Home/Curiosidades/4 revoltas do período regencial brasileiro

4 revoltas do período regencial brasileiro

junho 26th, 2012|Curiosidades|53 Comments


O período regencial foi um período muito turbulento na história do Brasil. A abdicação de D. Pedro I, associado a insatisfações políticas e econômicas que atravessavam o país, fizeram estourar várias revoltas, a maioria com tendências separatistas, que colocaram em risco a unidade nacional. Neste sentido, conheça 4 revoltas do período regencial brasileiro. A maior parte das revoltas foram sufocadas pelas forças do governo, com exceção da Revolução Farroupilha, que terminou mediante negociação.

Para entender melhor o contexto em que ocorreu estas revoltas, sugerimos a leitura do Resumo: Período Regencial. Através deste resumo, você vai conhecer a situação do povo na década de 1830, as mudanças econômicas e os grupos políticos que disputavam o poder.

Cabanagem

Revolta da Cabanagem
A Cabanagem ocorreu na província do Pará, de 1835 a 1840. Seu nome deriva das cabanas construídas às margens dos rios, onde vivia a maior parte da população. Os principais líderes foram Félix Malcher, Francisco Vinagre e Eduardo Angelim. As causas principais foram a revolta dos liberais contra o presidente nomeado pelo governo regencial e a situação de miséria dos cabanos. A revolta resultou no domínio sobre Belém durante um ano e lutas no interior do Pará. Além disso, acarretou a morte de 40% da população da província.

Sabinada

Revolta da Sabinada

A Sabinada ocorreu na província da Bahia, de 1837 a 1838. Seu nome se originou do líder do movimento, o médico Francisco Sabino. A causa principal foi a insatisfação com as autoridades impostas pelos regentes na província. A revolta resultou na organização da República Bahiense.

Balaiada

Revolta da Balaiada
A Balaiada ocorreu na província do Maranhão, de 1838 a 1841. Seu nome deriva do fato que parte dos revoltosos eram fabricantes de balaios. Os principais líderes foram Manuel “Balaio”, Raimundo Gomes e Cosme. As causas principais foram a insatisfação com o presidente nomeado pelos regentes e as precárias condições de vida dos vaqueiros, fazedores de balaios e escravos. A revolta resultou na conquista da vila de Caxias e na anistia dos revoltosos.

Revolução Farroupilha

Revolução Farroupilha
A Revolução Farroupilha ocorreu na província do Rio Grande do Sul, de 1835 a 1845. Seu nome se originou dos precários trajes dos revoltosos. Seus principais líderes foram Bento Gonçalves e Giuseppe Garibaldi. As causas principais foram os altos impostos sobre produtos gaúchos e exigência por mudanças políticas. A revolta resultou na criação da República Rio-Grandense, no Rio Grande do Sul e na República Juliana, em Santa Catarina. Os revoltosos foram anistiados.

53 Comments

  1. Klaus do iate 26 de junho de 2012 at 15:35 - Reply

    Destas todas a mais perigosa ameaça a integridade territorial do recemnascido estado brasileiro foi a Farroupilha. A coisa durou uns 10 anos, nao foi acalmada pelo golpe da maioridade e os chefes farrapos nao foram derrotados militarmente. Caxias, o general que vinha com estrela ascendente desde seu papel contra os balaios chegou a um acordo. Os lanceiros negros, uma unidade de elite dos farrapos porem pagaram o pa(c)to. Disgusting

    • Michel Goulart 26 de junho de 2012 at 17:33 - Reply

      Sim, mas até hoje tem um movimento aqui no sul a favor da secessão do sul do restante do país. O novo país se chamaria – de acordo com este projeto – República dos Pampas e a sede do governo seria Porto Alegre. Nada mais nada menos do que a gauchada querendo mandar no (novo) país, como já tentou outras vezes. Mais do mesmo.

  2. Klaus do iate 26 de junho de 2012 at 15:39 - Reply

    Giusepe Garibaldi lutou pela unficaçao italiana, mas aqui lutou pela desunficaçao. Para mim ,nao passou de um arrivista encrenqueiro como lord Byron, coitada da Anita. Como diz a cantiga de roda era pessimo cavaleiro,mas tinha habilidade como pirata

  3. Klaus do iate 26 de junho de 2012 at 15:43 - Reply

    Na anistia dos lideres balaios ve-se de novo a face escravocrata do imperio: somente o vaqueiro negro Cosme se deu mal.

  4. Klaus do iate 2 de julho de 2012 at 19:32 - Reply

    Este sepratismo do sul é complicado mesmo. Parece até que os motivos nao importam muito, ja houve de cunho caudilhista, federalista, cosntitucionalista e neonazista. Tenho cereteza que o sul se separando do resto do Brasil seria ruim para o sul e para o resto do BraSIL. O Sul nao deve se sentir preterido, por muitas vezes foi ele quem deu as cartas na Uniao! O GV que mal ou bem foi um dos 3 maiores estadistas deste pais era gaucho, alguns presidentes da ditadura militar tb eram. Luis Carlos Prestes era gaucho?

    • Michel Goulart 2 de julho de 2012 at 20:35 - Reply

      Luís Carlos Prestes é de Porto Alegre… e quase dominou o Brasil. Mas existe sim uma sensação de abandono do sul em relação ao resto do país, em especial por causa do sistema federativo de repasse de verbas, que prejudica e muito a nossa região.

  5. Klaus do iate 3 de julho de 2012 at 10:07 - Reply

    Explica melhor. Eu imaginava que para fins de redistribuicao de verba publica federal as regioes norte-e nordeste fossem ralos de dinheiro (investimentos no local maiores que arrecadação), que sudeste pagassem a conta e que sule centrooeste se pagassem sozinhos (arrecadação=investimentos)

    • Michel Goulart 3 de julho de 2012 at 10:16 - Reply

      Na verdade, mesmo havendo o separatismo, o meu estado – Santa Catarina – sairia prejudicado pela fraca representação política dos nossos parlamentares. Seríamos um estado figurante na política gaúcha.

  6. Klaus do iate 3 de julho de 2012 at 10:14 - Reply

    O sul era encarado como fornteira d efim de mundo como a Britania no imperio romano? Acho que nao, Portugal nunca desistiu de possuir pelo menos uma das margens da foz do Prata. Durante o Brasil imperial, a infraestrutura de comunicacao e transporte era tao ruim no interior que era mais pratico acessar o proprio interior pelo Altantico e subindo ou descendo a bacia do Prata o que manteve o interesse do governo central na regiao. O sul deve se sentir largado, com fundamento, depois disso?

    • Michel Goulart 3 de julho de 2012 at 10:26 - Reply

      Eu acho que sim, dada a política centralizadora do império brasileiro. Tenho que analisar até que ponto, no período republicano, o medo do nazi-fascismo influenciou em um certo preconceito nestas regiões de grande colonização ítalo-germânica.

  7. Klaus do iate 4 de julho de 2012 at 12:12 - Reply

    Nao sei se o resto do pais despreza ou inveja o sul, mas uma coisa é certa, os governos centrais de Imperio para cá nao deixariam o separatismo ocorrer numa boa. Seria uma enorme perda. A Cisplatina foi disputada em guerra e a coisa só foi terminada por uma iontervencao da superpotencia da epoca. Hoje este sentimento sepratista do Sul corresponde a maioria da pop local, Michel?

    • Michel Goulart 4 de julho de 2012 at 15:10 - Reply

      O sentimento é mais comum no RS, tanto que, há poucos anos atrás, quem descia de SP ao Paraná via na rodovia uma placa dizendo: “Bem vindos à República dos Pampas”. É mole?

  8. Pedro Faraj 27 de fevereiro de 2013 at 15:07 - Reply

    Vlw otima pesquisa,ajudo muito no Trabalho Escolar

  9. Caroline S. Sá Telles 19 de maio de 2013 at 14:27 - Reply

    o brasil tinha que se revoltar mesmo.esta muito certo.batalhadores lutam por seus direitos de cidadaos

  10. GiGaSlá 20 de maio de 2013 at 11:58 - Reply

    vc fez um trabalho meu

  11. Mariellen 17 de junho de 2013 at 13:21 - Reply

    olha eu estou fazendo um trabalho sobre isso mas quero saber msm o Principal motivo pq li isso tudo e n achei e como acabou tbm li e n achei e é da cabanagem como acabou isso tudo acabou na,Província n achei certo precurei em outros sites tbm n achei como acabou agr me diz como acabou ?

  12. Mariellen 17 de junho de 2013 at 13:22 - Reply

    e tbm qual foi o,Principal motivo na cabanagem ?

  13. eduarda alves 11 de setembro de 2013 at 0:03 - Reply

    Nao sei se o resto do pais despreza ou inveja o sul, mas uma coisa é certa, os governos centrais de Imperio para cá nao deixariam o separatismo ocorrer numa boa. Seria uma enorme perda. A Cisplatina foi disputada em guerra e a coisa só foi terminada por uma iontervencao da superpotencia da epoca. Hoje este sentimento sepratista do Sul corresponde a maioria da pop local,eduarda,

  14. kayronne goulart 24 de setembro de 2013 at 16:09 - Reply

    amei botei no meu trabalho do colégio obrigado ricardo goulart mesmo sobre nome rsrs vlw

  15. kayronne goulart 24 de setembro de 2013 at 16:11 - Reply

    amei botei no meu trabalho do colégio obrigado michael goulart mesmo sobre nome rsrs vlw

  16. Amanda 24 de setembro de 2013 at 17:49 - Reply

    no período regencial ouve mais alguma revolta ???

  17. Paola 18 de novembro de 2013 at 21:04 - Reply

    mais aqui não mostra que classes sociais participaram…

  18. Natalia 24 de fevereiro de 2014 at 20:19 - Reply

    Gostei!! muito bom

  19. KAUAN 14 de março de 2014 at 15:22 - Reply

    nao tem revoltas regenciais do PARA

  20. laurinha 8 de abril de 2014 at 16:43 - Reply

    faltou Sao Paulo Liberal1842

  21. luana 3 de junho de 2014 at 8:57 - Reply

    isso me ajudou muito obrigado

  22. Dafne 13 de julho de 2014 at 18:12 - Reply

    gosteii de mais!!!!!

  23. gh 19 de agosto de 2014 at 17:41 - Reply

    iso é metira

  24. Jonas 2 de setembro de 2014 at 10:26 - Reply

    Professor,
    senti falta da Revolta dos Malês (BA), ela não deveria estar listada também?

  25. Eduarda Fernandes 9 de setembro de 2014 at 20:17 - Reply

    Hmmm…interessante, agora mesmo terminei meu trabalho de História sobre as Revoltas do Período Regencial, mas como tem que saber de todos eles pra falar um pouco lá na frente sobre tudo, vim ler sobre as Revoltas e encontrei aqui! Legal, fácil de decorar, agora só tenho que esperar o dia pra ver se vou conseguir falar lá na frente, pois sempre morro de medo!! 😀

  26. hahohi 23 de outubro de 2014 at 9:12 - Reply

    valeu

  27. Alice Vitória da Silva Lima 8 de novembro de 2014 at 17:51 - Reply

    Hmmm…interessante, agora mesmo terminei meu trabalho de História sobre as Revoltas do Período Regencial, mas como tem que saber de todos eles pra falar um pouco lá na frente sobre tudo, vim ler sobre as Revoltas e encontrei aqui! Legal, fácil de decorar, agora só tenho que esperar o dia pra ver se vou conseguir falar lá na frente, pois sempre morro de medo!! 😀 🙂 :O 😉

  28. Gustavo 31 de março de 2015 at 10:39 - Reply

    E bastante interessante amas legal foi a Forrou pilha
    acoisa durou uns 10 anos, nao foi acalmada pelo golpe da maioridade e os chefes farrapos nao foram derrotados militarmente

  29. andré 6 de abril de 2015 at 18:53 - Reply

    onde ocorreu a revolta regencial

  30. andré 6 de abril de 2015 at 18:54 - Reply

    responda em portugues

  31. andré 6 de abril de 2015 at 18:54 - Reply

    porfavor
    responda em portugues

  32. andré 6 de abril de 2015 at 19:14 - Reply

    diz eu não achei

  33. Jefferson Gomes Porto 6 de julho de 2015 at 15:59 - Reply

    Muito bom, me ajudou na cola da prova de historia

  34. Lídia luana 1 de setembro de 2016 at 17:39 - Reply

    Garibalde é da história “Garibalde e Manuela uma história de amor” é linda essa história

  35. Gabriele Gomes 15 de setembro de 2016 at 0:35 - Reply

    Matéria resumida é sempre bom.
    Me ajudou muito no meu trabalho de História.
    Parabéns por trazer estudos através do site.Obrigado!!!

  36. kamille 8 de novembro de 2016 at 13:33 - Reply

    Legal interessante

  37. emanuel 15 de novembro de 2016 at 15:13 - Reply

    porque a cabanagen e os males foram rebelioes populares

  38. joice 31 de julho de 2017 at 19:24 - Reply

    quem era considerado cidadão na sociedade do primeiro reinado do brasil

  39. analise 31 de outubro de 2017 at 18:50 - Reply

    faltou a revolta dos mâles

  40. Kauã 27 de novembro de 2017 at 18:22 - Reply

    Em que regência ocorreu as duas maiores rebeliões regenciais? Quais foram essas
    revoltas e quanto tempo duraram?

Leave A Comment

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.