Home/Eventos/Visita à Vinícola Mazon

Visita à Vinícola Mazon

setembro 12th, 2010|Eventos|17 Comments


Alunos batendo fotos, em visita à vinícula Mazon

Esta semana, levei meus alunos do colégio Energia-Urussanga, para visitar a Vinícola Mazon. Foi demais! Vale até dizer que uma saída de campo ajuda a mudar a rotina das aulas, acrescentando informações e valores que são levados na memória de longa duração. O circuito preencheu toda a manhã de sexta-feira, e aprendemos coisas relacionadas às disciplinas de História, Geografia e Ciências, de forma interdisciplinar.

Aprendemos sobre a colonização italiana em Urussanga; a repressão à cultura italiana durante o governo de Getúlio Vargas; técnicas de agricultura em videiras; tipos de uvas e suas finalidades; etapas da fabricação de vinho e seu envelhecimento, entre outras informações.

17 Comments

  1. Laura-Letícia-Mariana 7°ano 15 de setembro de 2010 at 8:47 - Reply

    SAÍDA DE CAMPO PARA A VINÍCULA MAZON

    No dia 10 de setembro de 2010,fizemos uma saída de campo rumo a Vinícola Mazon,na localidade de São Pedro, Urussanga-SC, com o objetivo de aprender um pouco mais sobre o assunto que o professor Michel(história) e a professora Lize (geografia), haviam repassado para nós em sala de aula.
    Ao chegar no local, fomos recebidos pelas proprietárias Patrícia e Giselda Mazon, que nos explicaram um pouco sobre a história do local e a fabricação do vinho Goethe.Falaram da colonização da localidade de São Pedro, a qual esta,foi colonizada pelos imigrantes italianos, vindos da Província de Treviso, que ao chegar aqui eram proibidos de falar alemão ou italiano, caso contrario eram torturados.Contaram também, que nesta época as parreiras de hoje, eram roças de fumo, cultura que se sobressaía na época.Mas, que desde o início da colonização, Urussanga sempre teve uma ligação muito forte com o cultivo da videira.Entretanto, esta, no início não se adaptou devido as diferenças climáticas.
    Depois, fomos levados a conhecer a Capela(capitel) Nossa Senhora Delacrassie, construída em 1927 pelos imigrantes, uma manifestação religiosa, muito forte na época.
    Após, fomos conhecer como era a produção do vinho, feito com a Uva Goethe, que para mim foi uma das partes desta saída de campo que mais me interessou, e acredito que foi a mais interessante para os meus colegas também, por ser algo diferente e curioso. Lá, acompanhamos todo o processo da produção do vinho: desde a trituração da uva na engassadeira até a fermentação(transformação da uva no vinho) que tem duração de 3 á 4 meses. Após, fomos tomar um delicioso suco de uva e depois fomos fazer uma trilha.
    Assim, com esta saída de campo, tive a oportunidade de ampliar meus conhecimentos sobre a imigração italiana e a cultura local,no qual estas são muito importantes,pois assim, preservaremos viva a nossa história e a nossa identidade.

    Ass: Laura P, Letícia e Mariana.

  2. Beatriz 15 de setembro de 2010 at 8:49 - Reply

    Fundada na década de 1970 pelos irmãos Genésio e Jayme Mazon, a Vinícola tem por objetivo seguir a tradição da linha materna da família, os Debiasi, preenchendo uma lacuna no tradicional ramo da vitivinicultura de Urussanga. Nesta época, a fumicultura vinha se sobressaindo no meio rural e a estratégia dos irmãos, um engenheiro agrônomo e outro civil, era estimular a implantação da fruticultura na região ideal cultivo para pequenas e médias propriedades. Idealistas, os irmãos implantaram os parreirais e o processo de industrialização das uvas, produzindo vinhos de qualidade e serviram de modelo para diversos agricultores que até hoje tem na produção de frutas sua principal atividade.
    Hoje, administrada pela segunda geração, a propriedade agregou mais um segmento produtivo, o de serviços através do turismo. Os consumidores podem desfrutar de momentos agradáveis complementados com degustação dos vinhos, alimentação e hospedagem.

    Equipe:Luiz Augusto, Beatriz e Leonardo Augusto
    7°ano

  3. Laura Galvani 15 de setembro de 2010 at 8:53 - Reply

    Vinícola Mazon

    No dia 10/09/10 realizamos uma visita à Vinícola Mazon, localizada no município de Urussanga. Fomos recebidos por uma senhora que nos contou um pouco da história da Vinícola, assim como nos explicou alguns detalhes acerca de produtos lá produzidos.
    A Vinícola foi inaugurada à aproximadamente 40 anos e hoje possui produtos como vinhos Merlot, Cabernet, Goethe.
    Foi muito interessante aprender que para manter a qualidade do vinho é necessário guarda-lo na posição horizontal. Também aprendemos que para escolher um bom vinho branco é necessário ficar atento à sua transparência e que as famílias faziam seus vinhos nos porões de suas casas.
    Foi muito importante realizar esta visita, pois, é interessante saber que existe em nossa região um produtor de uma bebida tão antiga.

    Ass: Laura Galvani, Laura Bettiol e Malú.
    7° ano

  4. Gessika,Giovanna,Monique 15 de setembro de 2010 at 8:56 - Reply

    O que aprendemos?

    Aprendemos que os italianos organizavam-se em bairros, cada bairro correspondia a uma região da Itália.
    E os italianos tinham muita fé por isso construíam captais para agradecer a Deus.
    Na segunda guerra mundial os imigrantes foram
    Proibidos de falar outro idioma a não ser português.

    Quais informações achamos mais importante?

    Como é feita a produção do vinho e que foram os italianos da cidade de Treviso na Itália que vieram para o bairro de São Pedro.

    Assinado: Gessika, Giovanna, Monique.
    7°ano

  5. Leonardo Felippe 15 de setembro de 2010 at 8:57 - Reply

    O que aprendemos na Vinícola Mazon?
    Aprendemos que a Vinícola Mazon é muito histórica, a vinícola tem por tradição a linha da família materna, dos Debiasi, e naquela época a fumicultura vinha se sobre saindo no meio rural e eles decidiram plantar frutas na região ideal do cultivo, e eles começaram a plantar as parreiras e a industrialização das uvas produzindo vinhos de qualidade.
    Os consumidores podem ter momentos agradáveis como degustação de vinhos, alimentação e hospedagem. Também aprendemos como se faz o vinho, se cultiva a uva, a história da imigração de Urussanga, um pouco da família Mazon que antigamente as pessoas eram muito católicas e etc…
    O que achamos mais importante?
    Nós achamos mais importantes: A produção do vinho e a história da imigração de Urussanga.
    Em fim achamos tudo muito legal, Aprendemos bastantes coisas…

    Ass: Leonardo Felippe e Mateus Mondardo 7ª ano 🙂

  6. Isabelle 15 de setembro de 2010 at 9:00 - Reply

    Vinícola Mazon

    Bom, foi um dia muito especial para todos nós. Pois podemos aprender muitas coisas novas fora da sala de aula, quando chegamos lá, fomos muito bem recebidos pela Patrícia, ela nos contou um pouco da história do bairro, o bairro São Pedro, que pertence a Urussanga, falou que cada bairro de Urussanga foi colonizado por italianos de diferentes partes da Itália. O bairro São Pedro, onde se localiza a vinícola, foi colonizado por italianos vindos de Treviso. Ela também nos mostrou os parreirais de uva, mostrou o Capitel da Nossa Senhora das Graças que se encontra na entrada da vinícola, onde, antigamente era a passagem principal do bairro.
    Depois, sua mãe Giselda, dona da vinícola nos apresentou o lugar onde são fabricados os vinhos, as máquinas, as tinas, onde o vinho fica armazenado. Ela também nos mostrou os vinhos da Vinícola, nos ensinou como saber se o vinha que iremos tomar está em boa ou má qualidade. Por isso, eles precisam ficar em posição horizontal. Depois do lanche, os professores nos convidaram para fazer uma trilha, gostamos muito, pois enquanto nós caminhávamos podemos ficar mais próximos da natureza que nos envolve.

    Ass. Isabelle Beatriz e Rafaella Jacyra ,7° ano.

  7. Guilherme 15 de setembro de 2010 at 9:08 - Reply

    Vinícola Mazon
    Aprendemos sobre as famílias da região de onde eles vieram e as dificuldades. Os imigrantes italianos ao sul de Santa Catarina e os alemães ao norte de Santa Catarina.
    A vinícola existe há 30 anos e 20 em pleno funcionamento.
    O capitel de Nossa Senhora de Graças existe desde 1927. Era proibido casar-se no capitel, porque os padres só realizavam o casamento em capelas.
    A produção de vinho é muito grande entre seus vinhos estão em destaque o cabernet, Goethe.Talvez o vinho seja a única bebida pura do inicio ao fim do produto só se utiliza a uva.Lá existem vinhos muito antigos e o vinho em contato com a terra e deitado fica com o verdadeiro sabor vinhote. e me sigam no twitter @guidarosa_

    ass.Alessandro e Guilherme. 7°ano

  8. Natália 15 de setembro de 2010 at 11:38 - Reply

    Um dia de estudo na vinícola Mazon
    Fomos recebidos com muito carinho pela Patrícia Mazon, que nos mostrou o local e nos contou fatos muito interessantes da época da imigração.
    Urussanga foi o principal núcleo de imigração italiana, sempre teve uma boa colheita de frutos para vinicultura, resultando em significativa produção de vinho de mesa.
    Uva branca dá vinho branco, que deve ser consevado na geladeira. O vinho é como uma criança nasce e precisa de carinho para seu amadurecimento.
    Os imigrantes Italianos trouxeram seus hábitos religiosos e sua fé na religião católica, por isso construíram varias capelas e igrejas para agradecer e pedir proteção.
    Aprendemos muito com esse passeio, mais o que mais chamou atenção foi de saber que houve uma época que era proibir de falar o dialeto Italiano, todos deveriam falar Português, sabendo ou não essa língua. Isso gerou humilhação, vergonha, tristeza e silêncio e quem não cumprisse a lei seria preso.
    Assinado por: Natália Possamai e Natália Contessi.

  9. Sara 15 de setembro de 2010 at 11:41 - Reply

    Passeio Vinícola Mazon:
    • Eles vieram para colonizar os estados do Brasil;
    • As terras eram sempre boas para plantar;
    • Os italianos tinham muita fé. O capitel era uma “CAPELA“ que só cabia uma pessoa;
    • Grão-Pará foi colonizado por poloneses, italianos, russos e alemões;
    • Etapas do vinho:
    • 1- Colher as Uvas (três á quatro meses para ficarem maduras);
    • 2- Engasadeira;
    • 3- Tina de uma a outra (quatro meses);
    • 4- Fermentação (de açúcar á álcool);
    • 5- E por ultimo, o Vinho que fica pronto em oito meses;
    • A “semente” da uva e do vinho, são usados para fazer cosméticos;
    • O Vinho branco, tem que ser bebido no ano da fabricação;
    • O Vinho branco tem que ser bebido gelado, antes dos tintos;
    • “Bichiero de vino” = Taça de Vinho;

    Ass: Sara e Rafaela – 6° ano

  10. Kemilli 15 de setembro de 2010 at 11:41 - Reply

    Visita a Vinicola Mazon

    Oi, prof! Na visita, aprendemos que:

    Capitel:Cabe somente uma pessoa dentro dele.
    Plantar fumo prejudicava os agricultores.

    Em 2009 teve 12 hectares de uva plantada em vinícolas da região.

    Quando o vinho fica deitado ele tem mais tempo para ser consumido.

    E quando ele fica em pé ele tem menos tempo para se consumir.

    Achamos a viagem muito interessante e divertida, aprendemos muitas coisas neste passeio.

    Ass:Kemilli,Bárbara.

  11. Gustavo 15 de setembro de 2010 at 11:43 - Reply

    Eu entendi que o vinho branco tem que ser conservado na geladeira e a uva é que da cor
    se a uva é tinta têm que deixar a casca mais tempo fica bem tinto e uva é apanhada 15 de janeiro e nós tambem vimos o capitel que é uma capela e serve para rezar.

    Gustavo,Jonas e Henrique.

  12. Vitor Burin 15 de setembro de 2010 at 11:47 - Reply

    Nós aprendemos muito nesta viagem e vou começar com alguns tópicos:

    • A colonização Italiana (em Urussanga)
    • Tipos de Uva
    • Como é feito o vinho

    Começando com a Colonização Italiana, primeiro de tudo vamos falar das brigas de nações que sempre aconteciam nos armazéns, também aprendemos que a fruticultura foi trazida para cá pelo pai de PATRICIA MAZON pois o fumo estava muito barato e para melhor lucro ele devia vender coisas que estavam aumentando o preço no mercado.
    Depois entramos na vinícola e aprendemos sobre os diferentes tipos de Uva (Uva Branca e Uva Tinta no caso) e também vimos a maquina usada para fazer o vinho, mas o que achamos mais interessante foi ver dois funcionários regarem as parreiras de Uva (eles chegaram num trator)!!!!!Gostaríamos de fazer mais viagens como essa!!!!!!!!!!!

    Ass: Vitor, Gabriel e Enzo-6º Ano

  13. Caroline 15 de setembro de 2010 at 11:51 - Reply

    Prof nós aprendemos :

    -os italianos tinham fé na igreja católica
    -Capitel é uma igreja que só cabe uma pessoa
    -a idéia para produzir uva veio da Itália
    – Muito tempo atrás foi proibido falar italiano no Brasil
    -N.S.DELLECRASSIE siginifica Nossa Senhora das Grassas
    -Dialeto= Era uma linguagem usada para falar no interior da Itália
    -a vinícola foi criada em 1950
    -a Itália é o pais mais católico do mudo
    -O vinho branco só esta bom se olharmos na claridade e ele estiver transparente

    Ass: Caroline e Pietra

  14. Alexsya 15 de setembro de 2010 at 11:51 - Reply

    Vinícola Mazon

    Nós aprendemos que os italianos que imigraram Urussanga. As viagens deles eram muito longas e demoradas para chegar aos seus destinos, então quando eles chegavam construíam capitéis (são tipos de capelas que só cabem uma pessoa). Só que chegou uma época que outros paízes começaram a ser colonizados e até a mandar e uma prova disso foi a barreira da língua italiana e quem continuasse a falar ou escrever italiano era enforcado ou amarrado em uma árvore em frente a sua casa sem receber comida e água até morrer.
    Sobre a produção de vinho nós aprendemos que a uva é colhida, depois passa para uma maquina onde ela é moída e através de um tubo ou mangueira para uma engazadeira (buraco onde o vinho fica fermentando) e lá ele fica conservado por um tempo até ficar bom para o consumo. Uvas viníferas própria para fazer vinho, uva branca= vinho branco, uva tinta= vinho tinto.

    Interessante:

    Na vinícola Mazon onde nós visitamos tem um Capitel que antigamente passava uma estrada de chão em frente dela. Até que um dia a vinícola resolveu mandar reformar esse Capitel. E conforme com essa pintura o pintor descobriu que esse Capitel era de 1.927 e também esse Capitel era da Nossa Senhora de Dellecrssie.

    Ass: Maria Alice e Aléxsya.

  15. Luiza Mazon 15 de setembro de 2010 at 11:52 - Reply

    O VINHO PASSEIO NA VÍNICOLA MAZON

    • Os moradores de São Pedro vieram da região de Treviso norte da Itália.
    • D.Pedro II promoveu a colonização do sul de SC.
    • Joaquim Viera Ferreira foi contratado por D.Pedro II para dividir as terras para a colonização.
    • A primeira família italiana que morou nas terras da Vinícola Mazon foram os Magagnhim.
    • Capitel é uma igreja que cabe uma pessoa.
    • Os integrantes Italianos chegaram no Brasil primeiro, em Azambuja para depois irem a suas terras.
    • Como fumicultura não era boa para o colono Genésio Mazon trouxe a fruticultura e a produção de vinhos.
    • A parreira dorme no inverno, e depois os galhos são podados e amarrados com vime.
    • A capelinha é um patrimônio histórico que foi construída em 1927.

    • O vinho é bom para a saúde.
    • O vinho leva de 3 a 4 meses para ficar pronto, e o frio é essencial.
    • Uva venífira não é própria para comer e sim para fazer vinho.
    • No sul se colhe uma vez a uva, já no nordeste duas vezes.

    Assinado: Alícia,Luiza,Ana e Laura.

  16. Geni Lourdes Mazon 4 de agosto de 2013 at 15:13 - Reply

    Vendo o seu comentário sobre a familia MAZON é interessante, porque a minha familia também oriunda da mesma região da ITALIA. Gastaria de maiores detalhes porque eu sou da quarta geração. No aguardo . Um abraço . GENI.
    ERECHIM RIO GRANDE DO SUL.

Leave A Comment