Home/Músicas/10 músicas de protesto à Ditadura Militar

10 músicas de protesto à Ditadura Militar

agosto 25th, 2012|Músicas|188 Comments


O golpe militar de 1964 instaurou no Brasil uma forte censura, praticada através dos Atos Institucionais (AI’s) criados para aumentar a repressão do Estado sobre a população ou qualquer manifestação que fosse contrária ao governo imposto no país. Não demorou para a música – enquanto manifestação artístico-cultural de forte teor político – estar entre os principais alvos da censura. Mas nem isso calava a voz dos artistas. Assim, conheça 10 músicas de protesto à Ditadura Militar.

Se você curte este tema e deseja ler algo para aprofundar ainda mais no assunto, sugerimos a leitura do livro Cale-se: Mpb e Ditadura Militar, que trata das letras das canções compostas nos anos mais duros da ditadura (1964 a 1974), e reforça a ideia de que a música serviu – e serve – como uma importante ferramenta de comunicação, carregando mensagens (as mais variadas possíveis) com as palavras e frases que formam suas letras.

Livro Cale-se, Mpb e a Ditadura Militar

>> Compre na Livraria Saraiva (R$ 32,00)

Vale ressaltar que nem todas as músicas foram criadas como forma de protesto. Por exemplo, alguns cantores, como Caetano Veloso e Gilberto Gil, compunham músicas com forte teor político e social, mas nem sempre faziam críticas diretas à ditadura. Porém, são citadas por fazerem parte de um momento histórico único em nossa história, caracterizado pela efervescência cultural.

Tentei encontrar as versões originais das músicas, para mostrar o clima da época e a relação dos artistas com seu público. Porém, isto compromete um pouco a qualidade do vídeo. Mas vale a pena. Confiram!

1- Alegria, alegria

[youtube id=”4tzSETbQcJk” width=”600″ height=”350″]

A música Alegria, Alegria foi lançada em 1967, por Caetano Veloso. Valorizava a ironia, a rebeldia e o anarquismo a partir de fragmentos do dia-a-dia. Em cada verso, revelações da opressão ao cidadão em todas as esferas sociais. A letra critica o abuso do poder e da violência, as más condições do contexto educacional e cultural estabelecido pelos militares, aos quais interessava formar brasileiros alienados.

Trecho: O sol se reparte em crimes/Espaçonaves, guerrilhas/Em cardinales bonitas/Eu vou…

2- Caminhando

[youtube id=”6oGlRrJLiiY” width=”600″ height=”350″]

Caminhando (Pra não dizer que falei das flores) é uma música de Geraldo Vandré, lançada em 1968. Vandré foi um dos primeiros artistas a ser perseguido e censurado pelo governo militar. A música foi a sensação do Festival de Música Brasileira da TV Record, se transformando em um hino para os cidadãos que lutavam pela abertura política. Através dela, Vandré chamava o público à revolta contra o regime ditatorial e ainda fazia fortes provocações ao exército.

Trecho: Há soldados armados / Amados ou não / Quase todos perdidos / De armas na mão / Nos quartéis lhes ensinam / Uma antiga lição: De morrer pela pátria / E viver sem razão

3- Cálice

[youtube id=”376c56dmHmY” width=”600″ height=”350″]

A música Cálice, lançada por Chico Buarque em 1973, faz alusão a oração de Jesus Cristo dirigida a Deus no Jardim do Getsêmane: “Pai, afasta de mim este cálice”. Para quem lutava pela democracia, o silêncio também era uma forma de morte. Para os ditadores, a morte era uma forma de silêncio. Daí nasceu a ideia de Chico Buarque: explorar a sonoridade e o duplo sentido das palavras “cálice” e “cale-se” para criticar o regime instaurado.

Trecho: De muito gorda a porca já não anda (Cálice!) / De muito usada a faca já não corta / Como é difícil, Pai, abrir a porta (Cálice!) / Essa palavra presa na garganta

4- O bêbado e o equilibrista

[youtube id=”6kVBqefGcf4″ width=”600″ height=”350″]

O bêbado e o equilibrista, foi composto por Aldir Blanc e João Bosco e gravado por Elis Regina, em 1979. Representava o pedido da população pela anistia ampla, geral e irrestrita, um movimento consolidado no final da década de 70. A letra fala sobre o choro de Marias e Clarisses, em alusão às esposas do operário Manuel Fiel Filho e do jornalista Vladimir Herzog, assassinados sob tortura pelo exército.

Trecho: Que sonha com a volta / Do irmão do Henfil / Com tanta gente que partiu / Num rabo de foguete / Chora! A nossa Pátria Mãe gentil / Choram Marias e Clarisses / No solo do Brasil…

5- Mosca na sopa

[youtube id=”fi2vh_uP3Rk” width=”600″ height=”350″]

Mosca na sopa é uma música de Raul Seixas, lançada em 1973. Apesar das controvérsias acerca do sentido da música, a letra faz uma referência clara à ditadura militar. Através de uma metáfora, o povo é a “mosca” e, a ditadura militar, “a sopa”. Desta forma, o povo é apresentado como aquele que incomoda, que não pode ser eliminado, pois sempre vão existir aqueles que se levantam contra regimes opressores.

Trecho: E não adianta / Vir me detetizar / Pois nem o DDT / Pode assim me exterminar / Porque você mata uma / E vem outra em meu lugar…

6-É proibido proibir

[youtube id=”hE1ULHlLdWo” width=”600″ height=”350″]

É proibido proibir é uma música de Caetano Veloso, lançada em 1968. Esta canção era uma manifestação das grandes mudanças culturais que estavam ocorrendo no mundo na década de 1960. Na apresentação realizada no Teatro da Universidade Católica de São Paulo, a música de Caetano foi recebida com furiosa vaia pelo público que lotava o auditório. Indignado, Caetano fez um longo e inflamado discurso que quase não se podia ouvir, tamanho era o barulho dentro do teatro.

Trecho: Me dê um beijo meu amor / Eles estão nos esperando / Os automóveis ardem em chamas / Derrubar as prateleiras / As estantes, as estátuas / As vidraças, louças / Livros, sim…

7-Apesar de você

[youtube id=”xbH2E1XfscA” width=”600″ height=”350″]

Depois de Geraldo Vandré, Chico Buarque se tornou o artista mais odiado pelo governo militar, tendo dezenas de músicas censuradas. Apesar de você foi lançada em 1970, durante o governo do general Médici. A letra faz uma clara referência a este ditador. Para driblar a censura, ele afirmou que a música contava a história de uma briga de casal, cuja esposa era muito autoritária. A desculpa funcionou e o disco foi gravado, mas os oficiais do exército logo perceberam a real intenção e a canção foi proibida de tocar nas rádios.

Trecho: Quando chegar o momento / Esse meu sofrimento / Vou cobrar com juros. Juro! / Todo esse amor reprimido / Esse grito contido / Esse samba no escuro

8- Acender as velas

[youtube id=”sdVEz9Ikjfs” width=”600″ height=”350″]

A música Acender as velas, lançada em 1965, é considerada uma das maiores composições do sambista Zé Keti. Esta música inclui-se entre as músicas de protesto da fase posterior a 1964. A letra deste samba possui um impacto forte, criado pelo relato dramático do dia-a-dia da favela. Faz uma crítica social as péssimas condições de vida nos morros do Rio de Janeiro, na década de 1960.

Trecho: Acender as velas / Já é profissão / Quando não tem samba / Tem desilusão / É mais um coração / Que deixa de bater / Um anjo vai pro céu

9- Que as crianças cantem livres

[youtube id=”wrWSACrF7hE” width=”600″ height=”350″]

Que as crianças cantem livres é uma composição de Taiguara, lançada em 1973. No mesmo ano, o cantor se exilou em Londres, tendo sido um dos artistas mais perseguidos durante a ditadura militar. Taiguara teve 68 canções censuradas, durante o período de maior endurecimento do regime, no fim da década de 1960 até meados da década de 1970.

Trecho: E que as crianças cantem livres sobre os muros / E ensinem sonho ao que não pode amar sem dor / E que o passado abra os presentes pro futuro / Que não dormiu e preparou o amanhecer…

10- Jorge Maravilha

[youtube id=”jY8lvjmexwo” width=”600″ height=”350″]

Jorge Maravilha, lançada em 1974, é mais uma música de Chico Buarque, agora sob o pseudônimo de Julinho de Adelaide, criado para driblar a censura. Os versos “você não gosta de mim, mas sua filha gosta” parecia uma relação conflituosa entre sogro, genro e filha. Mas, na verdade, fazia alusão à família do general Geisel. Geisel odiava Chico Buarque. No entanto, a filha do militar manifestava interesse pelo trabalho do compositor.

Trecho: E como já dizia Jorge Maravilha / Prenhe de razão / Mais vale uma filha na mão / Do que dois pais voando / Você não gosta de mim, mas sua filha gosta

188 Comments

  1. Beatriz Urbano 30 de agosto de 2012 at 16:22 - Reply

    faltou roda viva,, néh??

    • Michel Goulart 30 de agosto de 2012 at 16:26 - Reply

      Tem várias que não estão aí. Tive que fazer uma seleção, para o post não ficar muito extenso.

      • francisco alves, gaucho, de foz 24 de janeiro de 2013 at 13:35 - Reply

        o período de 1950 a 1985 é o mais rico da história do Brasil adolescente/maior de idade.

        todos deviam conhecer muito bem este período; os personagens daquele tempo ainda se acham entre nós (inclusive eu….heheh) e podem ser testemunhas vivas daqjueles tempos.

        parabéns pela existencia deste maravilhoso site.

        francisco alves – 45-9813.0199
        francotrabalhista@hotmail.com

  2. Luiza 3 de setembro de 2012 at 21:18 - Reply

    Excelente post. Eu como fã de MPB me deliciei com essa seleção incrível. Parabéns!

    • Michel Goulart 4 de setembro de 2012 at 8:15 - Reply

      Obrigado, Luiza!

      • Vanea Olmo Correa 4 de dezembro de 2013 at 11:23 - Reply

        Muito bom o post, mas faltaram muitas musicas, por exemplo No Woman,No Cry (Gilberto Gil) e London London (Gal Costa) por exemplo que foram compostas no exilio, mas as letras fala da crueldade dos militares, sem falar do Taiguara..lindíssimas letras.Tive o privilégio de aprender o significado das letras, durante o ginásio e colegial que ocorreram neste período negro, mas alguns professores (2 desaparecidos) de forma escondida, nos entregavam as letras e nos ajudavam a fazer a verdadeira interpretação das mesmas, como se fosse uma interpretação de texto e no dário deles, eles registravam uma prova de um livrinho água com açucar, onde as provas já vinham com as respostas que depois eram devidamente descartadas e ficavam apenas as provas no nosso curriculum escolar.Foi um dos piores momentos da história deste País (hoje vivemos uma ditadura sócio economica e ética), mas foi um dos melhoes aprendizados e legados que tenho como exercício e entendimento da leitura!!!

        • Michel Goulart 4 de dezembro de 2013 at 12:28 - Reply

          London London é do Caetano, não?

        • lucas prado 7 de dezembro de 2013 at 9:49 - Reply

          No woman no cry é do bob marley….

  3. Diego Denner Paiva 5 de setembro de 2012 at 10:56 - Reply

    Parabéns pelo post!!!! Vou usá-las em minhas aulas do 9º Ano!!!!! Vlw!!!!

  4. Ana 10 de setembro de 2012 at 17:56 - Reply

    Adorei. Algumas músicas eu já tinha ouvido (como Jorge Maravilha) e não sabia o real significado. Fantástico!!!

    • Michel Goulart 10 de setembro de 2012 at 19:21 - Reply

      Exato. As vezes ouvimos a música mas não sabemos do que se trata exatamente.

  5. Olávia Maria 11 de setembro de 2012 at 8:45 - Reply

    Amei.Tenho muito apreço pela MPB è coisa de bom gosto mesmo, pois quando tudo isso aconteceu eu não era nem nascida.E gosto muito de ouvir o que tem sentido,ou seja, música que tem letra “que fala com agente” entende.È isso galera.

  6. Giovany 12 de setembro de 2012 at 14:22 - Reply

    Jorge Maravilha não é pro Geisel.

    “O problema é que quando a versão é mais interessante do que o fato, não adianta você querer desmentir. Aquela música falava de uma situação que eu vivi muito: os caras do Dops (Departamento de Ordem Política e Social) iam me prender e, enquanto me levavam para depor, pediam para eu autografar discos para as filhas, que gostavam de mim”

    Palavras do próprio Chico.

    De qualquer forma, post excelente. Parabéns.

    • Michel Goulart 12 de setembro de 2012 at 21:15 - Reply

      Pois é, tinha ouvido esta versão do próprio Chico. Ainda assim, a letra parece ter um sentido bem diferente.

  7. Jozelita Calheiros de Almeida 12 de setembro de 2012 at 21:33 - Reply

    gente, o melhor post. muitas musicas não sabia que era um protesto. nota 10

  8. Lalá 17 de setembro de 2012 at 19:56 - Reply

    Salvou minha vida e meu trabalho hahaa, muito bom

  9. Izabela de paula 7 de outubro de 2012 at 13:39 - Reply

    salvou a minha bida minha professora falou que tinha que pesquisar a musica e fazer uma explicaçao do que ela se trata muito bom esse site

  10. alois 10 de outubro de 2012 at 21:45 - Reply

    Sim… foi um período dificil, mas para os baderneiros. Portanto o nosso País não estava na situação que se encontra hoje…Aonde estão os opositores artistícos…sumiram ..por que? Não mechem nos bolsos deles!… Que voltasse a Regime Militar.

  11. alison 12 de outubro de 2012 at 9:31 - Reply

    Preciso muito das musicas :
    Cançao de protesto-Caetano Veloso
    O jornal -Geraldo Vandre
    explicando o que significam

    • Michel Goulart 14 de outubro de 2012 at 18:19 - Reply

      Existe um carinha que pode te ajudar. His name is Google.

  12. alison 12 de outubro de 2012 at 9:36 - Reply

    correçao O jornal -Gilberto Gil

  13. Elisabett 17 de outubro de 2012 at 14:41 - Reply

    Pena que muitos nao sabem o que representou e o que representa as letras dessas cançoes. Isso sim era forma de espressar o que uma sociedade estava passando e sentindo. Nao um sentimento banal e passageiro.

  14. Mayara lanes 25 de outubro de 2012 at 12:20 - Reply

    Oi adorei o post, vou fazer um trabalho de historia e nosso grupo ficou com mpb na ditadura, mas precisamente chico Buarque, escolhemos uma musica que é Apesar de voce, a outra nós ainda estamos com duvida, voce poderia dizer quais outras musicas dele que fazem referencia ao regime militar?

  15. lucas 29 de outubro de 2012 at 9:50 - Reply

    Galera eu preciso de uma musica de gilberto gil que fala do periodo da ditadura militar do brasil. quem puder me ajudar agradeço desde já obrigado

  16. isabela 29 de outubro de 2012 at 17:06 - Reply

    adoreeeei muito foda parabens cara te amo

  17. Marlon 31 de outubro de 2012 at 9:59 - Reply

    Muito bom ! Outra música emblemática é “Meu caro amigo” de Chico Buarque, ela é praticamente uma critica explicita.

  18. Bya Paes 3 de novembro de 2012 at 10:28 - Reply

    muito bom me ajudou numa pesquisa da escola parabéns pelo site 🙂

  19. gabriela 4 de novembro de 2012 at 9:39 - Reply

    ADOREI TUDO,ME AJUDOU BASTANTE NO TRABALHO DE HISTORIA!

  20. Bianca 6 de novembro de 2012 at 12:12 - Reply

    adoreii me ajudou mntu ,pra mim o maior icone é o chico buarque…faltou roda viva!

  21. Stephany 7 de novembro de 2012 at 13:02 - Reply

    Preciso de uma mpusica que tenha a ver com a época da reabertura, será que alguém saberia ?

  22. Alessanro Major 7 de novembro de 2012 at 18:51 - Reply

    ótimas musicas excelente seleçao parabéns todas as musicas com muito conteúdo….. foi muito proveitoso para meu trabalho

  23. edimara gremista 9 de novembro de 2012 at 13:29 - Reply

    parabens pelas musicas paaaaaaavooooooorrrrrrrrrróóóóóóóóó assi edi gremista bjossssss

  24. lorrane 12 de novembro de 2012 at 17:29 - Reply

    que eu sei sobre os musicos que o golpe militar de 1964 istaurou no brasil uma forte sensura praticada atraves dos ato institucional criado para aumentar a espressaodo estado sobre a poluiçao

    • Michel Goulart 12 de novembro de 2012 at 18:03 - Reply

      Querida, para que as pessoas levem a sério os seus comentários, aprenda a escrever corretamente.

  25. Fernando Santos 14 de novembro de 2012 at 9:47 - Reply

    Muito legal. Lá na minha faculdade tem um aluno que é policial e que discutiu com a professora pelo fato de os guerrilheiros de esquerda também cometerem crimes, como o sequestro e os assaltos, para sustentar a resistência ao regime. Acho que pelas circunstâncias, não se pode crer com certeza que estes são criminosos. Talves se ele vivesse na época ele não teria a mesma opinião.

  26. Fernando Santos 14 de novembro de 2012 at 9:50 - Reply

    Hoje em dia os músicos, ou pelo menos a maioria deles nem sabe(m) compor, por isso qualquer um vira cantor. Estas dez músicas, e eu incluirira algumas do Renato Russo, apesar de não ser da época do regime, mas do momento posterior à abertura, são o ápice, na minha opinão da música brasileira.

    • Michel Goulart 14 de novembro de 2012 at 14:53 - Reply

      Fernando, qual a música da Legião que você acha que tem relação com a Ditadura? 1965?

  27. Fernando Santos 15 de novembro de 2012 at 11:15 - Reply

    Acho que sim. Mas eu falava do período posterior ao que eles chamam de reabertura, que eu acho ainda não ter acontecido plenamente.
    Perfeição, por exemplo retrata uma pouco este período. Será também aborda a época. Que país é esse?, Meninos e meninas.
    A música Monte Castelo, na minha opinião tem relação com a participação brasileira na 2° Guerra.
    Vamos fazer um filme também pode ser incluída nas músicas de protesto, em qualquer contexto. “O sistema é mal, mas minha turma é legal”.
    Muitas outras músicas do Legião que não citei, para a mensagem não ficar muito extensa, podem ser relacionadas ao período do regime, ou da “reabertura”, ou como uma previsão do que é hoje isso que a gente chama de país.

    • Michel Goulart 15 de novembro de 2012 at 13:17 - Reply

      Monte Castelo tem relação com a 2ª Guerra? Como assim?

  28. Fernando Santos 15 de novembro de 2012 at 11:23 - Reply

    E o que não dizer do Raul? Eu também vou reclamar, Sociedade Alternativa. Ou Comida dos Titãs, Admirável gado novo, do Zé Ramalho,estes acompanharam o legado. Enfim, a geração posterior aos mestres citados na sua lista também é muito produtiva.
    Mas para por aí. Agora é tchu, tcha, tcherere, voce me mata, esse cara sou eu.
    Este último sabia fazer música, mas desandou.

  29. Fernando Santos 16 de novembro de 2012 at 12:33 - Reply

    Monte Castelo foi o nome da batalha vencida pelos pracinhas brasileiros.
    Um livro dizia que era um povoado italiano que foi destruído pelos brasileiros.
    Outra fonte diz ser uma cadeia de montanhas na região.

    • Michel Goulart 16 de novembro de 2012 at 14:27 - Reply

      Isso eu sei, mas o que a MÚSICA MONTE CASTELO tem a ver com a 2ª Guerra? Estávamos falando da Legião Urbana.

    • Michel Goulart 16 de novembro de 2012 at 14:37 - Reply

      A música Monte Castelo, da Legião Urbana, só tem a ver com a 2ª Guerra no título. Eu utilizo a música para discutir a transição de uma visão teocêntrica (religiosa) para uma visão antropocêntrica, no início do Renascimento Cultural.

      Isto porque há duas visões de amor presentes na música: o amor espiritual, nas linhas do apóstolo Paulo, em II Coríntios 13, representando a visão religiosa; e o amor romântico, nas linhas de Luiz Vaz de Camões, em seu Sonetos, representando o amor romântico.

      Luiz Vaz de Camões foi um escritor português no contexto do Renascimento Cultural.

      • Dalmo 10 de junho de 2018 at 20:58 - Reply

        La Maison Dieu faz mais sentido com a ditadura embora não tenha sido composta à época

  30. mariana 19 de novembro de 2012 at 8:31 - Reply

    eu gostei de ver as musicas mas um pouco chatas.

  31. Fernando Santos 19 de novembro de 2012 at 11:56 - Reply

    Era isto mesmo que eu queria dizer, somente o título.
    A letra eu sabia que tinha duas visões do amor.
    Mas não sabia que tinha uma localização na História, a transição do teocentrismo para Antropocentrismo. Muito legal.
    Sobre a música 29 você sabe algma interpretação?

  32. Fernando Santos 19 de novembro de 2012 at 12:07 - Reply

    E sobre “Chão de giz” do Zé Ramalho?
    Uma vez me disseram que o cantor fez uma homenagem à cocaína.

  33. Rayssa Thalia 20 de novembro de 2012 at 18:52 - Reply

    Gostei muito da seleção meu caro, me ajudou bastante no trabalho de história sobre músicas da ditadura militar… Quando puder coloque também a música “sabiá”, é uma boa opção também… Meus parabéns! Adorei! 🙂

  34. thais 21 de novembro de 2012 at 18:42 - Reply

    é muito loco isso me ajudou muito no meu trabalho de musica

  35. maria 22 de novembro de 2012 at 14:50 - Reply

    deveria ter a letra da musica ne

    • Michel Goulart 22 de novembro de 2012 at 15:50 - Reply

      Uma dica para encontrar… começa com G e termina com OOGLE.

  36. Isabella 27 de novembro de 2012 at 20:40 - Reply

    Falta muuitas musica aqe!!!
    Poderia colocar as letras delas tambem!!seria muito bom!!

    • Michel Goulart 27 de novembro de 2012 at 22:56 - Reply

      Procure na internet. O artigo já deu bastante trabalho pra fazer. Aliás, se quiseres contribuir, procure as letras e mande para o nosso email e publicamos. Ficaremos muiito agradecidos.

  37. Charlotte 30 de novembro de 2012 at 3:26 - Reply

    Olá Michel.
    Li todos os comentários e parece que algumas pessoas não se contentam com a quantidade de referencias musicais contra a ditadura que estão descritas nesta postagem, é lógico que existem várias outras músicas que protestam a ditadura e como voce mesmo deixou claro basta procurar no google e tem quem concorde com o regime militar… A estes fica a questão: lavar sangue com sangue tornará o Brasil um país menos violento e pacífico? E aos que acham que este fato (a ditadura) é algo desnecessário para o nosso conhecimento saibam que o que vivemos hoje é um reflexo do que aconteceu no passado… Será que tem alguém satisfeito com Brasil de hoje? Portanto é necessário que saibamos a verdade não só para contestar mais também para não cometer os mesmos erros. Não sou nacionalista muito menos patriota mas, é bom viver num lugar em que se tem valor.
    Viva o punck rock!

  38. CAMILA 2 de dezembro de 2012 at 12:19 - Reply

    🙂

  39. CAMILA 2 de dezembro de 2012 at 12:19 - Reply

    QUE COISA EM MUSICAS BREGAS

  40. KARLA 2 de dezembro de 2012 at 12:22 - Reply

    ADOREI AS MUSICAS BJS…

  41. polyana 5 de dezembro de 2012 at 9:45 - Reply

    isto ajuda na prova de historia sobre o brasil?

  42. cauan 7 de dezembro de 2012 at 9:06 - Reply

    concordo com michel goulart depende o conteudo da prova um abranco pra ele e pra familia bjs

  43. Alessandra 16 de dezembro de 2012 at 17:21 - Reply

    Parabéns pelo post.
    Sugiro que ele tenha uma segunda edição, com a inclusão de “Roda Viva” e “Meu Caro Amigo”, de Chico Buarque, como já citadas, e também de “Disparada”, de Geraldo Vandre.
    Abraço!

  44. NIL 16 de dezembro de 2012 at 21:12 - Reply

    GOSTEI DA LISTA,ME SERÁ ÚTIL PARA UMA PESQUISA QUE ESTOU FAZENDO NA UNIVERSIDADE SOBRE A PERSPECTIVA DA ANÁLISE DO DISCURSO NO CONTEXTO DA DITADURA MILITAR.

  45. Tamires 27 de dezembro de 2012 at 9:32 - Reply

    Vocês saberiam me informar obras que falem da importância do rádio no regime militar? Estou pesquisando para o meu TCC, mas percebi certa escassez de fontes relacionadas ao tema, obrigada.

  46. Paulo 27 de dezembro de 2012 at 17:30 - Reply

    O reggae-Legião Urbana

    Beberam o meu sangue e não me deixam viver
    Têm o meu destino pronto e não me deixam escolher
    Vêm falar de liberdade pra depois me prender
    Pedem identidade pra depois me bater
    Tiram todas as minhas armas
    Como posso me defender?
    Vocês venceram essa batalha
    Quanto à guerra,
    vamos ver.

  47. Rodrigues 8 de janeiro de 2013 at 21:28 - Reply

    Muito interessante, gostei muito mesmo, aprecio a MPB, mais uma coisa temos que dizer de uns tempos para cá parece que eles esqueceram pela causa que tanto lutaram…. que pena.

  48. Rômulo Maia 14 de janeiro de 2013 at 2:13 - Reply

    Michel Goulart, excelente trabalho, a nossa musica popular tem muitas cançoes tipicamente fantasticas, meu trabalho de tcc sera sobre as musicas da ditadura, é muito interessante as historias que se passam nos “bastidores” de cada composição

    • Michel Goulart 14 de janeiro de 2013 at 6:07 - Reply

      Sim, Rômulo, é exatamente esta a intenção da postagem. Falar um pouco dos bastidores e da recepção da música.

  49. felipe 19 de janeiro de 2013 at 1:01 - Reply

    muuuuuito bom, cara!! depois faça um com mais musicas pra gente!! abraço

  50. Calex 21 de janeiro de 2013 at 1:03 - Reply

    Parabéns! Faz uma parte dois com mais 10 músicas. =)

  51. Antônio 29 de janeiro de 2013 at 0:34 - Reply

    Divulgando o livro Juvenil Por trás das cortinas que aborda a ditadura militar para jovens leitores http://www.facebook.com/LivroPorTrasDasCortinas?fref=ts

  52. Vagner 10 de fevereiro de 2013 at 8:21 - Reply

    e o que dizer da Jovem Guarda??
    Já vi alguns professores dizerem que era um movimento de direita (sem conteudo de protesto) e outros dizerem que tocavam Rock que por si só já era uma forma de protesto.

    • Michel Goulart 10 de fevereiro de 2013 at 8:49 - Reply

      O Brasil é um país às avessas. Aqui, o rock foi alienado e, a MPB, uma forma de protesto. Claro que não dá para generalizar, pois o rock mesclado de Raul Seixas foi utilizado, muitas vezes, como protesto.

  53. Vagner 10 de fevereiro de 2013 at 9:43 - Reply

    concordo Michel, nao da para pensar que coisas do tipo:

    “Só quero que você me aqueça nesse inverno
    E que tudo mais vá pro inferno”

    seja algum tipo de protesto…

  54. Marcinha 13 de fevereiro de 2013 at 18:18 - Reply

    Ola achei o site interessante parabens por seu tratbalho me ajudou muito em uma pesquisa de uma disciplina mas,seria possivel me orientar mais um pouquinho a falar mais sobre a dec de 70 ?tenho que apresentar um trabalho sobre uma musica que retrate atraves da letra uma realidade da epoca…Obrigada!

    • Michel Goulart 13 de fevereiro de 2013 at 21:26 - Reply

      É só pegar uma das músicas da déc. de 1970, citada no artigo, e apresentar o contexto histórico.

  55. Celio 27 de fevereiro de 2013 at 8:27 - Reply

    Gostaria de saber se vocês têm conhecimento de algum outro site onde possamos ter acesso a história da origem de outras músicas…

    • Michel Goulart 27 de fevereiro de 2013 at 13:35 - Reply

      Não conheço, Celio. Pretendo, futuramente, trabalhar história da música na República Velha, Era Vargas e Período Democrático.

  56. isabela vendramini peteck 7 de março de 2013 at 13:33 - Reply

    odiei!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  57. Milena 10 de março de 2013 at 18:13 - Reply

    Valeu!Ajudou no meu trabalho da escola!Caminhando e cantando…

  58. Luci 11 de março de 2013 at 15:09 - Reply

    Parabéns pelo site e pelas explicações das músicas!! Excelente! Eu não conhecia o significado real de muitas dessas canções!!!

  59. felipe bilik 17 de março de 2013 at 15:08 - Reply

    muito obrigado isso caio em um trabalho de geografia =)

  60. Terezinha 29 de março de 2013 at 19:38 - Reply

    Eu vendo esse site tão bem elaborado e pra completar a Globo News com o documentário de Caetano e Gil. História e Arte incrível.

  61. Luciomar Santos 31 de março de 2013 at 13:20 - Reply

    Interessante, visto que sempre gostei, mas não vivi à época para saber o fundo político dessas canções.

  62. Braz 31 de março de 2013 at 20:29 - Reply

    Prezado Michel: Procuro por uma música que era muito tocada no final dos anos 70 e início dos 80. Ela ia assim: Chega, tira a mão da minha boca, solte …etc.. Era um protesto mas não consigo me posicionar corretamente sobre ela. Quando ví seu site achei que iria voltar ao passado. Obrigado só por teres feito o site. Sei o trabalho que deu. Braz.

  63. Vanessa 6 de abril de 2013 at 23:38 - Reply

    Estou fazendo meu TCC sobre a Ditadura Militar. Sou estudante de direito e o tema é relacionado à Ditadura e Tortura. Adorei ouvir as músicas, afinal sou apaixonada pela MPB. Está de parabéns pelo site! Pode ter certeza que fará parte das minhas referências do TCC!

  64. Lucas 10 de abril de 2013 at 19:01 - Reply

    Obrigado mesmo… Me ajudou muito no meu trabalho da escola e ainda sim me interessei muito pelo assunto. Valeu 😀

  65. fabio 11 de abril de 2013 at 22:02 - Reply

    A minha preferida é uma do gonzaguinha ‘comportamento geral’

  66. Samuel Diego 20 de abril de 2013 at 21:00 - Reply

    Cada Musicas desta representa uma fase da historia do de nosso pais aonde não se tinha liberdade de expressão ou de escolha e quando escuto mesmo não tento vivido esta época mais sendo um jovem hoje socialista,faz com que minhas esperança que podemos ter um pais livre totalmente de seus pré-conceitos e com oportunidade para todos nos jovens podemos fazer esta mudança se começarmos a falar o que queremos de verdade.

  67. Gilce Verissimo 25 de abril de 2013 at 10:46 - Reply

    Muitas músicas não estão aó,como por exemplo “cavaleiro da esperança” de Taiguara.muito significativa ,homenageando o Carlos Prestes, presieente do partido comunista, na época na clandestinidade.De qualquer modo, parabéns pela iniciativa!

  68. Honassio 26 de abril de 2013 at 9:43 - Reply

    Companheiros, acabaram de ver essas celebridades, agora imagina o que esses artista passaram nesta época. Meu Deus, e será que nós não parabenizamo pela essa luta, claro que sim, eu já fuí perseguido, claro, não dessa forma que nossos companheiros artista passaram, mais senti o gostinho dessa opressão, sei mas ou meno o que ele deveriam ter passado em 64, pois a ditadura é cruel, ainda tem alguns fragmentos dessa ditadura nos dias hoje, não tão piores como aquela época, mas parecidos.

  69. marcelo 27 de abril de 2013 at 14:36 - Reply

    adorei do chico buarque continuem assim

  70. Gabriel Warley 2 de maio de 2013 at 22:27 - Reply

    Eu acho que faltou Veraneio Vascaína, mas a lista tá ótima

  71. Cássia 15 de maio de 2013 at 20:41 - Reply

    Michel Goulart, tenho 13 anos e desde já, sei apreciar e sentir as antigas músicas de cantores ótimos como Chico Buarque … Devo dizer que todas as músicas presentes em sua postagen me deixaram entusiasmada a ir atras de outras de cantores ali citados. Òtimas!! Meus sinceros Parabéns!
    Muito bem aplicadas a esse tema, Protesto a Ditadura Militar.

    • Michel Goulart 16 de maio de 2013 at 6:02 - Reply

      Seu eu tivesse a tua inteligência aos 13 anos, hoje eu seria “o cara” 🙂

  72. Sara 23 de maio de 2013 at 21:10 - Reply

    Adorei o post!!! Estava a procura de músicas da época da Ditadura Militar para o meu artigo da pós-graduação. Excelente!!!
    E a sugestão do livro é ótima para aprofundar o tema. Obrigada.

  73. Wemerson 24 de maio de 2013 at 21:04 - Reply

    Olá Michel! Meus parabéns pelo trabalho em relacionar essas dez musicas do período da ditadura. Estou fazendo pesquisas sobre o tema, para o processo de montagem de um espetáculo do grupo do qual participo, “Travessia” . Estamos preparando A Lira dos Vinte Anos para o ano que vem.
    Pode ter certeza que o seu trabalho, colaborou e muito para nossa pesquisa.
    Gde abraço e sucesso sempre !
    Wemerson.

  74. ramon 10 de junho de 2013 at 18:50 - Reply

    Qual o nome que se dá a essas musicas politicas ?

  75. Anne 11 de junho de 2013 at 13:46 - Reply

    Quase tão boas quanto as músicas são as respostas do Michel aos folgados e “pôsers” de plantão.

  76. Ana Lúcia Mathias 19 de junho de 2013 at 6:52 - Reply

    Será que vamos precisar canções como estas, voltar ás ruas e dar à cara para bater. Pintar nossos rostos de verde e amarelo. Vivi dentro da barriga de minha mãe o entre-choque da Revolução de 1964… Nasci um ano antes quando esse enlace já se deslanchava no país. Tive um primo torturado pelo Regime Militar, pois falaram que ele conspirou contra a Pátria. Foi preso, quebrara-lhe quase todos os ossos da perna, mas ele sobreviveu. Escreveu dentro da cadeia tudo que vivenciou neste período e depois que saiu de lá , editou esse livro, contando os horrores desta dita “Ditadura” Hoje, numa cadeira de rodas, vagueia entre seus pensamentos de ontem, passado, viaja no presente que já se foi de sua mente… Muito triste… Hoje, com esses movimentos acontecendo em nosso País. O que podemos concluir de fato, o que estamos à frente dos canais abertos… Polícia Repressora, aumentos absurdos. O cunho político por detrás do Vandalismo que se instaurou por todo o país e nos grandes centros das principais capitais. O que pensar??? Será uma nova Revolução??? Um pedido de Impeachment para a Presidente Dilma??? Estamos no Impasse… Dia 26 é o dia!!! “GREVE GERAL!!! Apoiar esta luta… Eu, 50 anos de história, nunca vi nada tão parecido com esses episódios no Brasil… Agora é torcer para que Povo e Governo entrem num acordo…

  77. Daniela 30 de junho de 2013 at 21:15 - Reply

    Fantástico!

    Não me surpreendo que em época de lek lek lek… o que se ouve nos “protestos contra a corrupção” se ouça a musiquinha da fiat…..

    Desculpe a minha ignorância. Eu não conhecia esse livro. Mas, vou comprar! Obrigada!

  78. Daniela 30 de junho de 2013 at 21:33 - Reply

    Desculpe os erros de portugês no po acima….

    É muito importante conhecer a história para que os mesmos erros não sejam cometidos.

    Adorei seu post.

    E essa “série de protestos contra a corrupção” me assutam um pouco…

    Queimar bandeiras de partidos, gritar para fechar o congresso, se enrolar na bandeira e cantar o hino não me lembram coisas boas.

    Em 1964 A Marcha da Família com Deus pela Liberdade, uma série de manifestações … que serviram de apoio ao regime militar…

    Eu acho que o povo tem que ir pra rua e sim se manifestar, mas com responsabilidade e foco.

    Ir para as ruas só pq é lindo cantar o hino nacional…. parece engrossar algo além dessa percepção…. e esse algo não está cheirando nada bem!

    O que vocês que viveram nesse período da história acham?

    Já ouvi que estou paranóica…. juro que espero que essas pessoas estejam certas… mas eu não sei não.

  79. Marcondes Nogueira 19 de julho de 2013 at 23:24 - Reply

    Obrigado por esta aula que é um verdadeiro alimento cultural muito importante para nos que nascemos pós ditadura, que já nascemos deitados no berço da vitória do povo. Esta que foi conquistada com muito sacrifício e sangue de Homens que defendiam seus direitos e buscavam um país melhor. Me deixa triste ver a decadência das nossas músicas que hoje parecem mais manipuladas pela tv e jornais.

  80. Regina Celi OLIVEIRA 5 de agosto de 2013 at 23:42 - Reply

    Sabemos que os conflitos trazem mudanças, regime militar X estudantes, nos trouxe resultados satisfatórios isso não podemos negar artistas famosos, inteligentes, literatura musical concreta, artistas capacitados para o palco. O que não PREVALECEU foi a herança.

  81. fulano 9 de setembro de 2013 at 17:02 - Reply

    haha todo mundo veio aki pegar a musica pro trabalho de segunda…..

  82. francisco rodrigues 10 de setembro de 2013 at 19:22 - Reply

    muito bom estou fazendo um trabalho sobre esse assunto site muito bom!
    obrigado por ajudar-me!

  83. Jamilli 22 de setembro de 2013 at 21:28 - Reply

    parabens pelo post… pesquisei sobre a musica Caminhando do Geraldo Vandré para fazer um trabalho e vi que seu nome verdadeiro é Pra não dizer que não Falei das flores…Adorei esta musica e já tinha ouvido falar dela.

  84. Prof. Gílberte 24 de setembro de 2013 at 18:33 - Reply

    Estou fazendo uma sequência de leitura e interpretação sobre a ditadura militar e a beleza das músicas da época! Caiu como um luva! excelente vou recomendar a todos
    Prof. Gílberte

  85. pero 2 de outubro de 2013 at 11:12 - Reply

    obrigado HISTORIA DIGITAL você acaba de me ajudar em uma pesquisa de musicas de protesto durante o período da ditadura.

  86. Andréa 5 de outubro de 2013 at 16:49 - Reply

    Olá !

    Sou advogada e professora.
    Estou em estado de estase diante deste site.

    Maravilhoso.

  87. luana 9 de outubro de 2013 at 14:33 - Reply

    muitoo boom…

  88. luana 9 de outubro de 2013 at 14:34 - Reply

    muito top

  89. Nicolau 9 de outubro de 2013 at 19:11 - Reply

    Que merda de “ditadura” quando todos esses degenerados pederastas-“cantores” cantavam contra os militares? Nenhum deses pederastas “cantores” cantou alguma vez em algum pais comunista, porque os ditadores comunistas consideravam esses podres “cantores” como Burgueses Degenerados e Lixo Capitalista!

  90. nina 11 de outubro de 2013 at 19:35 - Reply

    Amei, ouvindo essas músicas eu me sinto mais próxima dos guerreiros que lutaram a favor da democracia na ditadura (tenho 18 anos) valeu por postar, gostei demais!

  91. alexia 17 de outubro de 2013 at 15:19 - Reply

    eu gostei muito adorei essas musicas de antigas adorei serio

  92. lyana leal 19 de outubro de 2013 at 17:57 - Reply

    Excelente !musicas cada dia mais atuais !sera se estamos vivendo numa ditadura disfarcada ?estas musicas parecem tao familiar !!!

  93. Isabella 22 de outubro de 2013 at 18:42 - Reply

    Gostei e quem gostou digita 10

  94. Crítico 31 de outubro de 2013 at 16:57 - Reply

    ”A única coisa qu’eu percebi foi qu’ele é educado com quem lhe convém e ignorante com os menos ”interessados” por que será? (sugestão: Homossexual?)” Já dizia esta música de Shicco Buarck

  95. Mikeias Bithencourt 1 de novembro de 2013 at 10:47 - Reply

    Mto bom, sinto-me estasiado em saber que as pessoas que não viveram esse período tem pleno conhecimento deste ”inferno” .
    Parabéns

  96. Jéssika 12 de novembro de 2013 at 17:10 - Reply

    ? Caminhando contra o vento, sem lenço e sem documento, no sol de quase dezembro, eu vou… ?

  97. Lourdes Cristina 12 de novembro de 2013 at 17:36 - Reply

    Um dos períodos mais tristes da história do nosso país,mas ainda bem que existem pessoas que repassam o que aconteceu para as gerações mais novas(como no meu caso). A arte não morre atravessa o tempo e conta a sua história, espero que o que aconteceu não se repita!

  98. Caroline Goulart 17 de novembro de 2013 at 17:24 - Reply

    Adorei a seleção, especialmente “Pra não dizer que não falei das flores”.. Parabéns.

  99. Pedro 29 de novembro de 2013 at 15:20 - Reply

    “Esta música inclui-se entre as músicas de protesto da fase posterior a 1964.”

    A ditadura começou em 1964, o que torna impossível existirem músicas de protesto contra a ditadura anteriores a 1964, ou seja, não faz sentido dizer “fase posterior a 1964” se não há uma fase anterior.

    • Michel Goulart 29 de novembro de 2013 at 16:43 - Reply

      Poderia sim, contra a ditadura do Estado Novo, na Era Vargas (1937-1945)

  100. Cícero 29 de novembro de 2013 at 15:23 - Reply

    vapor barato, outra baita música

  101. Celso 29 de novembro de 2013 at 16:14 - Reply

    Gostei muito da matéria, mesmo não sendo fã de MPB. Eu acrescentaria a banda punk de Mauá Garotos Podres nessa seleção, eles tiveram muitas músicas censuradas do primeiro cd, em 1982, entre outras.

  102. Cláudia 29 de novembro de 2013 at 17:21 - Reply

    Trabalhei com Apesar de você e com Pra não dizer que não falei das flores com meus alunos esse ano. Eles curtiram. Ótima seleção.

  103. Luiz Arthemio Sarmet 2 de dezembro de 2013 at 19:21 - Reply

    Eu acrescentaria uma outra música que também fez sucesso em um desses festivais, que infelizmente não sei de quem é, nem o nome da música, mas ela fala assim:” Verbas compram balas quando falta educação, gente ainda criança fome explode, agitação. Não foi esse o mundo que eu quis, mas bem cedo eu sei, muda o tempo e é hora dessa gente ser feliz”!

  104. Luiz Roberto Couto Pereira 3 de dezembro de 2013 at 8:32 - Reply

    Excelente seleção de musicas e compositores. Gostei de mais. Para quem queria uma do Gilberto Gil recomendo Procissão onde ele diz nos versos finais “Meu sertão continua ao Deus dará. Mas se existe Jesus no firmamento cá na Terra isso tem que se acabar”. Do Vandré ajuntaria Réquiem para Matraga, Aroeira e Fica Mal com Deus entre muitas outras. Uma ligeira correção: Para não dizer que não falei de flores (Caminhando) porque reclamavam que suas mùsicas eram tristes, não foi do Festival da Record mas do Internacional da Canção de 68, quando a vencedora “Sabià” de Chico Buarque e Tom Jobim foi vaiada pelo pùblico que não aceitou o segundo lugar que lhe deram. Sua grande diferença em relação às demais é que ela não mais falava que a libertação da ditadura “um dia vai chegar” mas, ao contràrio, “esperar não é saber, quem sabe faz a hora, não espera acontecer”

  105. Luiz Roberto Couto Pereira 3 de dezembro de 2013 at 8:51 - Reply

    Cada um lembrarà sua canção favorita e pra mim a grande ausência é “Carcarà” de João do Vale com a Betânia cantando em alta voltagem.

  106. Florinda Lombardi 4 de dezembro de 2013 at 9:24 - Reply

    Queria sugerir uma pesquisa a vocês. Um disco de Taiguara chamado Voz da América, alguém viu ou ouviu? É lindo! Foi recolhido por ocasião de 1973…

  107. Jersey Nazareno 4 de dezembro de 2013 at 12:37 - Reply

    Uma pena serem somente 10 músicas. Da melhor qualidade.

  108. Isadora Jardim Salazar 4 de dezembro de 2013 at 19:08 - Reply

    Na realidade, em um documentário, Chico Buarque nega que a canção “Jorge MaravIlha” tenha sido feita para Geisel, como outros internautas já mencionaram. Tirando isso, a matéria foi muito boa, relatou um dos períodos mais importantes para a MPB em minha opinião! Meus parabéns!

  109. ana cristina 4 de dezembro de 2013 at 21:24 - Reply

    muitas foram as musicas que marcaram uma epoca da nossa historia que muitos desconhecem ou ignoram conhecer pois sao omissos aos fatos. Essas musicam foram perfeitas pois retratam a verdadeira ousadia doas que estavam no poder.

  110. ana paula 5 de dezembro de 2013 at 12:14 - Reply

    estudei sobre isso e achei muito interessante

  111. ana paula 5 de dezembro de 2013 at 12:17 - Reply

    saber um pouco do passado do nosso pais é nessesário

  112. Xislene 8 de dezembro de 2013 at 21:33 - Reply

    Muito boa a discussão em torno do assunto e das informações apresentadas. Mas deixo aqui uma reflexão quanto a “descaracterização” de protesto nas músicas atuais. Sou professora e como tal utilizo músicas como ferramenta para trabalhar conceitos. E considerando que hoje não temos uma ditadura militar (apesar de existir outros tipos de ditadura) ainda temos muito o que protestar e nossa sociedade vem fazendo isso com relação a questão étnico-racial, do homossexualismo, etc. são assuntos de relevância política sim, mas contudo são pertinentes à discussões que permeiam nossas relações sociais. E portanto, há protesto nas letras das músicas de cantores e bandas como “O RAPPA”, “BA KIMBUTA”, RACIONAIS, etc… portanto é uma reflexão que proponho a respeito da “não existência” de canções de protesto….DO MAIS…ESTOU INDO EMBORA..
    PARABÉNS PELA DISCUSSÃO E INICIATIVA.

  113. ANTONIO MOACIR LOMBA FERREIRA 13 de dezembro de 2013 at 19:55 - Reply

    Deveria constar em currículos escolares essa triste página da nossa história, não para fazer nós sofrermos, sim para que quem não viveu essa maldita ditadura, tenha noção dos estragos feitos, as sequelas fisicas e morais, só quem passou assim como eu é que sabe como foi duro para chegar até aqui, parabéns por esse site, se liga Brasil nossa história também é cultura.

  114. marilia 1 de abril de 2014 at 10:46 - Reply

    Independente de serem musicas de protesto,são musicas inesquecíveis e servem para mostrar que ideias podem ser defendidas com palavras e não com atos de ignorância e vandalismo.

  115. Deyze Etec 3 de abril de 2014 at 13:37 - Reply

    Amei embora tenha só 13 anos conheço bastante musicas dessa lista

  116. gustavo 14 de maio de 2014 at 12:34 - Reply

    E legiao Urbana ? Que pais e esse

  117. Nicolau 17 de maio de 2014 at 21:33 - Reply

    Esses pederastas, bichas, boiolas, drogados, cachaceiros, degenerados e patifes, hoje milionários, “combateram” os militares?! Os militares esqueceram de mandar balas no rabo desses viados!

  118. gaby 19 de maio de 2014 at 23:21 - Reply

    Gostei muuuito, me ajudou bastante no meu trabalho. OBRIGADA!

    Se você tiver algum tempo poste outras músicas da ditadura militar, por favor! Gostaria de conhecer outras
    😀

  119. andrei luiz thome 16 de junho de 2014 at 18:40 - Reply

    Excelente trabalho, mto mto mto bom.

  120. Christiano Pestilli 20 de junho de 2014 at 15:58 - Reply

    Parabéns Michel, trabalhos como este deviam ser realizados com mais frequência assim não deixariamos que tais fatos caíssem no esquecimento. Para reforçar sua lista acho bacana lembrar de “Pois é pra que” e “Eu quero é botar meu bloco na rua”…meus parabéns pelo excelente trabalho de exercício de cidadania!!!

  121. Tuane vaz messias 29 de junho de 2014 at 21:29 - Reply

    Muito bom,adorei o post !!!

  122. Nicolau 11 de julho de 2014 at 21:18 - Reply

    “MUSICA” DE PEDERASTAS MILIONÁRIOS! PARASITAS ODEIAM REGIME MILITAR! PARASITAS VOTAM SÓ NO PT , MENSALÃO E TERRORISTAS!

  123. Jonas costa monteiro 16 de setembro de 2014 at 16:54 - Reply

    Muito bom! Me ajudou muito na minha feira cultural. Que retratava exatamente a ditadura militar. E eu como sou fã de MPB, amei o tema… Hehehe

  124. Raizinha 8 de outubro de 2014 at 15:45 - Reply

    Olá, excelente material, me ajudou muito para uma aula sobre a música como protesto na ditadura militar.Gostaria de saber se posso usar o material com meus alunos.

  125. Marcelo 9 de outubro de 2014 at 17:52 - Reply

    gostei ajudou muito no meu trabalho escolar

  126. Carol 21 de outubro de 2014 at 19:18 - Reply

    Músicas feias e bregas mas me ajudou 🙂 Valeu aí homi ! uahsuah

  127. gloria 12 de novembro de 2014 at 9:15 - Reply

    😀 :*

  128. bianca 18 de novembro de 2014 at 18:11 - Reply

    muito bom precisava fazer o trabalho da escola muito obrigado HISTORIA DIGITAL

  129. Nicolau 27 de janeiro de 2015 at 22:03 - Reply

    Imbecilidade sobre “músicos” sem voz, cachaceiros, drogados e pederastas!

  130. Bárbara 25 de setembro de 2015 at 22:09 - Reply

    Gostaria de sua referencia, para por em um trabalho meu… Ótimo

  131. Igor Santos 23 de outubro de 2015 at 15:57 - Reply

    Adorei a lista, sou um professor de história novo(23), comecei a dar aulas esse ano, irei usar algumas musicas em minhas aulas sobre a ditadura militar, obrigado =D

  132. Gabriel 26 de outubro de 2015 at 21:00 - Reply

    faltou 1965, de legião urbana.

  133. vitor 4 de novembro de 2015 at 14:38 - Reply

    gostei e isso ajudara no meu trabalho sobre a ditadura

  134. Carlos gomes 22 de dezembro de 2015 at 15:28 - Reply

    Qualquer música pode hoje ser alçada à categoria de protestar contra o regime militar, engraçado que hoje não se ouve um pio sobre o desgoverno civil. Estas bobeiras foram enterradas nas cabeças das gerações posteriores e não tiveram nem um resultado positivo. Mas dizer que Jorge Maravilha é música de protesto ultrapassou toda as asneiradas anteriores.

  135. Souza 27 de janeiro de 2016 at 0:45 - Reply

    Que riqueza de post, parabéns!

  136. ingla 24 de agosto de 2016 at 21:41 - Reply

    gostei muito .
    tudo otimo…

  137. Rogério 20 de setembro de 2016 at 11:10 - Reply

    Tuas informações são na maioria das vezes sem fonte confiável. Acho que tu te esforça, mas poderia te preocupar mais com as fontes. A música do Chico foi feita para o Médici. Quando tu fizeres um mestrado pode ser que te ensinem a pesquisar.

  138. vivaldo santos 21 de setembro de 2016 at 17:56 - Reply

    na verdade na situação que está o nosso pais o povo deveria sair mais a rua para luta por mudança cobrar desses filhos da puta moradia emprego saúde educação trabalho e os artista fazerem musicas de protesto contra esse sistema corrupto que é o Brasil mas o povo aceita essa situação calado como já dizia Zé Ramalho e vida de gado povo marcado eh povo feliz acorda Brasil vamos lutar pelos nossos direitos

  139. Carolina Alkmim 27 de setembro de 2016 at 15:33 - Reply

    Eu vou usar isso pra minha aula 5 ano e parabéns pelo seu Post

  140. pedret 18 de outubro de 2016 at 14:50 - Reply

    oiiiiiii! ameiiiiii

  141. Liane 31 de dezembro de 2016 at 0:03 - Reply

    O que tu achas de Proteção às Borboletas, do Benito di Paula? Te pergunto porque quando ouço os primeiros versos (eu sou como a borboleta /tudo o que eu penso é liberdade /não quero ser maltratado /nem exportado desse meu chão )não consigo deixar de pensar em uma crítica à repressão durante a ditadura militar

  142. Leo 23 de fevereiro de 2017 at 23:01 - Reply

    Oi, você pode me indicar algumas musicas que falam sobre revoluções populares? Como Ponteio do Edu Lobo? Músicas do gênero.

  143. Astolfo 28 de abril de 2017 at 13:54 - Reply

    Tempos em que havia luta pelos direitos. Será que foi em vão pois estamos se tornando fracos

  144. Rosa Virginia 25 de maio de 2017 at 10:27 - Reply

    Muito bom! Parabens!!

  145. leo 7 de agosto de 2017 at 21:56 - Reply

    Deem nome aos bois – Dead Fish, contemporânea porém sobre a remática.

  146. Damares Guimarães dos Santos 29 de setembro de 2017 at 12:54 - Reply

    A música Garota de Ipanema foi importante para a história do Brasil?Essa música foi feita durante a ditadura militar.

  147. Grigorio 3 de outubro de 2017 at 22:13 - Reply

    Com certeza, foi tudo em vão no tange ao social. Era um grupo de pessoas, que viviam muito bem, interessadas numa liberdade irrestrita. Atualmente se tem essa liberdade paga a peso de ouro, os governantes (politiccos) e aquelas pessoas continuam vivendo bem a custa de uma pobreza desenfreada, por conta da ursupação do dinheiro público, estão milionários. Tem algum militar milionário?

  148. Ana ju 18 de outubro de 2017 at 7:54 - Reply

    adorei! estou usando na meu trabalho da escola do 5 ano sobre ditadura militar.

  149. Ana ju 18 de outubro de 2017 at 8:02 - Reply

    mas faltaram 64 músicas

  150. Amanda 27 de outubro de 2017 at 10:00 - Reply

    Muito bom.

Leave A Comment

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.