Home/Resumos/Resumo: Invasões e Reinos Bárbaros

Resumo: Invasões e Reinos Bárbaros

julho 30th, 2011|Resumos|64 Comments


Neste resumo, você vai conhecer sobre como foram as invasões bárbaras no Império Romano do Ocidente, a partir do século V. Vai aprender sobre a formação dos reinos bárbaros na Europa. Ao terminar de ler o conteúdo, faça o quiz e teste seus conhecimentos.

Resumo-Reinos-Barbaros-I

Clique na imagem para ampliar

Resumo-Reinos-Barbaros-II

Clique na imagem para ampliar

  • Jogo: Antiguidades dos Bárbaros: Os invasores da Grã-Bretanha deixaram sua marca indelével na cultura e na língua inglesa, de armas a lugares e palavras que são usadas no dia-a-dia.
  • Jogo: Moedas Anglo-Saxônicas: Você vai testar seu conhecimento sobre as moedas utilizadas pelos povos angl0-saxônicos, durante a invasão da Grã-Bretanha.
Resumo-Reinos-Barbaros-III

Clique na imagem para ampliar

Resumo-Reinos-Barbaros-IV

Clique na imagem para ampliar

Resumo-Reinos-Barbaros-V

Clique na imagem para ampliar

  • Teleaula: O Império de Carlos Magno: Você verá como Constantinopla conseguiu manter o Império Romano no Oriente e como Carlos Magno formou seu império na Europa, o Império Carolíngio.
Resumo-Reinos-Barbaros-VI

Clique na imagem para ampliar

64 Comments

  1. Igor Fontana 6 de novembro de 2009 at 11:29 - Reply

    Boa Michel , o Slide ficou muito bem elaborado

  2. Prof_Michel 6 de novembro de 2009 at 11:46 - Reply

    Valeu, garoto.

  3. Igor Fontana 6 de novembro de 2009 at 14:18 - Reply

    O que é Merovíngia e Carolíngia ? 😮
    O que signfica !

  4. Prof_Michel 6 de novembro de 2009 at 23:46 - Reply

    Merovíngia e Carolíngia é o nome que se dá à família de reis que governou o Reino Franco.

  5. Larissa de Souza 9 de novembro de 2009 at 19:02 - Reply

    O resumo esta ótimo, mais quando que você vai botar o Podcast?

  6. douglas teixeira 9 de novembro de 2009 at 19:04 - Reply

    eu vi ali escrito Merovíngia e Carolíngia , o q quer diser??
    valeu

  7. Prof_Michel 9 de novembro de 2009 at 21:00 - Reply

    Larissa, o podcast já está ali.
    Douglas, dois comentários acima eu explico o que significa Merovíngia e Carolíngia, em resposta ao Igor.

  8. Larissa de Souza 10 de novembro de 2009 at 19:18 - Reply

    😀 É porque eu não consegui ouvir.Mas agora já deu:)

  9. Ricardo de Bem 10 de novembro de 2009 at 19:42 - Reply

    é,ajuda bastante para se aproffundar no assunto e tambem para a prova:Duahuah

  10. Igor Fontana 16 de novembro de 2009 at 14:20 - Reply

    Michel , tem que saber tudo isso ?

  11. Prof_Michel 16 de novembro de 2009 at 14:26 - Reply

    Nop, apenas os tópicos "antecedentes" e "invasões bárbaras".

  12. Luiz Eduardo Bilesimo 16 de novembro de 2009 at 17:36 - Reply

    Eu ia fazer as mesma pergunta do Igor.
    O que tu passo no caderno ja basta ou é melhor ver o slide?
    Porque lendo algumas coisas no caderno eu lembro de toda aula e dai lembro da materia.

  13. Prof_Michel 16 de novembro de 2009 at 17:39 - Reply

    No caderno já basta, o resumo é uma complementação das informações discutidas em sala. Estude sempre por onde você achar melhor.

  14. Luiz Eduardo Bilesimo 16 de novembro de 2009 at 17:42 - Reply

    Tá bom Michel. Valeu

  15. Ricardo de Bem 16 de novembro de 2009 at 17:43 - Reply

    Legal,ja li e gostei bastante!Ah o link da crise do imperio e roma antiga levam para o mesmo lugar né?!

  16. Prof_Michel 16 de novembro de 2009 at 17:47 - Reply

    Ricardo, levam para o mesmo lugar porque são assuntos relacionados.

  17. Igor Fontana 16 de novembro de 2009 at 17:49 - Reply

    Eu também estranhei isso …

  18. ana carolina benedet 16 de novembro de 2009 at 19:44 - Reply

    michel, porque os hunos 'invadiram'a Germania, e porque eles forçaram os bárbaros invadirem o imperio romano?

  19. Sabia 16 de novembro de 2009 at 21:17 - Reply

    Ai ai, prova facil! Obrigado ai Michel 😀

  20. Prof_Michel 16 de novembro de 2009 at 21:25 - Reply

    Ana, os hunos invadiram a Germânia por causa da falta de terras férteis no leste da Ásia. Quando eles chegaram na Germânia, "empurraram" os povos germânicos para dentro do Império Romano.

  21. Leonardo Correia 16 de novembro de 2009 at 22:15 - Reply

    Achei extremamente interessante esse resumo, me ajudou muito a estudar para prova.. ate hoje eu achava que os barbaros eram descendentes de vikings hahaha

  22. douglas isidro 16 de novembro de 2009 at 22:33 - Reply

    fico bom michel.eu nao tinha visto ali a pergunta do igor,por isso q perguntei.mais entendi
    valeu

  23. Larissa De Souza 18 de novembro de 2009 at 16:01 - Reply

    ótimo esse post,ajudou na hora da prova:D

  24. Claudio Moreira Pereira Júnior 8 de Maio de 2011 at 16:51 - Reply

    Se os barbaros não falavam latim, qual lingua eles falavam? Barbares? HAUAHAU

  25. Prof_Michel 8 de Maio de 2011 at 17:07 - Reply

    Eles falavam a língua germânica, que deu origem ao atual alemão.

  26. anna luiza 10 de Maio de 2011 at 20:53 - Reply

    Muito interessante esse tópico ,professor!!!

    1)Todos os bárbaros eram obrigados a se alistar no exército?

    2)Os pais que escolhiam o(a)pretendente do filho(a)?

    3) " Dentre os povos bárbaros invasores, podemos destacar os anglos, saxões, lombardos, suevos, burgúndios, vândalos, ostrogodos, visigodos e os francos. "
    De onde esses povos vieram?

    Aguardo sua resposta anna luiza

  27. Prof_Michel 10 de Maio de 2011 at 21:50 - Reply

    Vamos às respostas:
    1) Nem todos se alistavam no exército romano. Quem o fazia tinha a vantagem de transitar entre os territórios com certa liberdade (como se fosse um greecard) e até casar com romanas, o que podia garantir cidadania (alguma semelhança como o que ocorre hoje em dia?)

    2) Geralmente, a família tinha grande importância na escolha do pretendente. É uma tradição herdada pelos imigrantes italianos.

    3) Estes povos eram de origêm germânica, ou seja, se localizavam onde hoje é a região da Alemanha, Áustria, Polônia e Oeste da Rússia.

    Beijão

  28. anna luiza 11 de Maio de 2011 at 13:01 - Reply

    Obrigada professor!
    Mesmo ainda não aprendendo esse assunto, é bom já comecar a entender o assunto tirando dúvidas, né?

    Até, anna luiza

  29. Luisa 11 de Maio de 2011 at 13:06 - Reply

    Professor, bem legal esse tópico, eu só não entendi uma coisa: os jovens dos dois povos( os romanos e bárbaros)se casavam, mas esses povos tinham uma divisão social extremamente rígida ao casamento?
    Luisa Serafim

  30. Prof_Michel 11 de Maio de 2011 at 14:44 - Reply

    Só em alguns casos.

  31. Luisa 11 de Maio de 2011 at 17:36 - Reply

    Obrigado professor, eu achei muito interessante esse assunto, não vejo a hora de aprender.
    Luisa Serafim

  32. giselle 18 de Fevereiro de 2012 at 23:55 - Reply

    Professor, gostaria muito de ouvir o seu podcast, pois sou professora também, e se possível usar com meus alunos ( claro se me der a permissão). mais não consigo achar ou não estou sabendo aonde.

    • Michel Goulart 19 de Fevereiro de 2012 at 21:05 - Reply

      Giselle, os podcasts ainda não estão disponíveis, por questão técnicas da nova plataforma. Em breve estarão aí.

  33. Jarbas Machado 22 de Fevereiro de 2012 at 23:46 - Reply

    Ei professor Michel. Gostaria de saber se é possível obter os slides dos resumos de suas aulas. grato Jarbas

    • Michel Goulart 23 de Fevereiro de 2012 at 6:05 - Reply

      Oi, Jarbas, assim que os podcasts estiverem prontos, vou disponibilizar também os slides para download.

  34. klaus do iate 16 de Março de 2012 at 10:08 - Reply

    Sou fascinado por este tema porque se civilizacao europeia dominou o mundo todo hoje, é interessante saber como ela nasceu. Ao contrario, do que ingleses e franceses gostam de dizer que seu modo de pensar nasceu na Grecia e Roma , vemos que a coisa nao é bem assim. Tb vejo que Idade das Trevas só pode ser assim chamada porque os estudioso ficam na escuridao, sabem pouco deste periodo e sabem muito do periodo anterior (im romano unido) e do posterior (seculo X em diante).
    Mesmo dentro deste periodo em que a Europa ocidental está sendo gestada (gravidez nunca é peirodo facil) devemos lembrar que o Imp romano (sim ele ainda estava vivo) , o Islam , a China , Teotihuacan, os maias, Gana estavam brilhando.

  35. klaus do iate 16 de Março de 2012 at 10:13 - Reply

    AS ” Invasoes barbaras” nao deram fim ao imperio romano. Mesmo quando se restringe ao imperio romano ocidental. Um bom site é:
    http://www.friesian.com/decdenc1.htm

    Ha muitos dados arqueologicos acumulados nos ultimos 20 anos que refizeram a impressao que temos deste periodo assutadoramente semelhante ao atual EUA

    A cristianizacao da sociedade nao foi causa de fim do imp ocidental. Nem a barbarizacao de seu exercito!

  36. klaus do iate 16 de Março de 2012 at 10:14 - Reply

    A pintura que abre este resumo é linda demais. Qual o nome da obra e do autor, queria grava-la?

    • Michel Goulart 16 de Março de 2012 at 10:34 - Reply

      “The Course of Empire: Destruction”, Thomas Cole. Creio que o nome da obra é esta. O autor é este mesmo.

  37. klaus do iate 16 de Março de 2012 at 14:33 - Reply

    Respeitosamente gostaria de comentar alguns trechos, prof Michel. Poderia ser?

    Osromanosconsideravambárbarostodosaquelesqueficavamalémdasfronteirasdoimpérioenãofalavamolatim

    Preconceito que herdaram dos gregos. Barbaros significaria em grego blablabla, denotando que estavam zoando todos que nao falssem grego.Gozado que os romanos falando latim tb se enquadrariam como barbaros…mas depois qus todos os territorios gregos foram conquuistados por Roma, ninguem lembrava isto aos romanos

  38. klaus do iate 16 de Março de 2012 at 14:41 - Reply

    Apesardasdiferençasculturais,romanosebárbarosconviverampacificamenteduranteostrêsprimeirosséculosdenossaera

    Nao seria bem assim. Os barbaros (todos os paises e pvoso fora do imperio romano) , incluiriam os persas que fizeram um imperio tao civilizado quanto o romano e com grande poder militar e riqueza, mas mesmo considerando só os barbaros da Germania, os germanos faziam uma pressao cosntante sobre o imperio. O que mudava era a postura do imperio. Num primeiro momento ofensivo e depois defensivo, quase sempre permitindo fluxo de pessoas, produtos e ideias para os dois lados da fronteira. O que ocorre depois do seculo III, é que a situaçaõ interna do imperio se complica muito incluindo a incapacidade de recrutar soldados nativos por n fatores. os germanos viam Roma como os mexicanos veem os EUA, ninguem quer acabar com a Terra de Oportunidades, mas sim usufruir tb da boa vida que ela acena e nao como um clandestino ,mas se possivel com green card e tudo. Nesta e´poca é juntar fome com vontade de comer. Roma queria brtaços no seu exercito e os germanos queriam ser estes braços. Invasao mesmo só a de 406dC, que só ocoreeu por vacilo romano.

  39. klaus do iate 16 de Março de 2012 at 14:49 - Reply

    Asrelaçõeseramgeralmenteamistosas.Osbárbarossealistavamnoexército,buscavamterrasférteisejovensdosdoispovossecasavam

    Mesmo no seculo IV, na metade oeste, a coisa funcionava assim , se vc invadisse com seu bando, saqueasse e fugisse de volta pra seu lado germano do Reno, vc poderia acordar com tua aldeia incendiada pelo filho de teu primo que agora era legionario,. Se voce fosse de uma tribo no lado germano do rio, que apoiasse outra tribo que aprontou com Roma, teu lider da aldeia podia amanhecer com acebça decepada e tua familia reagiria a isto se alistando em massa no exrcito romano. Mesmo a multidao de godos que entrou no imp do leste, fugindo dos godos se apresentou como suplicantes. Foram desarmados, selecionados , dispersados e tangidos como gado para bem dentro do império. Revoltaram-se com o mau tratamento, mas estes imigrantes foram devidamente domados em 382. Se alguem duvida ha muitos resgtros de que em 386, outro grupo de godos tentou entrar no imperio na marra. A cabeça de Odoteus desfilou nas ruas da Nova Roma de Constantino eesta mesma metade romana foi a que brilhou por mais 800 anos

  40. Bruna Monteiro 1 de Março de 2013 at 16:40 - Reply

    Oi professor Michel! Gostei bastante do seu blog! Parabéns!

  41. Maria Teresa 9 de Março de 2013 at 11:47 - Reply

    Muito Legal !

  42. Victória 11 de Março de 2013 at 0:23 - Reply

    Muito legal prof!

  43. isadora martinhago 11 de Março de 2013 at 16:28 - Reply

    adorei o quis prof! consegui 100%, tô bem estudada

  44. Gabriela Spillere 12 de Março de 2013 at 19:26 - Reply

    Heey professor Michel! gst bastante do blog, parabéns!! ><

  45. Guilherme Volpato 14 de Março de 2013 at 19:21 - Reply

    To Bem estudado para a sua prova de amanhã, Adorei seu blog! estou aprendendo bastante com ele

  46. Henrique Benedet Zanette 14 de Março de 2013 at 19:40 - Reply

    Muito bom professor michel! Adorei o blog,espero tirar nota boa!!

  47. Henrique Benedet Zanette 14 de Março de 2013 at 19:42 - Reply

    Muito bom professor michel!! Adorei principalmente o blog!

  48. Victória 7 de Maio de 2013 at 19:14 - Reply

    Professor , eu tenho uma dúvida que caiu na prova e eu errei.
    Entre os principais povos barbaros, podemos citar:

    a) Vandalos
    b) Francos
    c) Visigodos
    d) Herulos
    e) todas as anteriores

  49. Gabriel Amorim 2 de junho de 2013 at 17:22 - Reply

    Meus parabens! Ta excelente o slide e eu to estudando pro vestibular, ficou tao bom q ta na ordem do edital kk Parabens msm e mto obrigado continue postando! Gostaria se pudesse tirar uma duvida minha sobre o que foi o “despotismo oriental”?

  50. Klaus do Iate 13 de junho de 2013 at 11:56 - Reply

    Despotismo oriental era o regime típico do Oriente Medio Antigo, China Antiga e da Grecia Micênica, onde o rei era juiz supremo, líder militar supremo,sacerdote supremo, legislador supremo e toda esta autoridade era embasada na crença de que ele era um deus encarnado, um filho biologico de algum deus poderoso ou no minimo o unico intermediario valido entre os deuses e os homens. O poder do Imperador Romano , apos a grande bagunça militar do seculo III também foi justificado desta forma, mas aí passa a se chamar de Dominato, uma “cola”do regime persa. O absolutismo monarquico dos reinos da Europa ocidental na Idade Moderna, era algo semelhantemesnte justificado e exercido, só que 1) a religião predominante da Europa na época (cristianismo) 2)a presença do papa, com quem tinham que tolerar a liderança religiosa,3) limitaçoes de ordem pratica da burguesia ser o poder economico e da nobreza ser o poder militar do reino; impediam que este absolutismo moderno ficasse ainda mais parecido com o despotismo oriental.

  51. Klaus do Iate 13 de junho de 2013 at 12:01 - Reply

    O fundamento ideologico do absolutismo moderno tinha fontes religiosas e seculares, ao inves da base religiosa unica da ideologia do despotismo oriental. A unica brecha dada era que os reis assim como recebem seu direito diretamente dos deuses (direito divino dos reis) também podem perder seu “mandato do céu”, como diziam os chineses, se fizerem mau governo, ou que os reis eram obrigados a governar com a deusa Maat (Harmonia, Verdade), como diziam os egipcios. Resta saber como , SEM AJUDA HUMANA, os deuses destronariam estes maus reis.

  52. Marco Aurélio 71 31 de Maio de 2014 at 11:05 - Reply

    professor conteúdo muito interessante me ajudou muito valeu

  53. Leticia 24 de Maio de 2015 at 17:37 - Reply

    Os povos bárbaros invadiram o Império Romano do Oriente ?

    • Michel Goulart 24 de Maio de 2015 at 18:02 - Reply

      Não, só invadiram o Império Romano do Ocidente, com sede em Roma.

  54. Adauto 13 de junho de 2015 at 19:52 - Reply

    Muito bom esse resumo, gostei

  55. DAVID COUTINHO CASTRO 22 de junho de 2016 at 12:18 - Reply

    Boa tarde gostei muito de ver essa aula
    queria se fosse possivel receber em meu email alguns resumos e exercício pois estou me preparando para o enem minhas codicões são poucas

    muito obg

Leave A Comment