Home/Músicas/Música: Sunday Bloody Sunday

Música: Sunday Bloody Sunday

junho 3rd, 2013|Músicas|6 Comments


Esta postagem foi criada com a ajuda do guitarrista Paulo Cordioli. A música Sunday Bloody Sunday foi criada pela banda irlandesa U2. É a primeira faixa e terceiro single do álbum War, sendo lançada em 1983, na Holanda e na Alemanha. A música é conhecida pela batida militarista, guitarra dura e harmonias melódicas.

Confira a letra original e a letra traduzida clicando na aba logo abaixo do clipe.

[youtube id=”EM4vblG6BVQ” width=”600″ height=”350″]

[toggle title=”Confira a letra original e a tradução”]

Letra original

I can’t believe the news today
I can’t close my eyes and make it go away
How long, how long must we sing this song?
How long, how long?
‘Cos tonight
We can be as one, tonight

Broken bottles under children’s feet
Bodies strewn across the dead-end street
But I won’t heed the battle call
It puts my back up, puts my back up against the wall

Sunday, bloody Sunday (4x)
Oh, let’s go

And the battle’s just begun
There’s many lost, but tell me who has won?
The trenches dug within our hearts
And mothers, children, brothers, sisters torn apart

(2x)
Sunday, bloody Sunday

How long, how long must we sing this song?
How long, how long?
‘Cause tonight
We can be as one, tonight
(2x)
Sunday, bloody Sunday

Wipe the tears from your eyes
Wipe your tears away
I’ll wipe your tears away (2x)
I’ll wipe your bloodshot eyes

(6x)
Sunday, bloody Sunday

And it’s true we are immune
When fact is fiction and TV reality
And today the millions cry
We eat and drink while tomorrow they die

The real battle just begun
To claim the victory Jesus won
On

(2x)
Sunday, bloody Sunday

Letra traduzida

Não posso acreditar nas notícias de hoje
Não posso fechar os olhos e fazê-las desaparecer
Quanto tempo, quanto tempo teremos de cantar esta canção?
Quanto tempo, Quanto tempo?
Porque esta noite
Podemos ser como um, essa noite

Garrafas quebradas sob os pés das crianças
Corpos espalhados num beco sem saída.
Mas eu não vou atender ao apelo da batalha
Isso coloca minhas costas, coloca minhas costas contra a parede.

Domingo, sangrento domingo (4x)
Oh, vamos lá!

E a batalha apenas começou
Há muitos que perderam, mas me diga: quem ganhou?
As trincheiras cavadas em nossos corações
E mães, filhos, irmãos, irmãs dilacerados.

(2x)
Domingo, sangrento domingo

Quanto tempo, quanto tempo teremos para cantar esta canção?
Quanto tempo, quanto tempo?
Hoje à noite
Nós podemos ser como um, esta noite.
(2x)
Domingo, sangrento domingo.

Enxugue as lágrimas de seus olhos
Limpe suas lágrimas.
Vou limpar suas lágrimas. (2x)
Vou limpar os seus olhos vermelhos.

(6x)
Domingo, sangrento domingo

E é verdade que somos imunes
Quando o fato é ficção e a realidade da TV.
E hoje milhões choram
Comemos e bebemos enquanto eles morrem amanhã

A batalha real apenas começou
Para reivindicar a vitória de Jesus
No…

(2x)
Domingo, sangrento domingo
[/toggle]

Curiosidades

  • A letra tem um forte significado político e descreve o horror do “Domingo Sangrento” em Derry, na Irlanda do Norte, ocorrido no dia 30 de janeiro de 1972, quando tropas britânicas atiraram e mataram manifestantes de direitos civis.
  • Neste mesmo dia, 14 manifestantes foram mortos e 16 ficaram feridos. Dentre as vítimas, seis menores de idade foram mortos. Todas as vítimas estavam desarmadas e cinco delas foram alvejadas pelas costas.
  • Os manifestantes protestavam contra a política do governo irlandês de prender pessoas suspeitas de atos terroristas. Esta política era direcionada ao Exército Republicano Irlandês (IRA), uma organização clandestina que luta pela separação da Irlanda do Norte da Grã-Bretanha.
  • Após o “Domingo Sangrento”, o IRA ganhou um enorme número de jovens voluntários, dando força ainda maior ao grupo guerrilheiro.
  • Esta música ficou na posição 268º entre as 500 melhores canções de todos os tempos, da Revista Rolling Stone, em 2004. A revista britânica New Statesman classificou a música entre as 20 melhores canções políticas de todos os tempos.
  • Paul Mcartney também lançou uma música em homenagem ao incidente de 1972, chamada de “Give Ireland Back to the Irish”.
  • O “Domingo Sangrento” irlandês é geralmente confundido com o “Domingo Sangrento” russo, que ocorreu em 1905 e foi um dos motivos da Revolução Russa, de 1917.

6 Comments

  1. Klaus do Iate 3 de junho de 2013 at 7:13 - Reply

    Os irlandeses sempre toleraram mal o governo inglês apesar da longa ocupação. Nunca se sentiram ingleses em boa parte, por culpa dos ingleses. Finalmente durante o Entreguerras, a maioria da Irlanda conseguiu com muita luta armada a independencia. Mas o canto nordeste,o Ulster, além de desde Antiguidade se sentir diferente dos demais irlandeses , havia adotado o anglicanismo do invasor e fechou com os ingleses permanecendo como um dos 4 países que compoem o Reino Unido.

  2. Klaus do Iate 3 de junho de 2013 at 7:22 - Reply

    A briga é complexa, pois dentro da Irlanda do Norte (=Ulster), o IRA é visto por boa parte como invasores estrangeiros. A opção de construir uma Irlanda do Norte livre tanto dos ingleses quanto do Eire , não é bem vista pelos habitantess de Derry/Belfast, porque não teria força propria para se manter fora da órbita politica de um dos dois. O IRA tem realmente apelado para soluções cada vez mais políticas e desarmadas e a União Européia tem como membros tanto o Reino Unido quanto o Eire e poderia agir como intermediador, mas situação da irlanda continua confusa.

  3. Klaus do Iate 3 de junho de 2013 at 7:28 - Reply

    A Independencia do Eire ( a maioria da ilha daIrlanda, ao sul da Irlanda do Norte ) foi sangrenta , conseguida com dificuldade, e pode ser considerada o primeiro movimento de descolonização bem-sudedido dentro do imenso imperio colonial inglês.
    Um repórter , na epoca, cidadão do império colonial francês, cobriu o evento por um bom tempo: Ho Chi Minh. Os olhos da elite colonial ocidentalizada da Africa e da Asia aprendeu muito com o Eire…

  4. Klaus do Iate 3 de junho de 2013 at 7:34 - Reply

    A Ilha da irlanda era composta de varios estados celtas em guerra cronica entre si. Parece que repeliram uma invasão romana no seculo III. A Irlanda sofreu invasoes viking serias que quase tomaram todos os governos nativos (Dublin capital do Eire foi fundada ou fortificada por vikings), mas foram expulsos. A Irlanda foi finalmente unificada pela dinastia anglonormanda do Ricardo Coração de Leão, Joao sem terra e do Eduardo I ( o “malvado” do filme Coração Valente).

  5. Klaus do Iate 3 de junho de 2013 at 7:38 - Reply

    Todo imperio é cosntruido sob um nacionalismo extremado, mas todo imperio só émantido quando este nacionalismo é apagado pelo governo imperial e os povos conquistados ( ou pelo menos uma elite numerosa deles) são chamados para serem parceiros na conquista do resto do mundo. O governo imperial que não for maduro para isto sucumbirá. O império inglês estava se encaminhando seriamente para isto e os irlandeses seriam anglicizados, mas um importante fato parou este processo e reacendeu o nacionalismo de ingleses e irlandeses: a guerra civil inglesa do seculo XVII.

  6. Klaus do Iate 3 de junho de 2013 at 7:47 - Reply

    Toda Irlanda e mais a Escócia se aliharam com com os reis Stuarts absolutistas ingleses , enquanto a Inglaterra pp dita se alinhou com os parlamentaristas. O ditador Cromwell e os reis parlamentaristas posteriores a eles passaram a tratar muito mal os irlandeses desde então, sempre vistos como primitivos , desordeiros e traiçoeiros. Com a morte definitiva do absolutismo monarquico ingles, outras causas se fundiram e perpetuaram o sentimento de intolerância entre ingleses e irlandeses (exceto em Belfast/Derry): anglicanismoX catolicismo, parlamentarismo monarquico X republicanismo, nacionalismo ingles e ulsteriano X nacionalismo do Eire.Que resultaram na Independencia do Eire, na indefinição do caminho do Ulster e no Domingo Sangrento em pleno seculo XX.

Leave A Comment

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.