Temas de História Geral que caem no Enem

Home » Vestibulares » Temas de História Geral que caem no Enem

No último artigo, abordamos os principais temas de História do Brasil que são cobrados no Enem. A postagem foi escrita com base em uma análise minuciosa de todas as questões do Enem, de 1998 a 2011, o que garante a credibilidade dos dados que foram expostos. Agora, vamos tratar dos temas de História Geral que caem no Enem.

Lembramos que este artigo é mais um de tantos outros já publicados aqui sobre o Enem. Leia todos com atenção! Eles podem ajudá-lo a ter um conhecimento diferenciado que, por sua vez, pode torná-lo mais competitivo na prova.

No artigo anterior, fizemos uma crítica a alguns gráficos que alguns professores andam criando sobre as questões de história no Enem. No geral, estes gráficos apresentam só macrotemas, não fazem uma análise completa e não aprofundam nos temas do Enem que o candidato deve estudar. Se não leu ainda, leia!

Vale lembrar que o Enem cobra mais História do Brasil do que História Geral. Por isso, aprofunde ao máximo nos temas brasileiros. Porém, como nossa história está ligada aos eventos que ocorreram em outros lugares, como Europa e Estados Unidos, é sempre bom ter uma visão histórica mais ampla.

Macrotemas de História Geral

Entendemos como macrotemas são todos os temas inseridos nos períodos históricos apresentados na tradicional linha do tempo. No caso de História Geral, temos Pré-História, Idade Antiga, Idade Média, Idade Moderna e Idade Contemporânea.

Macrotemas de História Geral

Macrotemas de História Geral, de 2009 a 2011

Os gráficos não apresentam nenhuma surpresa no que tange aos macrotemas mais cobrados em História Geral. Na maioria dos editais dos principais vestibulares do país, o conteúdo programático se concentra mais em Idade Moderna e Contemporânea.

Porém, mesmo que não sejam previstas em edital, questões de Idade Antiga, Idade Média ou mesmo Pré-História costumam aparecer, ainda que raramente. Fique ligado nisto e NÃO CONFIE TOTALMENTE nos conteúdos programáticos.

Pelo gráfico dá para perceber que, a partir do novo Enem (2009-2011), o número de questões em Idade Moderna e Contemporânea caiu drasticamente. O número de questões em Idade Antiga e Medieval permaneceu praticamente inalterado.

A redução do número de questões de História Geral se deve ao enfoque maior dado pelo MEC à História do Brasil. Arrisco a dizer que, diante do otimismo econômico brasileiro e o crescimento de nossa relevância internacional, esta tendência tende a se firmar.

Temas de História Geral

Da mesma maneira que explicamos no artigo sobre os temas de História do Brasil, o gráfico abaixo vai apresentar apenas os temas recorrentes, ou seja, que aparecem mais de uma vez no Enem.

Temas de História Geral, de 1998 a 2011

 Temas de História Geral, de 2009 a 2011

A queda do número de questões de História Geral, a partir de 2009, fica ainda mais evidente nestes gráficos. O novo Enem começou a cobrar questões sobre o Absolutismo e Grécia Antiga, o que não havia feito em provas anteriores. Guerra Fria foi cobrada quatro vezes em todas as edições do Enem.

O destaque fica, obviamente, para Revolução Industrial. O tema apareceu em oito vezes em todas as edições do Enem. Porém, a partir do novo Enem (2009-2011),  o tema foi cobrado seis vezes, ou seja, uma média de duas questões por edição! Too many!!!

Bom, este enfoque no tema não surpreende, considerando o desenvolvimento industrial do país e a proliferação de cursos técnicos para atender a demanda. Não esqueça que a história (inclusive nos vestibulares) é escrita a partir de um olhar sobre o presente.

Nem precisa dizer que você deve devorar tudo o que puder sobre o assunto. Aqui no blog, temos um amplo material sobre o tema. Em artigo posterior, vamos tratar da forma como Revolução Industrial é cobrada no Enem. Aguarde!

Conclusão

À priori, os gráficos apresentados podem desestimular um aprofundamento nos temas de História Geral. Porém, vale lembrar que há muitos outros temas que aparecem na prova, ainda que tenham sido cobrados apenas uma vez.

Além disso, a História do Brasil está ligada aos eventos que ocorreram na Europa e Estados Unidos. Isto significa que você deve estar atento ao contexto histórico dos fatos. Por exemplo, para compreender a Inconfidência Mineira (1789), é importante conhecer o iluminismo europeu (séc. XVII e XVIII) e seus desdobramentos.

Nossos resumos de história são apresentados em ordem cronológica, integrando História Geral e História do Brasil, de forma a ajudar o candidato a ter esta visão mais ampla do contexto histórico dos fatos. Leia todos!

By | 2014-01-26T08:12:18+00:00 23 de outubro de 2012|Categories: Vestibulares|Tags: , , |15 Comments

About the Author:

Professor, historiador e blogueiro, já trabalhei em algumas das maiores escolas públicas e particulares de Santa Catarina. Comecei a lecionar em 2001, sempre preocupado com um ensino caracterizado pela criatividade e inserção de novas tecnologias e metodologias variadas em sala de aula.

15 Comments

  1. Klaus do iate 23 de outubro de 2012 at 12:09

    Chuif! Minha amada historia antiga só aparece bem pouco. Mais munição para meus filhos em zoarem. Será que quem organiza as provas esquece que o que acontece hoje pode ter raizes no ontem e no seculo passado e na pre-historia?
    Canso de ouvir nas ruas: Ah que saudade da diadura nao tinha crime organizado depois que a guerrilha foi esmagada. Poxa, mais devemos agradecer a Ditadura o estado atual da coisa, pois foram eles que misturaram guerrilheiros e ladreos de galinha na mesma cela.

  2. Michel Goulart 23 de outubro de 2012 at 13:52

    Pois é, mas em vestibulares é assim mesmo. Cobra-se pouco de Id. Antiga.

  3. Sam 24 de outubro de 2012 at 8:59

    Nossa michel, os posts estão excelentes!!!! Parabéns pelo trabalho, tá me ajudando muito a direcionar os estudos nessa reta final! 😀 Só q acho q o pessoal q organiza a prova deveria não fazer isso: colocar assuntos q não tem no edital. Se tem edital é pra colocar o que cai!!! :/ Vou ter que estudar pre- história! Já tinha resolvido algumas questões aqui no site .. Mas nem me liguei :///

  4. Roberto 25 de outubro de 2012 at 19:08

    Olá Michel, eu sei que é um pouco fora da sua linha de trabalho, mas devido a sua notável simpatia e como nenhum professor responde e só sobra especulações, queria saber se você poderia me dizer qual é a média de salário de um professor. Pretendo cursar História tbm, e fico com um certo receio quanto ao retorno financeiro.
    Obrigado pela atenção e parabéns pelo seu excelente trabalho.

  5. Michel Goulart 25 de outubro de 2012 at 21:38

    Oi, Roberto. Na verdade, o valor de hora-aula, bonificações, e outras medidas salariais dependem muito de onde você mora. Qual o seu estado?

  6. Wedding gown 14 de novembro de 2012 at 23:36

    Wow, wonderful blog layout! How long have you been blogging for? you made blogging look easy. The overall look of your website is fantastic, as well as the content!

  7. Any 15 de novembro de 2012 at 9:54

    I applaud your hard work on this article. This is well researched information you have really made your point. I found this interesting from top to bottom. Really excellent job.

  8. Jospeh Midthun 12 de dezembro de 2012 at 13:10

    I simply want to tell you that I am just very new to blogs and honestly loved your web-site. Almost certainly I’m planning to bookmark your site . You definitely come with fabulous well written articles. Kudos for revealing your website page.

  9. Michel Goulart 12 de dezembro de 2012 at 15:53

    Cool

  10. Marcos 26 de dezembro de 2012 at 18:51

    So faltou coloca Brasil conterporaneo

  11. Michel Goulart 27 de dezembro de 2012 at 7:10

    Humm, procure por temas de História do Brasil

  12. nara 13 de Maio de 2013 at 15:13

    oi michel vc poderia postar os 10 temas de atualidades para o enem 2013.

  13. Murilo Medeiros 14 de outubro de 2013 at 12:24

    Michel,

    De acordo com o gráfico 01, houve uma média de uma pergunta por ano sobre história antiga, medieval e pré-história (1998 – 2011). De acordo com este mesmo gráfico, houve uma média de três questões por ano sobre história moderna e contemporânea durante o mesmo período.
    Já de acordo com o gráfico 02, temos uma média por ano de 2,5 questões de história antiga, medieval e pré história (2009-2011), ou seja, dobrou o número destas questões, contrariamente ao que você comentou, pois disseste que permaneceu inalterado. Também de acordo com o gráfico 02, temos uma média por ano de 7,5 questões de história moderna e contemporânea (2009-2011), ou seja, mais que dobrou em relação ao gráfico anterior, contrariamente ao que você comentou, pois disseste que este número caiu drasticamente.
    Penso que houve um erro na legenda do gráfico, já que ele esta falando de dados absolutos, porém penso que seja, na verdade, uma média. Verifique e me corrija caso esteja errado.
    Obrigado pela atenção.

  14. Murilo Medeiros 14 de outubro de 2013 at 12:31

    Michel,

    ”A queda do número de questões de História Geral, a partir de 2009, fica ainda mais evidente nestes gráficos. O novo Enem começou a cobrar questões sobre o Absolutismo e Grécia Antiga, o que não havia feito em provas anteriores. Guerra Fria foi cobrada quatro vezes em todas as edições do Enem.” (décimo primeiro parágrafo).

    Poderias explicar-me seu conceito de história geral? No meu, vejo Absolutismo e Grécia Antiga como temas da história geral.
    Obrigado pela atenção.

  15. Michel Goulart 14 de outubro de 2013 at 14:06

    Murilo, houve apenas uma interpretação errada do que eu disse. Quando falei que Absolutismo e Grécia Antiga passaram a ser cobrados, não estava querendo dizer que eles não fazem parte da História Geral.

Leave A Comment