10 temas de Atualidades para o Enem 2012

Home » Vestibulares » 10 temas de Atualidades para o Enem 2012

Navegando no Universia, encontrei uma dica muito legal, que vai ajudar os candidatos que vão fazer o Enem. O referido site entrevistou dois professores de cursinho pré-vestibular, Dario Feltrin e Célio Ricardo Tasinafo, que deram uma sugestão sobre 10 temas de atualidades que podem cair no Enem 2012.

Logo do Enem 2012

Algo que achei interessante é que, na entrevista, os dois professores lembraram que, apesar de Atualidades não ser uma área cobrada diretamente no Enem, estes temas podem aparecer em questões de História ou Geografia, de forma interdisciplinar. Assim, é importante conhecer o contexto histórico por trás dos temas abaixo.

Temas de Atualidades

Galera, os links que aparecem nos temas abaixo foram inseridos por mim e direcionam para algum artigo do História Digital.

1- Guerra das Malvinas

Três décadas após a guerra entre a Argentina e Reino Unido pela soberania das Ilhas Malvinas ou Falklands, a presidente argentina Cristina Kirchner reivindica as ilhas. “É um tema evidente para explorar o nacionalismo dos argentinos – tal como tentado pelo governo militar daquele país em 1982”, explanam os docentes.

2- Haiti

A pobreza no Haiti agravada pelo terremoto que devastou o país em 2010 tem consequências no Brasil. Muitos se mudaram para terras brasileiras a fim de encontrarem uma vida melhor. “Estima-se que cerca de 4 mil haitianos vivam no Brasil, 40% deles em situação irregular. O governo brasileiro, cedo ou tarde, terá de enfrentar a discussão sobre uma política de imigração para o país, principalmente pelo fato de nossa economia se apresentar em desenvolvimento, atraindo imigrantes de outros países latino-americanos, já que, além de haitianos, há um grande contingente de bolivianos vivendo no território brasileiro, muitos deles em condições bastante precárias”, explicam os professores.

 3- Crise na Zona do Euro

A crise na Europa tem assustado investidores e posto em xeque a existência do Euro, moeda única europeia. “Destaque para os PIIGS, grupo formado por Portugal, Irlanda, Itália, Grécia e Espanha – países com situação econômica mais crítica na zona do Euro (moeda única europeia). Isso porque houve certa irresponsabilidade fiscal por parte dos seus governos na última década – gastaram muito mais do que arrecadaram em impostos e aumentaram muito a dívida pública com relação ao PIB. Desde o ano passado, a expectativa geral do mercado internacional é que crescem as chances dos membros do PIIGS deixarem de pagar os juros e serviços de suas dívidas ou ainda não conseguirem honrar o resgate de títulos públicos. Tais expectativas aumentaram ainda mais, após a deflagração da crise na Grécia (cuja economia foi temporariamente “salva” graças a um aporte de capital da União Europeia, à renegociação de suas dívidas com seus principais credores e a um amargo e impopular pacote de corte nos gastos públicos)”, discorrem os dois professores.

4- Comissão da Verdade

Com a recente manifestação do governo sobre o impedimento da apuração do caso Vladimir Herzog em razão da Lei da Anistia, o assunto da Ditadura e da Comissão da Verdade ganhou novo fôlego. “Promovida pelo governo brasileiro no intuito de investigar abusos de direitos humanos cometidos durante a ditadura militar (1964 – 1985), a Comissão da Verdade pode ser um tema de redação”, palpitam Dario Feltrin e Célio Ricardo Tasinafo.

5- Novo Código Florestal

“Depois de 47 anos, o Brasil terá um novo Código Florestal, o conjunto de leis que define regras para a produção agrícola e para a preservação ambiental. O texto anterior, de 1965, sofreu uma série de remendos ao longo das décadas e há muito tempo não cumpria seus principais objetivos. De um lado, defasado e desconectado da realidade atual, limitava o desenvolvimento do setor agrário no país; de outro, por ser amplamente desrespeitado, não servia para impedir o desmatamento”, afirmam os professores.

6- Monarquia Constitucional

Com o aniversário de 60 anos da Rainha Elizabeth do Reino Unido, também conhecido como jubileu de Diamante pode despertar questões históricas: “O jubileu de Diamante (60 anos) da Rainha Elizabeth II do Reino Unido pode levar à cobrança de questões sobre as diferenças entre regimes absolutistas (soberania política concentrada totalmente nas mãos do Monarca, que acumula as funções de chefe de estado e chefe de governo) e as monarquias constitucionais (o monarca é chefe de estado, mas o governo é exercido pelo primeiro – ministro e seu gabinete, definidos a partir da maioria parlamentar)”, explicam os professores da Oficina do Estudante.

7- Conferências da ONU sobre meio ambiente

Com a recente conclusão da Rio+20, o Enem e os vestibulares podem pedir questões sobre as conferências anteriores sobre meio ambiente. Os professores aconselham: “o estudante deve ficar atento a perguntas sobre: conferência de Estocolmo (1972); Eco 92 (Rio de Janeiro) e Rio+10 (Johanesburgo). Além disso, protocolos internacionais sobre temas relacionados à preservação ambiental também são importantes, como por exemplo, o protocolo de Kyoto sobre a emissão dos gases relacionados ao efeito estufa (1997)”.

8- Processos de nacionalização de hidrocarbonetos em países latino americanos

Desde 1998, ano em que Hugo Chávez começou um processo de estatização das empresas exploradoras de petróleo na Venezuela, o tema tem sido recorrente na América Latina. “Em 2012, o presidente Evo Morales acelerou as nacionalizações na Bolívia e o mesmo caminho foi tomado por Cristina Kichner na Argentina”, assinalam os docentes.

9- Produção de energia hidrelétrica no Brasil e a usina de Belo Monte

“Tema recorrente nas provas de vestibular. A polêmica construção da Usina de Belo Monte na bacia do Rio Xingu e todos os impactos socioambientais a ela relacionados devem aparecer em vários exames”, apostam.

10- Rios Voadores

Como explicam os professores, “as chuvas que ocorrem no Brasil não são provenientes apenas da umidade que vem do oceano Atlântico e se condensa no continente. Boa parte delas se origina da evaporação e da transpiração da floresta Amazônica, que formam uma quantidade enorme de vapor de água que se desloca da região Norte até o Sul do país. Esses vapores são transportados pelos ventos até a cordilheira andina, que funciona como uma barreira natural e redireciona o percurso da umidade para o Norte da Argentina, o Uruguai, o Sul e o Sudeste do Brasil”. O tema tem relevância atual porque influencia nas temperaturas e no clima de duas regiões brasileiras. A pergunta, portanto, fica: o que acontecerá com o clima destes estados com a crescente devastação das matas amazônicas? Talvez você enfrente esta questão em uma redação de vestibular ou no próprio Enem.

By | 2014-01-26T08:23:35+00:00 9 de agosto de 2012|Categories: Vestibulares|Tags: , , |0 Comments

About the Author:

Professor, historiador e blogueiro, já trabalhei em algumas das maiores escolas públicas e particulares de Santa Catarina. Comecei a lecionar em 2001, sempre preocupado com um ensino caracterizado pela criatividade e inserção de novas tecnologias e metodologias variadas em sala de aula.

Leave A Comment