5 líderes da Indep. das Colônias Espanholas

Home » Curiosidades » 5 líderes da Indep. das Colônias Espanholas

Desde que a América foi colonizada, no século XVI, as práticas adotadas pelas metrópoles europeias eram prejudiciais às colônias. Estas práticas, associadas aos princípios do Iluminismo e aos ideais da Revolução Francesa, motivou a busca por independência política das colônias.

A oportunidade para conquista da independência surgiu quando o general francês Napoleão Bonaparte, no início do século XIX, passou a controlar os territórios da Espanha e Portugal. Neste contexto, surgiram líderes, europeus e latino-americanos, que ajudaram no processo de independência. Vamos conhecer alguns deles.

Se desejar conhecer o contexto em que ocorreu estas independências, leia o nosso resumo sobre a Independência das Colônias Espanholas.

1. José Maria Morelos

Lider-Independencia-America-Morelos

José María Teclo Morelos y Pavón (1765-1815) foi um dos primeiros líderes da luta pela independência do México da Espanha, até ao seu julgamento e execução pelo Santo Ofício. O padre Morelos defendia ideias liberais, como a abolição da escravidão, diminuição de impostos e aceitação de colonos em cargos civis e militares. Estes ideias desagradavam a elite criolla, que passou a liderar o movimento. Morelos é um herói nacional do México e sua efígie foi usada no peso mexicano de 1947 até aos anos 70.

2. Agustín Iturbide

Lider-Independencia-America-Iturbide

Don Agustín I do México (1783-1824) foi um político e militar mexicano cujas campanhas contribuíram significantemente para a Independência do México e da América Central. Foi coroado Imperador do México em 1822 com o nome de Agustín I, tendo reinado até 1823. As pressões exercidas sobre ele por parte dos seus opositores políticos, na Cidade do México, obrigam-no a abdicar. Seu título completo como imperador era Sua Majestade Imperial, Don Agustín I, pela Divina Providência e o Congresso Nacional, Primeiro Imperador Constitucional do México.

3. San Martín

Lider-Independencia-America-San-Martin

José Francisco de San Martín y Matorras (1778-1850) foi um general argentino cujas campanhas foram decisivas para as declarações de independência da Argentina, Chile e do Peru. San Martín iniciou sua carreira militar lutando a favor da Espanh,a em campanha no norte da África. Chegou ao posto de tenente-coronel e foi condecorado com medalha de ouro pela atuação no exército espanhol. Porém, influenciado pelas ideias de independência latino-americana, renunciou à carreira militar na Espanha, em 1812, e se colocou ao lado das tropas que lutaram pela libertação da América espanhola.

4. Simón Bolívar

Lider-Independencia-America-Bolivar

Simón José Antonio de la Santísima Trinidad Bolívar y Palacios Ponte-Andrade y Blanco (1783-1830), comumente conhecido como Simón Bolívar, foi um militar e líder político venezuelano. Junto a José de San Martín, foi uma das peças chave nas guerras de independência da América Espanhola do Império Espanhol. Apoiou a participação popular nos movimentos e defendeu a abolição da escravidão. Chegou a ser presidente da Grã-Colômbia, formada inicialmente por Colômbia e Venezuela. Sugeriu a criação da Pátria Grande, uma nação única formada por países como Colômbia, Venezuela e Equador.

5.  Lorde Cochrane

Lider-Independencia-America-Cochrane

Lorde Thomas Alexander Cochrane (1775-1860), foi um aristocrata e político escocês que se destacou como oficial da Marinha Real Britânica durante os movimentos de independência da América. Tido como herói nacional do Reino Unido, seu exímio sucesso nas Guerras Napoleônicas lhe renderam os cognomes “Loup de Mer” (Lobo dos Mares), pelos franceses, e “El Diablo”, pelos espanhóis. Cochrane também serviu na Marinha do Chile e na Armada Imperial Brasileira, das quais foi o organizador, após afastar-se do governo britânico. Apesar do status de herói, Cochrane passou à história das Américas como um corsário moderno.

About the Author:

Professor, historiador e blogueiro, já trabalhei em algumas das maiores escolas públicas e particulares de Santa Catarina. Comecei a lecionar em 2001, sempre preocupado com um ensino caracterizado pela criatividade e inserção de novas tecnologias e metodologias variadas em sala de aula.

7 Comments

  1. Klaus do Iate 2 de Abril de 2014 at 19:31

    Toussaint LOverture, lide principal da primeira das independencias na America Latina e primeira rebeliao bem-sucedida antiracista ou racista ao contrario. Haiti, 1804. Tudo bem nao é America Espanhola.

    Cochrane foi fundamental na America Portuguesa (nós). Ele é um dos quatro “santos” que temos que acender vela no 7setembro. Outros são Napoleão, Joao VI e José Bonifácio. Cochrane foi responsavel pela Marinha Brasileira ser a segunda mais poderosa da época. Mas nao era um sujeito “maneiro” pros padroes de hoje. Esmagou várias rebelioes populares no Brasil, além das forças ainda fieis a Portugal.

  2. Klaus do Iate 2 de Abril de 2014 at 19:31

    Toussaint LOverture, lide principal da primeira das independencias na America Latina e primeira rebeliao bem-sucedida antiracista ou racista ao contrario. Haiti, 1804. Tudo bem nao é America Espanhola.

    Cochrane foi fundamental na America Portuguesa (nós). Ele é um dos quatro “santos” que temos que acender vela no 7setembro. Outros são Napoleão, Joao VI e José Bonifácio. Cochrane foi responsavel pela Marinha Brasileira ser a segunda mais poderosa da época. Mas nao era um sujeito “maneiro” pros padroes de hoje. Esmagou várias rebelioes populares no Brasil, além das forças ainda fieis a Portugal.

  3. Michel Goulart 3 de Abril de 2014 at 15:22

    Mas eu fiquei meio relutante em colocar o Cochrane aí.

  4. Klaus do Iate 4 de Abril de 2014 at 9:24

    Fica não, Prof Michel. A moçada precisa saber que não foram só criollos que estavam interessados nas Independências e as fizeram acontecer. Colocar quem no lugar do Cochrane?Sucre, OHiggins? Nâo não

  5. Klaus do Iate 4 de Abril de 2014 at 9:33

    Fiquei impressionado com certas coincidencias entre Pedro I e Iturbide. A coisa vai mais além, houve uma tentativa maldisfarçada de colonização com a entronização de um imperador Habsburg com apoio militar francês no Mexico. Os mexicanos nao gostaram muito da ideia, apesar de Maximiliano ter varios pontos em comum com o nosso Pedro II, executaram o Maximiliano e expulsaram os franceses. Até hoje é feriado nacional mexicano a data desta expulsão. No meio do processo entre a Independencia do Mexico e a estabilização de uma Republica lá , o Mexico enfrentou n dificuldades como os EUA ( que comeram mais da metade de seu território) e bandoleiros golpistas (similares a nossos cangaceiros só que com ambição politica maior). Como dizia um presidente mexicano do inicio do seculo: Pobre Mexico, tão longe de Deus e tão perto dos EUA. Pobreza e guerrilha , um alimentando o outro, ocorre até hoje.

  6. nayara 11 de junho de 2015 at 19:35

    Podem me ajudar?
    Eu queria saber, quais foram os principais líderesda rrevolução que levou á independência das colônias espanholas…
    Seria grata se puder me ajudar!

  7. Michel Goulart 12 de junho de 2015 at 6:25

    Está tudo na postagem

Leave A Comment