18 de julho de 2011 at 10:56

    Adorei o resumo professor!
    Não vejo a hora de aprender sobre essa civilização.
    Luisa Serafim

  2. Prof_Michel 18 de julho de 2011 at 19:12

    Você vai gostar de saber mais sobre os persas 🙂

  3. klaus do iate 21 de Março de 2012 at 9:35

    O imperio persa foi a primeira tentativa bem-sucedida de governo mundial polietnico. A dinastia aquemenida fez o possivel para nao se tornar refem de nenhuma religiao apoiava Bel-Marduk na Babilonia, Zaratustra entre os magos medas Yaveh entre os hebreus (que inclusive autoriazam a voltar da deportacao e recontruir o seu templo unico. Mesmo Xerxes nao deveria ser encarado como um Dath Vader sedento por conquistar mais planetas para o imperio. Somente os egipcios e os gregos da Jonia aguentaram mau o governo aquemenida. A Grecia Europeia foi considerada um front secundario e com acerto, era um pais pobre e fratricida. Os persas na maciota , apos serem surrados , conseguiram dobrar os gregos e recuperaram todos os territorios perdidos nas guerras Medicas e arruinar os gregos na guerra do Peloponeso patrocinando os dois lados!!!

  4. klaus do iate 21 de Março de 2012 at 9:37

    Alexandre Magno, alem de genio, foi aluno de um grande professor, foi filho de um general com um projeto dinastico, nasceu em uma macedonia que tinha recem-descoberto uma regiao mineradora rica e pegou o imperio aquemenida em seria cris interna.

  5. klaus do iate 21 de Março de 2012 at 9:39

    Os persas viveram eclipsado pela soberania de estrangeiros por 200 anos. Mas conseguiram se tornar senhores de seus narizes e ainda recontruir um imperio que deteve a expansao romana pro leste por 400anos!

  6. klaus do iate 21 de Março de 2012 at 9:43

    O imperiopersa e o bizantino iniciaram uma queda de braço inconclusiva que deu força para que o Islam se expandisse! O imperio bizantino sobreviveu amputado, os persas se islamizaram.
    A aquisição dos persas foi a melhor coisa que ocorreu ao Islam. Os persas retiraram o carater nacionalista arabe da expansao e pondo a conversao como lema originou um islam cosmopolita. Quase toda Arte, Ciencia, Filosofia, preservaçao de obras grego-romanas dentro do auge do Islam foram obra de persas.

  7. klaus do iate 21 de Março de 2012 at 9:49

    As ideias dualistas, fieis militantes e a noção de fim de mundo dentro da Torah/Biblia só ocorrem quando judeus entram em contato com os zoroastrianos dentro do imperio aquemenida. Em contrapartida Ciro/Kurush foi considerado messiah ,mesmo nao sendo judeu. Uma visao menos etnocentrica do profeta hebreu Outro Isaias ocorreu dentro do ambito do imperio persa. Tales e Mileto inicia a filosofia grega dentro do governo persa. Paz e abundancia possibilitam as pessoas meditarem. O acesso a produtos e gente tao diferentes vindos dos quatro cantos do imperio possibilitaram Tales a ver o reltivismo das coisas a diferenciar essencia de detalhe.
    Entao vamos deixar de odiar Rodrigo Santoro/Xerxes, pessoal?

  8. klaus do iate 22 de Março de 2012 at 7:40

    Um poema persa:
    A verdade ilumina mente e deixa o coração nas trevas.

  9. klaus do iate 22 de Março de 2012 at 7:45

    O Iran teve seu baile da ilha fiscal. Antes da tomada do poder pelos aiatolás, o xa da dinastia Pahlavi dirigia um regime ocidentalizante e anticomunista que organizava festas palacianas aos moldes das festas aquemenidas com direito a roupas do seculo VI aC num verdadeiro rpg alive. Isto nao ajudava muito a manter o regime em pleno anos 70, se ele fizese festas disco movida a drogas talve nao desse tanto combustivel pra oposicao ,né? Nao é atoa que o Khomeini dizia que Mohamed Reza Pahlavi nao passava de um adorador do fogo, querendo dizer zoroastriano. O xa nao era um zoroastriano era um playboy como Sadam Hussein. Os zoroastrianos ainda existem como minoria na India.

  10. klaus do iate 22 de Março de 2012 at 7:47

    Qdo vivi nos EUA, tomei um taxi conduzido por iraniano, mas ele nao gostava de ser chamado assim , ele dizia que era um persa. Hoje nao dá para dissociar o Iran do Islam ,mas nem sempre foi assim e nem sempre será. ” Para sempre” é muito tempo

  11. klaus do iate 22 de Março de 2012 at 7:57

    O imperio turco otomano perigou se tornar a unica potencia islamica do mundo ressuscitando o califado unico no seculo XVI, apesar de seu plano de esmagar os cristaos economicamente ter falhado com a “descoberta da America”. O Egito já havia caído e a India islamica se fosse alcançada por terra iria tornar os grandes feitos de Vasco da gama um desperdicio.

    Quem segurou a expansao deles pro leste foram os persas do poderoso imp safavida, tb islamico, mas nao dispostos a sacrificar sua soberania. Para conseguir esse feito de para o novo “Cesar romano” , os iranianos safavidas nao vacilaram em fazer solida aliança co o infiel no seculo XVI, os portugueses!

    É assim que podemos explicar as varias feitorias portuguesas no golfo persico! Só seu poder de fogo de naus e caravelas nao explicam. A coisa tasmbém foi boa pra portugueses, pois garantiu que o Oceano Indico todo virasse um lago lusitano e tranquilizasse a rota pra Indias a preço muito mais barato que se nao tivessem ajuda persa pra parar os turcos otomanos. A aliança persa-lusos perdurou até outros ocidentais chegarem ao oceano indico (holandeses e ingleses).

  12. klaus do iate 22 de Março de 2012 at 8:11

    O korao previa tratamento especial para os cristaos e judeus. O korao previa uma djhad interna individual para que cada um se torna-se um submisso (islamico) instrumento de Deus. E os arabes tinham um motivo pra respeitar a relgiao dos povos conquistados, eles pagavam impostos extras se nao se convertessem. Os arabes nao gostavam da relgiao dos adoradores de fogo, mas foi o contato com persas zoroastrianos que mudou o Islam. Os persas adotaram a relgiao e a relgiao adotou o dualismo o militantismo e as ideias de batalha final de fim de mundo ao contatar os zoroastrianos. Como com os judeus, porem os judeus eram etnocentrados, nao tinham pensamentos cosmopolitas de converter o mundo embora chegassem a conclusao que só o deus deles existia. Aí seculo IX, a djihad externa de toda a comunidade pra converter o mundo ou destruir quem nao se convertesse nasceu.
    Estas caracteristicas nao eram inerentes a todo o povopersa e nem mesmo ao zoroastrianismo origianal de seu fundador o pastor Zaratustra. O zoroastrianismo que campeava no tempo aquemenida já tinha sido modificado pela elite hereditaria de sacerdotes medas , os magos. Este neozoroastrianismo nunca colou muito com aquemenidas partidarios do”live em let die contato que paguem os impostos”. Masnoa foi assim no regime sassanida, onde os magos se tornaram um importante sustentaculo do regime imperail em paralaelo quase exato aos regimes de Dioclecianus ou Teodosius. Nao é atoa que o regime perseguiu um zoroastrianismo diferente (e mais radical) de Maniqueu e perseguiu também os cristaos persas ( amioria netorianos que acreditavam em um Cristo mais humano que divino). O shah Pur III pensando como Henrique VIII decidiu permitir uma igreja crista persa cujo sumosacerdote seria ele, a tacadfa foi dem mestre porque deixou a dinastia sassanida menos refem de magos ou qualquer outra relgiao, mas a ideia de construir um nacionalismo relgioso que cimentasse a coesao do imperio contnuou. As guerras com imperio bizantino tinham força de cruzadas. O enfraquecimento dos dois poderoso vizinhos imperiais ao norte da Arabia foi fundamental para expansao do Islam. Hoje o islam poderia ser uma relgiao restrita a Arabia se os imperios tivessem se entendido melhor sem o carater catolicos X zoroastrianos ao longo dos seculos IV a VI

  13. Michel Goulart 22 de Março de 2012 at 8:18

    Se o persa não era Xerxes, está tudo bem :p

  14. Fernanda 3 de Maio de 2012 at 17:09

    otimo perfeito! parabéns professor

  15. rillary brenda fereira carvalho 20 de junho de 2012 at 17:05

    legal

  16. Thaynara 11 de julho de 2012 at 15:10

    Muito bom e interressante de estudar essa matéria também gostei muito de estudar a era vargas e a morte de Jango q muito se parece com um filme mas muito bom esse resumo era oq eu presisava 🙂

  17. simone 22 de setembro de 2012 at 1:06

    Essa página está de parabéns. Eu gosto muito de jogar e esses jogos são maravilhosos. Estou aprendendo de forma muito divertida. Os seus resumos são muito bons. Estou começando os estudos do início, quero rever tudo. Obrigada. Ah, tbm estou divulgando esse site.

  18. Michel Goulart 22 de setembro de 2012 at 9:56

    Show! Seja bem vinda!

  19. eduarda@ 14 de agosto de 2013 at 20:56

    esse trabalho foi muito bom pra mim

  20. ISASELLA 7 de Maio de 2014 at 10:52

    ADOREI PROFESSOR MUITO BOM! NAO VEJO A ORA DE CONHECER MAIS SOBRE OS FENICIOS EOS EBREUS.

  21. Maria Mercedes de Moura Severo 25 de julho de 2015 at 23:22

    muito bom este resumo, gostei muito!

  22. luciana shibasaki 7 de outubro de 2016 at 11:21

    Adorei vou olhar mais aki na historia digital

  23. Éder Mallet 30 de Março de 2017 at 20:34

    Acho difícil dizer que influenciaram o Cristianismo, uma vez que os princípios cristãos são apolíticos, transcendentais. Além disso, os pontos de encontro entre as duas religiões não são tão incomuns, até pq a ideia de um reino “altruísta” foi praticamente fundada pelos judeus séculos antes de Zoroastro.

  24. CAIO 14 de setembro de 2017 at 16:55

    LEGAL

Leave A Comment