Home/Blog/Os vestibulares odeiam Donald Trump

Os vestibulares odeiam Donald Trump

setembro 28th, 2018|Blog|1 Comment


Ao que parece, os membros que compõe a banca produtora de questões nos vestibulares brasileiros odeiam Donald Trump, 45º presidente dos Estados Unidos.

Honestamente, não sei precisar se essa é a abordagem presente em todos os vestibulares do país. Porém, pelo que venho analisando, boa parte deles trazem questões que fazem duras críticas ao presidente americano.

Obviamente, não obstante possíveis críticas e objeções feitas a Trump, cabe a nós perguntar: esta é a melhor abordagem?

Gostaria de apresentar alguns exemplos:

Questões da ACAFE

As tensões internacionais têm aumentado consideravelmente e, para muitos analistas, o atual momento é de graves problemas políticos, econômicos e institucionais. Acerca da História e da formação desse contexto é correto afirmar, exceto:

a) A questão dos refugiados tem se agravado sobremaneira em decorrência dos conflitos no Oriente Médio. Vários países da região e até a Alemanha estão com grande número de refugiados, o que tem acirrado a animosidade contra imigrantes, em especial de origem muçulmana.
b) Nova Guerra Fria é uma das percepções gerais. Rússia e China de um lado, EUA e União Europeia de outro. A origem do problema é o apoio dos dois primeiros aos países islâmicos, inclusive o Estado Islâmico, e dos dois últimos a Israel, Turquia e Índia. Um cenário de conflito entre as potências no Oriente Médio levaria a um grande risco de guerra.
c) O crescimento de partidos e propostas de extrema direita tem gerado preocupações pelo teor xenófobo e intolerante das mesmas. Parte desse cenário diz respeito à crise econômica que tem perpassado o mundo desde 2008.
d) As eleições nos EUA foram um excelente exemplo do atual teor político das propostas. Donald Trump manifestou em vários momentos de sua campanha posturas que foram classificadas como machistas, intolerantes e inflexíveis.

Essa questão do consórcio ACAFE, de Santa Catarina, afirma que as posturas de Trump “foram classificadas como machistas, intolerantes e inflexíveis”. Como a questão pede para assinalar a alternativa incorreta, pressupomos que a ‘letra d’ apresenta uma informação correta. A resposta correta, de acordo com o gabarito oficial, está grafada em negrito.

Acerca dos processos eleitorais nos EUA e os presidentes desse país desde a Segunda Guerra Mundial, é correto afirmar, exceto:

a) A atual corrida presidencial já lançou várias polêmicas, em especial pelo caráter conservador e xenófobo de Donald Trump, o candidato republicano.
b) Democratas e Republicanos são legalmente os dois únicos partidos do país. A lei de corte de 1956 exige que um partido só possa participar de eleições se tiver pelo menos 10% de representação no Congresso. Isso eliminou os partidos menos expressivos.
c) A postura dos republicanos na Casa Branca tem sido marcada por uma postura mais intervencionista e militar, como nas gestões de Ronald Reagan e George Walker Bush.
d) O partido democrata de maneira geral é visto como maior defensor de políticas sociais e projetos educacionais que são criticados por seus opositores.

Neste caso, temos uma abordagem parecida com a questão anterior. Além disso, a ‘letra a” associa o conservadorismo à xenofobia, além de uma clara apologia ao partido democrata, como podemos observar na ‘letra d’.

Questão da UNIFENAS

Os vestibulares odeiam Donald Trump

O conteúdo implícito na charge faz referência à (ao)

a) Posição histórica de hostilidade dos Estados Unidos ao povo curdo, minoria excluída em terras palestinas.
b) Decisão de Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, em reconhecer Jerusalém como capital de Israel, gerando tensões de cunho nacionalista na região.
c) Decreto do presidente norte-americano, Donald Trump, em dar apoio militar ao grupo Hamas na Faixa de Gaza, gerando descontentamento do povo palestino.
d) Resolução da ONU, apoiada pelos Estados Unidos e pela comunidade internacional, determinando recentemente que Jerusalém é a capital “eterna e indivisível” de Israel.
e) Deliberação do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, definindo a divisão da cidade de Jerusalém entre Israel (área ocidental) e Palestina (área oriental), com consentimento da comunidade internacional.

Nesta questão do vestibular de verão da UNIFENAS, Trump aparece levando palmada de uma mulher palestina, considerando a sua decisão de reconhecer Jerusalém como capital de Israel e posterior transferência da embaixada dos Estados Unidos, de Tel Aviv para Jerusalém.

A decisão de Trump é controversa? Sim. Esta decisão foi equivocada? Talvez. O problema é que o texto sensibilizador mostra apenas a percepção palestina sobre o assunto. Além disso, trata Jerusalém como capital da Palestina, o que é muito simplista, considerando o interesse não só de muçulmanos, mas também de judeus e cristãos.

O tratamento unilateral de certos temas como os que envolvem o presidente americano Donald Trump, cria um problema que as próprias universidades dizem combater. Ao vincular a percepção do aluno à percepção subjetiva do elaborador da questão, subtrai-se do primeiro a possibilidade de exercer o que, à priori, se enseja: O EXERCÍCIO DO PENSAMENTO CRÍTICO.

One Comment

  1. Luiz piovesan 2 de outubro de 2018 at 5:36 - Reply

    Ótimo texto. Sou vestibulando, já fiz o vestibular da acafe e concordo com o exposto. Não obstante minha posição política é contra o caráter de trump, as provas realmente deviam prezar pela imparcialidade, sobretudo porque essas questões são responsáveis pela formação do pensamento crítico nos jovens.

Leave A Comment

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.