Home/Resumos/Resumo: Igreja Medieval

Resumo: Igreja Medieval

maio 30th, 2011|Resumos|52 Comments


Neste resumo, você vai conhecer as características da Igreja medieval e seu papel durante a Idade Média. Vai aprender sobre a hierarquia e a organização política nos mosteiros medievais. Ao terminar de ler o conteúdo, faça o quiz e teste seus conhecimentos.

  • Quiz sobre Igreja Medieval: Teste seus conhecimentos sobre este assunto com o quiz. Aprenda os principais conceitos desta aula e fique fera nas avaliações.
Resumo-Igreja-Medieval-I

Clique na imagem para ampliar

Resumo-Igreja-Medieval-II

Clique na imagem para ampliar

  • Teleaula: O poder da Igreja Medieval: Você vai aprender que na Idade Média a Igreja Católica era o maior poder organizado que existia e que as Cruzadas foram grandes expedições militares.
Resumo-Igreja-Medieval-III

Clique na imagem para ampliar

Resumo-Igreja-Medieval-IV

Clique na imagem para ampliar

  • Filme: O Nome da Rosa, de 1986: Em 1327, William de Baskerville, um monge franciscano, e Adso von Melk, um noviço que o acompanha, chegam a um remoto mosteiro no norte da Itália.
Resumo-Igreja-Medieval-V

Clique na imagem para ampliar

Resumo-Igreja-Medieval-VI

Clique na imagem para ampliar

  • Filme: Arn, o cavaleiro templário, de 2007: Este filme se desenrola na vida de Arn Magnusson, criado e educado por monges suecos, recebendo doutrinas e treinamentos.
  • Questão: As Cruzadas: Tente resolver esta questão sobre os detalhes e pormenores das expedições militares cristãs que ocorreram na Idade Média, conhecidas como Cruzadas.
Resumo-Igreja-Medieval-VII

Clique na imagem para ampliar

  • 30 instrumentos de tortura medievais: Esta lista vai mostrar instrumentos que eram utilizados para provocar o medo, infligir a dor, ou até causar a morte. Todos as peças são originais.
Resumo-Igreja-Medieval-VIII

Clique na imagem para ampliar

52 Comments

  1. Stefano 5 de janeiro de 2010 at 22:02 - Reply
  2. Prof_Michel 6 de janeiro de 2010 at 17:09 - Reply

    Opa, Stefano, que link é este?

  3. Stefano 6 de janeiro de 2010 at 18:59 - Reply

    video que aborda a cumplicidade da igreja com o nazifascismo

  4. Stefano 6 de janeiro de 2010 at 18:59 - Reply

    sobre historia medieval, você já leu sobre Vlad Tepes ?

  5. Prof_Michel 7 de janeiro de 2010 at 16:35 - Reply

    Oi, Stefano, acho que deve ter uma forma de incorporar um vídeo para ser carregado direto na aba de comentários. Vou dar uma olhada. Quanto ao Vlad, sem dúvida. Aliás, acho o tema muito interessante. Um grande abraço

  6. Stefano 7 de janeiro de 2010 at 16:37 - Reply

    assista o video… vale a pena!!!

  7. Prof_Michel 7 de janeiro de 2010 at 17:06 - Reply

    Certamente vou assistir. Obrigado

  8. Alberth 9 de janeiro de 2010 at 5:03 - Reply

    Um dos melhores assuntos pra se estudar em história, muito bom se aprofundar nessa era. Parabéns Michel. Grande abraço!

  9. Blog PROFESSOR LINVALDO GASPAR 28 de novembro de 2010 at 19:59 - Reply

    Sou professor de história, gostei muito do blog.

  10. Claudio Moreira Pereira Júnior 27 de abril de 2011 at 15:49 - Reply

    Nossa, é muito bom saber que as igrejas antigas tiveram inicio na roma, eu sempre pensei que elas tivessam iniciado na Italia HAUHAUAH

    Muito bom esse post, matou as minhas curiosidades =D

  11. Prof_Michel 27 de abril de 2011 at 16:31 - Reply

    Ué, mas Roma fica na Itália.

  12. Claudio Moreira Pereira Júnior 7 de maio de 2011 at 20:36 - Reply

    Dizem que as igrejas medievais eram bem altas, para produzir eco na hora de cantar(acapella)

  13. debora 9 de abril de 2012 at 14:15 - Reply

    legal adorei

  14. debora 9 de abril de 2012 at 14:16 - Reply

    gat igreja chata

  15. rafael 14 de junho de 2012 at 16:07 - Reply

    Nossa coisa orrivel num sei porquer eu vim aqui 🙁

  16. Gabriel 26 de julho de 2012 at 20:20 - Reply

    “A Igreja Católica se originou no seio do Império Romano do Ocidente, a partir do momento que o cristianismo deixou de ser uma ameaça ao poder de Roma para tornar-se aliado.”

    Engraçado que ninguém cita os escritos de Inácio de Antioquia, não é? Em aproximadamente 108 DC ele já dizia: “Onde Está Cristo ai está a Igreja Católica.” – Carta aos Esmirniotas se quiserem verificar.

  17. Marcos Paulo 26 de julho de 2012 at 21:53 - Reply

    Fiquei muito satisfeito com esta página. Sou formado e apaixonado por História, vou recomendar para os meus amigos que também gostam desta linda matéria.

  18. Humberto 29 de julho de 2012 at 19:51 - Reply

    Realmente a igreja Católica, tinha um grande poder na era medieval. Conseguia boa parte desse poder, manipulando as mentes das pessoas inocentes. Mas com o surgimento da imprensa a coisa mudou, os livros se tornaram mais barato e o povo começou ter acesso ao conhecimento e perceberam as divergências daquilo que era falado pelo clero nas escrituras sagradas. Muito bom o resumo!!

  19. Klaus do Iate 14 de março de 2013 at 23:21 - Reply

    A Igreja era um estado feudal poderoso entre outros motivos por causa do celibato. Um bispo quando morria repassava suas terras para o papado que a distribuia para um novo bispo, escolhido pelo papa, teoricamente e que seria seu vassalo. Quando um senhor feudal laico morria,sem ser em batalha com outro, corria o risco dele ter que partilhar seus diversos feudos entre seus diversos filhos diminuindo o poder da familia. Se ele escolhesse dar tudo a um filho predileto, isto seria receita infalivel de guerra civil dentro da familia. Outro meio do senhor feudal evitar isto era exatamente educando o primogenito como senhor feudal guerreiro laico e todos os outros dando para a Igreja educar e se tornar sacerdote algum dia, isto só aumentaria ainda mais o poder da Igreja. Pois ela não tinha obrigação de dar terra a este jovem, apenas sagra-lo sacerdote. Ele poderia ser ordenado ficar em uma comundade reclusa de monges ou ser um padre anonimo sem terras em alguma paroquiazinha sem importancia poltico-militar. A Igreja nunca reduzia seu patrimonio, por excesso de membros e nunca ficava sem opções de escolher novos bispos para repor os mortos, com gente burra ou não confiável.

  20. Klaus do Iate 14 de março de 2013 at 23:26 - Reply

    Cedo, os maiores suseranos feudais seculares viram o perigo da intromissão da autoridade espiritual em assuntos de Estado e tentaram se opor ao Papado, mesmo sendo católicos. Os reis da França e principalmente os imperadores da Alemanha (Sacro Imperio) notaram o maná que era a Investidura dos bispos. Mas tinham muita dificuldade, porque muitos bispos eram senhores feudais com tropas proprias. E no sistema feudal, os reis só conseguiam esmgar vassalos rebeldes se o poder dos vassalos fieis fosse maior, eles nao tinham poder proprio capaz disso. Tudo na relação feudo-vassalica era baseada em confiança e na posse de terra.

  21. Klaus do Iate 14 de março de 2013 at 23:33 - Reply

    A Igreja Catolica apesar dos seus erros foi a entidade que esteve mais perto de botar pra jogo (concretizar) a Republica Meritocratica de Platão. Chegou a chamar de Republica Cristiana, o poder supranacional dos papas. Outra interpretação válida era estar se referindo a antiga Republica Romana, onde o novo Cesar do Ocidente nao seria o imperador da Alemanha, mas mais discretamente o proprio Papa. O termo Europa (pagão) também nao era usado, era usado Cristandade e quem era o chefe desta Cristandade, se o imperador bizantino estivesse na pior?

  22. Klaus do Iate 14 de março de 2013 at 23:39 - Reply

    A origem do monasticismo cristão foi o Egito cristão. Desde o tempo dos faraós, um grupo de religioso ficava vivendo junto em um templo retirado , junto ao deserto, glorificando algum faraó morto. O faraó poderia até cair no esquecimento para o resto do Egito, mas aquele grupo de homens continuava vivendo junto (cenobitas), plantando suas terras, orando. E eram isentos de impostos, afastados do resto da sociedade (anacoretas), as vezes praticando mortificação do corpo (ascese) e cultuando alguma mumia ou resto mortal (reliquia). Daí para os mosteiros em torno de algum pedaço de osso de um martir cristao na Europa Ocidental foi um pulinho.

  23. Klaus do Iate 14 de março de 2013 at 23:52 - Reply

    Muitos autores recentes pensam que a principal causa da 1a cruzada ainda foi a Guerra entre imperador alemão e papa que ocorria pelo menos desde Gregorio VII, passando pelo Urbano II (que convocou a 1a cruzada) ,Inocêncio III, Gregorio IX. O objetivo era exatamente mostrar a toda nobreza feudal europeia ocidental que o papa era capaz de montar um exercito supranacional e lidera-lo em batalha. Na peregrinação de Urbano II pela Europa a recrutar cruzados ele tomou o cuidado de não passar pelo Sacro Imperio, territorio de seu rival, um rival mais perigoso que o imperador bizantino ou o sultao seldjukida ou califa fatimida.

  24. Klaus do Iate 14 de março de 2013 at 23:56 - Reply

    A Cruzada seria uma demosntração concreta que o papa seria um lider temporal melhor que o imperador, capaz de vencer/converter os inimigos do Cristo. Em troca, mais terra, a chance de exercer violencia, ter pecados anteriores perdoados e lugar garantido no Céu aos Peregrinos (como eram chamados incialmente).

  25. Klaus do Iate 21 de março de 2013 at 21:05 - Reply

    O sucesso da Primeira Cruzada surpreendeu a todos envolvidos: os turcos, os islamicos do Egito, o imperador romano oriental, os cruzados e o papa. Do Eufrates ao mar Mediterraneo, da Cilicia até Gaza, todas as cidades foram tomadas, incluindo Jerusalem. Isto deu um grande impulso aos papas revisarem a Concordata de Worms e um novo round na disputa de papa e imperador alemão pelo poder temporal foi iniciado com Henrique VI e seu filho o assombroso Frederico II (F6) contra um papa ainda mais podeoroso que G7, Inocencio III (I3).

  26. Klaus do Iate 21 de março de 2013 at 21:10 - Reply

    O imperador “romano” ocidental H6 viu claramente que o poder do papa subira com as Cruzadas a tal ponto que o império tinha que conquistar toda italia, incluindo Estados papais. Com um misto de força bruta e diplomacia conseguiu tomar o reino normando das Duas Sicilia e os Estados papais ficaram como recheio d eum sandwich. Infelizmente H6 morre deixando teoricamente seu filho herdeiro ainda criança, como rei das Duas Sicilias e candidato a imperador. A mãe do menino se alia ao papa Inocencio III e tb desejava ver os alemães longe da sua Sicilia.

  27. Klaus do Iate 21 de março de 2013 at 21:22 - Reply

    Em 1187, Jerusalem havia sido recapturada pelo Islam. I3 obviamente argumentou que isto ocorrera como castigo divino, pelos pecados dos reis europeus. E capitalizando a desgraça estava conseguindo organizar a Quarta Cruzada, com um plano estrategico muito bom de invadir primeiro o Egito antes de atacar Jerusalem. A morte de H6 veio bem a calhar tb. a mãe do menino de 4 anos Frederick Hohestaufen era sua aliada e pediu para o papa ser o tutor de seu filho na Sicilia. Como se não bastasse o papa passou a apoiar na Alemanha, os Oto dos Welfs, uma familia rival a familia de H6 e do menino F2. Os Hohestaufen lançaram como seu candidato a regente do menino na Alemanha Filipe da Suábia, conseguiram tb o apoio do rei da França, Filipe II Augusto. Como não poderia ser de outra forma , rei da Inglaterra , Ricardo Coração de Leão, fechou com os Welf e o papa, em torno de Oto.

  28. Klaus do Iate 21 de março de 2013 at 21:32 - Reply

    Aparentemente F2 jamais seria governante da Sicilia ou da Alemanha e o papa I3 teria vencido finalmente a guerra entre papa e imperador.
    I3 formalizou seu pensamento em decreto que continha 4 pontos:
    a) Os governantes mais poderosos da Alemanha tem o direot de escolher o rei da Alemanha, mas este só será coroado imperador ocidental se receber a unção e a coroa das maos do papa.ESTE É UM DIREITO DO PAPA, POIS FOI UM PAPA QUE TRANSFERIU A DIGNIDADE IMPERIAL DOS GREGOS PARA OS ALEMAES NA PESSOA DE CARLOS MAGNO.
    b) Se o papa considerar tal rei indigno, os eleitores devem eleger novo rei. Se eles se recusarem, o papa deve escolher ele mesmo o novo imperador, pois o papa necessita do imperador como protetor da cristandade.
    c) Se houver impasse entre os eleitores, eles devem convocar o papa para ajuda-los a escolher o novo rei da Alemanha. O papa deve escolher conforme as qualidades do reinvidicante e não dos resultados de eleições anteriores

  29. Klaus do Iate 21 de março de 2013 at 21:44 - Reply

    A Quarta Cruzada se desvia do objetivo e conquista o Imperio Romano oriental!!!! I3 num primeiro momento excomunga os venezianos e os cruzados, depois vê que a Igreja finalmente foi reunificada e resolve dar a coisa como fato consumado. Mas poder para I3. Filipe dos Hohestaufen foi assassinado, mas Oto apos ser regente, iniciou todas as atitudes que se espera de um governante temporal nao-compromissado com papa algum. Reconquistou a Italia do Norte e as Duas Sicilias. I3 se sentiu traido, considerou Oto um usurpador e passou a apoiar a coroação de seu pupilo F2 , num golpe de maioridade similar a outro bem conhecido nosso. Somente o papa havia trocado de lado, os aliados e inimigos de Oto permaneciam os mesmos. O rei da França mobilizou o seu exercito. João SemTerra, sucessor de Ricardo invadiu a França para se juntar com os alemães pro-Oto e assim retomar muitas terras francesas perdidas para o rei da França. Ingleses e alemaes são derrotados na batalha de Bouvines.

  30. Klaus do Iate 21 de março de 2013 at 21:49 - Reply

    Oto foi morto, e João Sem Terra tem que enfrentar seus proprios vassalos euma invasão francesa a Inglaterra. João resolve se tornar oficialmente vassalo do papa. I3 tem agora mais poder que qualquer outro papa. ele continua a diretamente o centro da Italia. Seu pupilo é rei das 2 Sicilias e imperador alemão.Portanto o papa tb governa o norte e o sul italianos. O rei ingles é seu vassalo. E o patriarca de Constantinopolis é mais um sacerdote que lhe deve obediencia! Os hereges cataros que estao controlando o sul da França como um pais com idioma proprio terão sua vez.

  31. Klaus do Iate 21 de março de 2013 at 21:51 - Reply

    Acontece que F2 tb tem seus proprios planos. Educado em latim, grego, arabe, alemão, conseguiu uma visão muito relativista, realista, pragmatica e materialistas das coisas. Com interesses intelectuais muito diversos, ele honraria seu apelido de Stupor Mundi.

  32. Klaus do Iate 21 de março de 2013 at 21:53 - Reply

    João Sem Terra tb lucrou com sua submissão ao papa. Conseguiu que ele anulasse a obrigação do rei com a Carta magna e mais tarde João conseguiu dobrar os invasores franceses e os rebeldes ingleses.

  33. Klaus do Iate 21 de março de 2013 at 21:56 - Reply

    Filipe II da França via I3 com muita desconfiança, mas a Cruzada do papa, entregou todo o poder temporal da Ocitania ( o sul da França) de mão beijada para ele. Mais um para a rede de reis aliados do superpapa.

  34. Klaus do Iate 21 de março de 2013 at 22:10 - Reply

    I3 morreu contente ao contrario de G7. Uma santa jura que viu seu fantasma envolto em chamas do Purgatorio e Dante na Divina Comedia poe a alma de I3 no Inferno. F2 portanto mostraria suas garras para o sucessor de I3, Honorius III (H3).
    F2 apesar de imperador alemão, passou mais tempo, na sua amada 2 Sicilias (onde montou um aparato no local, em 1231, que o tornou o primeiro monarca absoluto da Europa Ocidental, baseado na historia do imperio bizantino e do califado) ou em Cruzada. Na feudal Alemanha, deixou seu filho Conrad para defender seus interesses.Tarefa espinhosa.

  35. Klaus do Iate 21 de março de 2013 at 22:14 - Reply

    H3 forçava periodicamente F2 a liderar uma cruzada para invadir o Egito. Mas ele era amigo pessoal do sultão, como os venezianos. Ele adiou enquanto pode. E o sultão mais que se preparou para ela. Quando F2 enviou tropas alemães, nao foi chefiar em pessoa. Seu enviado acabou se curvando a liderança do enviado do papa, que nao sabia nada de liderar tropas. O sultão venceu facil a Quinta Cruzada. O papa furioso com F2 o excomungou, mas ele não era como quase todo europeu da epoca e “cag..” para a excomunhão.

  36. Klaus do Iate 21 de março de 2013 at 22:18 - Reply

    O papa exigiu outra Cruzada, F2 disse que a faria somente se o papa o apoiasse na reconquista das ricas cidades da Italia do Norte que estavam se revoltando. Quando o papa e o imperador pediram a ajuda destas cidades em uma nova Cruzada, elas ressucitaram a antiga Liga Lombarda antiimperial que tanto atazanou o Frederico I Barba Ruiva.

  37. Klaus do Iate 21 de março de 2013 at 22:30 - Reply

    F2 investiu a Ordem Militar Teutonica contra os prussianos originais, uma tribo eslava, em uma Cruzada do Norte, e autorizou a posse das terras conquistadas. Era melhor manter estes doidos fieis ao papa longe da Alemanha. O papa rugiu que a cruzada que ele queria era outra, uma Sexta para a Terra Santa. F2 tinha um jeito obliquo de resolver suas coisas. Embarcou com suas tropas e a Ordem Teutonica,mas uma tempestade e doença o fizeram voltar. O papa H3 o excomungou pela segunda vez. Ele então partiu na Sexta Cruzada definitivamente.Todas as tropas europeias que já estavam na Terra Santa obedeceram de ma vontade a um excomungado. Então F2 resolveu aceitar a oferta que o amigo sultão Al-Kamil, parente do “terrivel anticruzado” Saladino, fez várias vezes para ele. O sultão devolveu todas as cidades imprtantes na Biblia cristã para F2 sem que ele precisasse disparar uma flecha: Belem, Nazaré e Jeruasalem ,mais um corredor que as ligasse até o porto cruzado de Acre. O papa ficou fulo com a vitória do excomungado sem derramar sangue onde tantos haviam falhado.

  38. Klaus do Iate 21 de março de 2013 at 22:37 - Reply

    O papa ficou fulo com F2 o que mais poderia fazer? F2 se aproximou dos franciscanos, e tomou a força a grana de ricos da cidade de Roma e a distribuiu para pobres que chamou de verdadeiros cristãos, quando nobres ligados ao papa questionaram sua vitoria sem sangue no Oriente.

  39. Klaus do Iate 21 de março de 2013 at 22:39 - Reply

    Os franciscanos formavam uma ordem recentemente permitida pelo saudoso I3, H3 nada pode fazer. O papado de H3 foi aguentar as “travessuras” do pupilo imperial do seu antecessor.

  40. Klaus do Iate 21 de março de 2013 at 22:51 - Reply

    As realizações de F2 no oriente dividiram a nobreza feudal da Europa, enquanto isto H3 morreu e Gregorio IX assumiu, jurando retomar a linha de I3. Ele foi esperto e começou revogando a ridicula excomunhão do imperador F2. Depois formou um exercito e invadiu as 2 Sicilias. F2 reagiu rapido, recuperou os territorios e contratacou invadindo o territorio papal. G7 pediu a paz, Mas conseguiu tirar de F2 concessoes de seu exótico poder absoluto nas Sicilias.Enquanto isto, agora outro de seu filho estava agindo como seu regente no trono da Alemanha. O “garoto” henrique VII (H7) não tinha jogo de cintura como Conrad e queria que os poderosos duques agissem como os suditos nas Sicilias. Acabou derrotado por eles e tendo que fazer muitas concessoes ao inves de centralizar o poder. A Liga Lombarda recrudesceu sua oposição.Gregorio IX excomungou H7, que permanecia com sua politica. F2 sozinho foi para Alemanha destronou o filho H7 e o prendeu.

  41. Klaus do Iate 21 de março de 2013 at 23:03 - Reply

    Hohestaufen e Welfs se reconciliaram na Alemanha, já que F2 escolheu um Welf como regente. Com os nobres alemães contentes, F2 pediu a eles que engrossassem seu exercito para esmagar a Liga Lombarda. Gregorio IX (G9) tentou impedi-lo diplomaticamente. A guerra foi dura ,mas F2 estava vencendo, quando G7 o excomungou. F2 ordenou que seu filho invadisse os Estados papais.e ele mesmo pos a Roma papal duas vezes sob cerco. G9 moreu de causas naturais e F2 ensaiou uma tregua com o sucessor Inocencio IV, (I4) que continuou a guerra, apesar de ser parente de F2!.

  42. Klaus do Iate 21 de março de 2013 at 23:14 - Reply

    I4 conseguiu atacar a mais importante fortaleza dos imperiais na Italia após uma outra trégua e conseguiu atravessar as linhas inimigas e convocar em Lyon, uma nova eleição imperial porque o imperador F2 estava deposto porque era um herege amigo de sultão, tinha seu proprio harem com eunucos na Sicilia. I4 organizou um complo para matar F2 e seu filho Enzio, seu vicerei para a Italia do Norte, com amplo auxilio Welf e até de amigos do F2. Mas os conspiradores foram presos e executados horrendamente. I4 ainda invadiu as 2 Sicilias, mas foi derrotado. O papa I4 empossou dois imperadores em moentos diferentes, ambos morreram de causas naturais.

  43. Klaus do Iate 21 de março de 2013 at 23:21 - Reply

    A cidade de Parma então se rebelou e se alinhou com o papa. F2 cercou a cidade com uma paliçada e contruiu um forte de madeira de dimensoes de cidade onde tinha todo conforto de sua capital imperial na Sicilia, com os harens e eunucos que I4 tanto denunciava. Em uma saída para caçar com falcoes, os sitiados sairam e tomaram o forte Vitoriacomseus tesouros! F2 montou outro exercito, mas a rebelião aumentou, os territorios papais foram s reconquistados e I4 começou a montar uma Cruzada contra a Ilha da Sicilia!

  44. Klaus do Iate 21 de março de 2013 at 23:23 - Reply

    Seu filho Enzio foi preso até a morte. Um outro complo contra F2 com colaboradores que julgava fieis foi descoberto.

  45. Klaus do Iate 21 de março de 2013 at 23:32 - Reply

    Os exércitos de outro filho de F2 cumularam vitorias contra o anti-imperador wiliam da Holanda e contra o cardeal que liderava o exercito cruzado anti-Sicilia. f2 já idoso morreu de causas naturais sem vencer ou ser vencido pelo papa Inocencio IV. Conrad IV tomou os tronos do Imperio Alemão e das 2 Sicilias e teve apoio de seus irmãos na guerra que continuou, mas Conrad IV morreu quatro anos depois da morte do pai e dinastia Hohestaufen extinta. Vitória papal??

  46. Klaus do Iate 21 de março de 2013 at 23:38 - Reply

    F2 talvez tenha sido o mais poderoso monarca europeu durante o feudalismo. Ele se via como um imperador romano antigo cristão, vice-rei de Jesus na Terra, acima de qualquer papa. Ele tinha sede de conhecimento em muitas areas. Porem as varias concessoes que ele fazia a nobraza feudal alemã para ter apoio militar contra o papa e rebeldes italianos somente destruiu todo poder monarquico tao duramente conseguido na Alemanha a partir de Oto I. A prioridade dele era a Italia.

  47. Klaus do Iate 21 de março de 2013 at 23:52 - Reply

    Os papas também foram derrotados , pois as Duas Sicilias, a parte que faltava para unificar toda a Italia sob papa, nao se tornaram dele mesmo após extinção da familia Hohestaufen, mas passaram aos reis de Aragon.

  48. Klaus do Iate 21 de março de 2013 at 23:54 - Reply

    Os papas também foram derrotados , pois a unica parte que faltava pra unificar a Italia sob papas, eram as Duas Sicilias que mesmo apos extinção dos Hohestaufen ressitiram a ele até cair na orbita de Aragon.

  49. mikaela priscila 28 de julho de 2013 at 17:45 - Reply

    legal pesquisa arte na idade media igreja medieval

  50. mikaela priscila 28 de julho de 2013 at 17:48 - Reply

    gostei muitooooo

  51. jasmim 10 de maio de 2017 at 21:06 - Reply

    gostei muito do resumo….eu encomendei essa pagina aos meus alunos para saber mais nesse tempo as coisas eram bem diferentes,esse diferente eh bom a igreja era cheio de regras mas tudo naquele tempo era perfeito….

Leave A Comment

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.