Home/Curiosidades/10 mulheres guerreiras imbatíveis

10 mulheres guerreiras imbatíveis

março 4th, 2012|Curiosidades|51 Comments


Como março é o mês das mulheres, nada mais justo do que abordar aspectos da história das mulheres, tema muitas vezes negligenciado nos currículos escolares. Já publicamos aqui sobre 10 mulheres superpoderosas. Também vimos as mulheres bombando em 50 conquistas históricas das mulheres. A lista de hoje aborda grandes mulheres guerreiras, que se destacaram na História. Para estar na lista, dois requisitos: a mulher teve que ser alguém que lutou diretamente em campo de batalha; e tem que ter existido realmente. Esta lista foi extraída e adaptada do Listverse.

1- Judite

Pintura de Judite cortando cabeças

Judite foi uma rainha não-cristã que governou o reino etíope de D’mt por volta de 960. Ela dominou o antigo reino de Axum, então capital sagrada da Etiópia. Ela foi responsável pela destruição de monumentos, igrejas e tentou eliminar todos os membros da dinastia que reinava, descendentes da rainha de Sabá.

Suas ações foram registradas pela tradição oral e em vários outros registros históricos. Acredita-se que ela matou o imperador e assumiu o trono por 40 anos. Relatos de sua violência e crueldade ainda são contadas pelos camponeses nas comunidades do Norte da Etiópia. Segundo as tradições, ela saqueou e destruiu Debre Damo, local sagrado dos antigos reis da Etiópia.

2- Triêu Thi Trinh

Pintura de Trieu-Thi-Trinh montando um elefante

Triêu Thi Trinh foi uma guerreira vietnamita do séc. III, que conseguiu resistir às forças de ocupação do Reino Wu. Ela nasceu na província de Thanh Hoa, no norte do Vietnã. Quando ela nasceu, sua província era controlada pelo Reino Wu, um dos três grandes reinos da China. Triêu ficou órfã muito cedo e foi tratada como escrava até os 20 anos.

Ela conseguiu fugir para a floresta e montou um exército de 1000 guerreiros, entre homens e mulheres. Com este poderio, conseguiu libertar uma área do Vietnã do domínio chinês. Com 23 anos, já havia derrotado por volta de 30 batalhões Wu. Alguns documentos dizem que Triêu surgia em batalha montada em um elefante, vestindo uma armadura dourada e brandindo duas espadas.

3- Budica

Pintura de Budica montando uma biga

Budica foi rainha dos Icenos, povo britânico que liderou uma rebelião contra as forças de ocupação do Império Romano, no séc. I. Ao morrer, seu marido havia deixado seu reino para ser governado por uma aliança que envolvia suas filhas e o imperador romano. Porém, os romanos não reconheceram a aliança e assumiram controle total sobre o reino. Na ocasião, Budica foi açoitada e suas filhas foram estupradas.

Mais tarde, ela foi escolhida para liderar seu povo num ataque contra os romanos. Seu exército teve grande sucesso no ataque e destruiu completamente as cidades de Colchester e Londres. Segundo Tácito, o exército de Budica não fazia prisioneiros. Qualquer um que cruzasse seu caminho era simplesmente exterminado. Já Dio Cassius relatou que as mulheres nobres romanas eram decapitadas e tinham os seios cortados e costurados à boca. Ironicamente, há uma estátua de Budica na cidade que ela mesma destruiu.

4- Irmãs Trung

Pintura das Irmãs Trung montando elefantes de guerra

As irmãs Trung foram líderes militares vietnamitas que conseguiram repelir invasões chinesas por três anos seguidos. Elas são consideradas heroínas nacionais no Vietnã. Elas nasceram no séc. I, durante os mil anos de ocupação chinesa. Após lutar contra uma pequena unidade chinesa na aldeia em que viviam, elas montaram um exército formado exclusivamente por mulheres.

Dentro de poucos meses, elas tomaram de volta muitas aldeias das mãos dos chineses e libertaram o Vietnã. Elas se tornaram rainhas e repeliram os ataques chineses durante dois anos. No entanto, a China armou um grande exército para esmagar as irmãs e, apesar do esforço das mulheres guerreiras, o exército chinês foi vitorioso. Para evitar humilhação nas mãos do inimigo, as irmãs Trung cometeram suicídio, afogando-se no rio Day.

5- Artemísia I de Cária

Foto da escultura de Artemisia I, de Cária

Artemísia I de Cária se tornou governante da Jônia, cliente dos persas. Ela é lembrada por sua participação na Batalha da Salamina, no contextos das Guerras Médicas. Ela mesmo aconselhou o rei Xerxes a não confrontar os gregos pelo mar. Porém, o rei ignorou o seu conselho e ela participou da batalha comandando cinco navios, em 480 a.C. Em determinado momento, os gregos estiveram próximos de capturar o seu trirreme, quando ela pensou em um plano ardiloso para fugir.

Rapidamente, ela afundou um navio persa, fazendo os gregos pensarem que ela estava lutando ao lado deles. Assim, deixaram-na em paz. Xerxes, assistindo de uma colina próxima, achou que ela tivesse afundado um navio inimigo, e elogiou sua bravura. O rei persa ficou tão orgulhoso, que disse: “Meus homens se transformaram em mulheres, e minhas mulheres em homens”. Artemísia tentou convencer Xerxes a recuar para a Ásia Menor, contrariando os conselhos de outros generais. No fim, os persas sofreram uma grande derrota.

6- Fu Hao

Pintura de Fu Hao fazendo preces

Fu Hao foi uma consorte do rei Wu Ding, da dinastian Shang, por volta de 1200 a.C. Ela também foi alta sacerdotisa e general militar, algo incomum no seu tempo. Sua tumba foi descoberta intacta em Yinxu, com os tesouros conservados. Os estudiosos modernos encontraram registros sobre ela em inscrições em artefatos em osso. Estas inscrições mostram que ela liderou várias campanhas militares.

Os vizinhos Tu lutaram contra os Shang durante muitas gerações, mas Fu Hao os venceu em uma única batalha. Ela ainda liderou outras campanhas contra os vizinhos Yi, Qiang e Ba, sendo que a batalha contra estes últimos representou a maior emboscada registrada na História da China. Com um exército de 13 mil soldados, ela foi a maior líder militar do seu tempo.

7- Ah-hotep I

Pintura de Ah Hotep em um tumba mortuária

Ah-hotep I foi uma figura tão importante no período do Novo Império, que chega a ser considerada, pelos estudiosos, como a principal fundadora da 18ª Dinastia do Egito, no séc. XVI a.C. Ela teve uma vida longa e influente e governou como regente após a morte de seu pai. Neste período, permitiu que seus dois filhos – Kamose e Ahmose I – unificassem o reino após a expulsão dos hicsos. Aliás, ela foi uma das responsáveis pela expulsão deste povo do Egito.

Viveu até os noventa anos e foi enterrada ao lado de Kamose, em Tebas. Armas e jóias encontradas na tumba de Ah-hotep I incluem um machado retratando Ahmose I derrubando um soldado hicso e voando em direção à rainha, o que reforça o seu papel na expulsão dos hicsos. Desta forma, ela ficou conhecida como a rainha guerreira. Ela foi homenageada com uma estela, encomendado por Ahmose I no templo de Amon-Rá, que elogia seus feitos militares.

8- Joana d’Arc

Pintura de Joana D'Arc sendo queimada

Joana d’Arc é considerada uma das mulheres mais fortes e guerreiras que o mundo já conheceu. Nasceu em 1412, no vilarejo de Domrémy, França. Ao completar 13 anos, a jovem passou a ouvir vozes sagradas, que diziam que a menina deveria salvar a França dos ingleses. Isto ocorreu no ápice da Guerra dos Cem Anos, conflito que se iniciou em 1337 e teve fim em 1453. Tendo Joana completado 16 anos, o rei Carlos VII – ainda não coroado – a equipou e abençoou no cerco de Orleans.

Apesar de estarem em menor número, os franceses contavam com a força, coragem e garra de Joana. A batalha durou alguns dias e os ingleses recuaram. Depois de várias vitórias, Joana coroou Carlos VII, em 1429. Ela foi a única pessoa registrada a comandar o exército de uma nação com apenas dezessete anos. Ela foi julgada por heresia em um falso tribunal e queimada na fogueira. Seu julgamento foi declarado inválido pelo Papa, e ela foi canonizada como santa muitos anos mais tarde.

9- Zenóbia

PIntura de Zenóbia olhando para os seus súditos

Zenóbia governou a Síria de 250 a 275. Ela liderava seu exército montada em um cavalo, com armadura completa. Durante o reinado do imperador romano Cláudio, ela impôs uma derrota tão avassaladora sobre as tropas romanas, que as legiões tiveram que recuar rapidamente para a Ásia Menor. Arábia, Armênia e Pérsia aliaram-se a ela e a declararam rainha do Egito.

Aureliano, sucessor de Cláudio, enviou seus melhores guerreiros para derrotar Zenóbia, mas foram necessários quatro anos de cercos e batalhas para que Palmira – então capital da Síria – fosse conquistada. Zenóbia e mais nove rainhas de províncias aliadas foram capturadas e levadas pelas estradas romanas, presas em correntes. Algum tempo depois, sob ordens de Aureliano, Zenóbia foi exilada em Tibur, mas sua família influenciou a política romana por muitas gerações.

10- Tamara da Geórgia

Pintura do rosto de Tamara, da Geórgia

Tamara foi a filha do rei George III, da Geórgia. Seu pai a declarou co-governante e herdeira, aparentemente para prevenir disputas após sua morte. Após a morte de George III, Tamara ganhou a reputação de líder excepcional e foi apelidada de “Rei dos Reis e Rainha das Rainhas”, por seu povo.

Tamara desempenhou papel ativo na condução de seu exército. Durante seu governo, a Geórgia atingiu o ápice político, cultural e econômico. Entre 1201 e 1203, os georgianos conquistaram e anexaram as capitais armenas de Ani e Dvin. Em 1204, o exército de Tamara ocupou a cidade de Kars. Neste mesmo ano, Tamara ajudou a fundar o Império de Trebizonda, na margem sul do Mar Negro. Faleceu em 1213.

51 Comments

  1. klaus do iate 7 de março de 2012 at 10:40 - Reply

    Muito legal da parte de vocês colocar Ah-hotep e Artemisia da Caria na lista, sao minhas prediletas. Tb foi legal nao colocarem Cleopatra VII que afinal só liderou batalhas vitoriosas com Cesar (para esmagar seu irmao-marido Ptolomeu) e com Antonius para esmagar uns pobres reizinhos que resolveram apoiar Otavianus ou os partios. Ha uma rainha da Nubia que expulsou os romanos de Galus, prefeito do Egito, chamada Candace, mas parece que este era um nome titular e nao seu nome verdadeiro, que é conheicdo, eu que nao lembro. Os arqueiros nubios de Candace eram tao bons que os romanos os chamavam de ” furadores de pupilas”.

  2. Juliana Borém 7 de março de 2012 at 22:38 - Reply

    Excelente homenagem Michel! Sou sua fã!

  3. Fatima Regina Fagundes 11 de março de 2012 at 10:33 - Reply

    Parabéns pelas colocações acima!
    Ah-hotep foi uma das mulheres incríveis na época.

  4. klaus do iate 14 de março de 2012 at 11:28 - Reply

    Ha um romance historico a venda atualmente nas grandes livrarias (Travessa, Saraiva, Nobel, Davinci), narrando a vida de Boudica. Lembra o estilo de Bernard Cormwel narrando sobre Arthur. É romance, nao livro de historia. E tem um acento mistico espiritualista, mas a descricao de época e boa e quem gosta de acao vai achar interessante.

  5. klaus do iate 15 de março de 2012 at 9:13 - Reply

    De nada , Michel a. Qto ao noma da candace que venceu os romanos de Galus e impediu conquista da Nubia tá aqui, é um texto de um irmaozao meu da comunidade Antiga Era, um egiptologo brasileiro Robson:

    A primeira Candace, do qual se sabe a existência, foi Bartare, provavelmente irmã de Arqamani (218-200 AEC), tia-sogra e mãe adotiva de Tabriqo ou Adikhalmani (200-190 AEC). Ela, em sua pirâmide e templo funerário se atribuía os títulos (com respectivos nomes) de “Rei do Alto e Baixo Egito”, “Filho do Sol”, além do de Candace. Encontrou-se as pirâmides de algumas outras candaces que o tempo não preservou os nomes, mas outras se sabe que reinaram sem o bafo quente de irmão ou sobrinho na nuca, e primeira delas foi uma neta de Bartare, Shanakdakhete (170-150 AEC). No entanto, a mais poderosa de todas, apesar de dividir seu poder com irmão e sobrinho, foi Amanirenas, também conhecida como Amanishabheto (40-10 AEC), que vestiu armadura e comandou seu exército para enfrentar (e vencer) os romanos que queriam se espalhar sobre seu reino depois de terem anexado o Egito. O historiador romano Cássio Dio descreve a candace como “uma mulher-macho sem um olho”. Ela talvez tenha só tido o dissabor de nunca ter conseguido colocar no trono seu filho e melhor amigo Akinidad , apesar de enchê-lo de títulos e cargos importantes. Foi sucedida por sua filha Amanishakheto, que foi ao mesmo tempo candace e “rei”. A neta desta, Amanitore, foi provavelmente a “Candace, rainha dos etíopes”, mencionada na Bíblia, cujo mordomo-mor (um eunuco) foi batizado pelo apóstolo Felipe (Atos dos Apóstolos – 8:27-39).

  6. klaus do iate 15 de março de 2012 at 9:18 - Reply

    Kush/Nubia é um tema de muita discussao. Ficaria no atual Sudao que é o pais que tem maior numero de piramides no planeta, ou era antes da recente triparticao do maior pais africano. As tentativas de traducao do idioma a partir dos hieroglifos kushitas deram um susto nos estudiosos! Elas sugerem que houve uma migracao de ideias do vale do Indo para lá. Além destas influencias o Alto Egito sempre esteve muito ligado a esta regiao. O inicio do culto a Amon, deus maximo de Tebas, pode ter se originado em Kush!! Kush quase sempre foi dominado militarmente pelo Egito , mas houve por um tempo uma inversao e a XXV dinastia é de faraos vindos de Kush!

    • Michel Goulart 15 de março de 2012 at 10:01 - Reply

      Caraca, rapaz, tu manjas muito de história. Me dá umas aulinhas!

  7. klaus do iate 15 de março de 2012 at 10:50 - Reply

    hehehe,
    Michel, Klaus é nome de homem em quqlquer lugar do mundo.

    • Michel Goulart 15 de março de 2012 at 11:18 - Reply

      Ixi, foi mal. Ainda bem que o wordpress permite uma ágil arrumação, hehe.

  8. klaus do iate 16 de março de 2012 at 9:34 - Reply

    hehehe, valeu!
    Antes mais nada quero parabenizar a estrutura deste site, é uma ´pérola do gênero. Meu filho que estuda no sexto ano nao gosta muito de historia ,mas se encantou por ele. De novo parabens professor Michel.

    • Michel Goulart 16 de março de 2012 at 10:15 - Reply

      Você tem um filho? Qual o nome dele? Aliás, vocês são de qual estado?

  9. klaus do iate 2 19 de março de 2012 at 9:38 - Reply

    Daniel,RJ

  10. maria izabel 23 de abril de 2012 at 8:29 - Reply

    eu não conhecia este site mas ja coloquei nos favoritos. parabens pelo excelente trabalho.

  11. Márcio Mesquita 6 de junho de 2012 at 2:41 - Reply

    Faltou a rainha Kahina ou al-K?hina, que foi uma líder militar e religiosa berbere do século VII que liderou a resistência do seu povo à expansão árabe no Norte da África.
    Escorraçou vários exércitos islamicos de volta pro Cairo.

  12. Márcio Mesquita 6 de junho de 2012 at 2:56 - Reply

    E também a rainha Nzinga dos reinos de Ndongo e Matamba que no sec XVII freou a expansão portuguesa em Angola.

  13. Michel Goulart 6 de junho de 2012 at 8:28 - Reply

    Márcio, obrigado pelas contribuições.

  14. Klaus do iate 6 de março de 2013 at 9:12 - Reply

    Mais a respeito da Artemisia. Uma das 7 maravilhas do mundoa ntigo é obra dela. Caria era um estado cliente dentro do imperio persa aquemenida. Era reinado por dois irmãos casados : Mausolo e Artemisia. Quando o irmao-esposo morreu, Artemisia fez um supertumulo para ele: o Mausoleu, na capital cariana, Halicarnasso. Artemisis passou a governar o estado cliente no lugar do irmao. Quando Xerxer convocou as tropas do imperio para a Segunda Invasao a Grecia, ela enviou um pequeno contingente de tropas e barcos e foi tb.

  15. Klaus do iate 6 de março de 2013 at 9:19 - Reply

    Ao contrario do pai Dario I, Xerxes foi até a Grecia para uma invasao maciça capaz de transformar Atenas em cinzas e o resto da grecia em satrapia. Mas por ser uma invasao maciça a um pais pobre em recursos, os impariais depdendiam muito da marinha. Artemisia , viu ANTES da batalha, o risco de atacar a marinha conjunta das cidades-estado gregas em um canal estreito e raso como em Salamina. Artemisi achou que a carta do comandante ateniense Temistokles caputarada pela contra-espionagem persa fosse falsa e contra-indicou o ataque com alguns almirantes fenicios, mas outros conselheiros militares tripudiaram a sua condição de mulher. Xerxes fez um cafuné nela e deu ordem de ataque. Um 1/3 da marinha imperial foi exterminada impossibilitando o trabalho da frota abastecer o exercito persa. Xerxes ficou fulo, deixou 1/3 do exercito persa invernando entre os aliados tebanos e foi embora. No comando deixou seu habiidoso primo Mardonius de quem nao gostava muito. Artemisia se tornou a principal conselheira do xá depois disso.

  16. Klaus do iate 6 de março de 2013 at 9:22 - Reply

    Na foto posta pelo prof Michel estao o casal de irmaos-esposos-reis da Caria, Artemisia é a estatua com face desfigurada. O cara parecido com Jesus é o Mausolo.

  17. Noé Gomes 6 de março de 2013 at 20:13 - Reply

    Parabéns Michel pelo texto

  18. Ame Fundação Mundial de Ecologia 29 de maio de 2013 at 9:17 - Reply

    Mulheres guerreiras estão no MRF-MOVIMENTO REVOLUCIONÁRIO FEMININO. Mandem e-mail para enviarmos o manifesto.
    Gratos
    W.Paioli, presidente AME

  19. elzani nascimento 22 de junho de 2013 at 15:55 - Reply

    amei estas historias .gostaria muito de outos conhcimentos grata.

  20. elzani nascimento 22 de junho de 2013 at 15:55 - Reply

    amei estas historias .gostaria muito de outos conhcimentos grata.

  21. Ricard 22 de julho de 2013 at 14:47 - Reply

    Eu quero saber se essas são uma das 10 mulheres do REINO DE KUSH
    Por favor respondam!!

    • Michel Goulart 22 de julho de 2013 at 14:50 - Reply

      Não entendi a pergunta, Ricard. De qualquer forma, é só ler a biografia de cada uma que aparece o local onde atuou como guerreira.

  22. micaela 24 de setembro de 2013 at 12:05 - Reply

    michel goulart vc fala d+…..cala a boca um pouco!!!!!!

    • Michel Goulart 24 de setembro de 2013 at 13:37 - Reply

      Calma, minha jovem. Eu sou o dono do blog e moderador dos comentários. Assim, preciso responder e fazer as intervenções.

  23. CYBELE ALMEIDA 27 de dezembro de 2013 at 7:37 - Reply

    correção: JOANA D’ARC foi canonizada muitos SÉCULOS depois de queimada…

  24. Vinicius 27 de dezembro de 2013 at 20:36 - Reply

    Parabéns pelo site e por esta postagem. É incrível imaginar que em épocas tão remotas existiam tantas guerreiras intrépidas!

  25. Zé Tapum 28 de dezembro de 2013 at 1:56 - Reply

    …sim senhor, muito bem! Muito bem elaborado o trabalho de casa. 18 Valores. Acerca de “bravura”, estamos conversados. Sobre a “traição”, falta-te a Jezabel… ou porque nem todos os homens se chamam Acab… Por isso não apanhaste um vinte. Bjos.

  26. Klaus do Iate 8 de janeiro de 2014 at 9:13 - Reply

    A historicidade da Judith é questionada até por setores de estudiosos do Velho testamento onde ela já aparece. Judith seria uma judia viuva que seduz um oficial assirio, babilonio ou persa Holofernes. A “historia”era conhecida dos renascentistas (Donatello?) que esculpiram a cena e hoje está no Palacio Velho de Florença

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Sala_dei_gigli,_giuditta_e_oloferne_01.JPG

  27. Klaus do Iate 8 de janeiro de 2014 at 9:14 - Reply

    Tive oportunidade de vê-la. É magnifica.

  28. Klaus do Iate 8 de janeiro de 2014 at 9:25 - Reply

    No Egito antigo, a maior condecoraçao a um guerreiro era a mosca de ouro. Mosca??? Segundo o pensamento militar egipcio antigo, a mosca retrata o guerreiro ideal. Como a mosca faz com um leão, o guerreiro ideal chateia inimigos muito maiores, nunca é pega por eles e insiste até desaloja-los. Ah-hotep deve ter participado de combates e recebeu uma Mosca de Ouro.

    • Michel Goulart 8 de janeiro de 2014 at 11:30 - Reply

      Já dizia Raulzito: Eu sou a mosca que pousou na sua sopa…

  29. Vinicius 8 de janeiro de 2014 at 20:37 - Reply

    Michela, essa e a mais incrível de suas portagens, mil parabenizacoes. Porém, você cometeu um errinho: a foto que você postou para Judite, e a da Judite bíblica, não da guerreira etíope. Nao poste meu comentário, mas se puder arrume o engano, por favor.

  30. paulo cesar 13 de março de 2014 at 9:08 - Reply

    e Dandara? dos Palmares?

  31. Klaus do Iate 19 de março de 2014 at 10:27 - Reply

    Ricard, nenhuma da lista inicial é kushita/núbia, mas comentei extensamente sobre as rainhas-guerreiras kushitas.

  32. Klaus do Iate 19 de março de 2014 at 10:32 - Reply

    Paulo, a Dandara precisa de confirmaçao d esua existência histórica. Mas a rainha Nzinga de Angola (hoje mais no Congo-Libreville que na atual Angola) realmente existiu e expulsou portugueses no seculo XVII.http://pt.wikipedia.org/wiki/Ana_de_Sousa

  33. Klaus do Iate 19 de março de 2014 at 10:40 - Reply

    Outra boa para lista:
    Tomiris, rainha dos citas massagetas. A mulher parou o avanço persa aquemênida para a estepe eurasiática e marcou o limite norte do avanço persa com a cabeça de Ciro! Outros citas mataram Zaratustra. E Dario, quando invadiu a Europa tomou sacode dos citas na Ucrânia. Foi salvo por um grego de sofrer o destino do Ciro! Os citas davam trabalho já antes, pois expulsaram os cimérios (não do gibi) da estepe e estes foram fazer fusarca no imperio assirio.Os citas deram trabalho a Alex Magno. Um auxiliar seu foi derrotado (será que nao foi o proprio?) nas margens do Iaxartes. Ótimos arqueiros montados, as vezes liderados por rainhas, e tendo o costume de fechar aliança com lideres estrangeiros permitindo que eles engravidassem suas jovens (mas retendo as grávidas com eles), tudo isto gerou a hipótese de que as Amazonas míticas fossem citas, ou pelo menos que os citas lembravam aos greco-macedônios as Amazonas citadas no mito de Mirina ( no mito ela é do Magreb). Além disso note a semelhança dos nomes Tomiris e Tamara e a localizaçao dos seus reinos transcaucasianos.

  34. Klaus do Iate 19 de março de 2014 at 10:51 - Reply

    Quando surgiram os hunos no horizonte romano, romanos afirmavam que os hunos eram os filhos de demônios com xamãs-mulheres citas.

    • Michel Goulart 19 de março de 2014 at 14:47 - Reply

      E que colocavam ferro quente no rosto das suas crianças para não nascer barba.

  35. Socorro Feitoza 2 de dezembro de 2014 at 14:13 - Reply

    Não conhecia esta página, que me foi recomendada por uma aluna. Me apaixonei. Parabéns!

  36. Vilma Pereira 10 de maio de 2017 at 1:02 - Reply

    Alguem sabe mais detalhes sobre a rainha Amazonas que derrotou o Imperio Islamico, a.C. Estou escrevendo um livro e gostarias de ter mais detalhes sobre essa guerra, em que data ocorreu?

  37. Giovanna Magahlães 21 de maio de 2017 at 17:14 - Reply

    UHUUUUUUULLLLLLL,QUEM FOI QUE DISSE QUE A MULHER É O SEXO FRÁGIL E QUE PRECISA DA PROTEÇÃO DE UM HOMEM??? NÓS MULHERES SOMO TÃO FORTES QUANTO HOMENS!!!!!!!! #FemininPower ᕦ(ò_óˇ)ᕤ

Leave A Comment

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.