Livro: O Povo Brasileiro, de Darcy Ribeiro

Home » Livros » Livro: O Povo Brasileiro, de Darcy Ribeiro

O livro O Povo Brasileiro, de Darcy Ribeiro, trata das matrizes culturais e dos mecanismos de formação étnica e cultural do povo brasileiro e apresenta as formas através das quais o Brasil moldou as zonas de habitação humana no território nacional e sua influência na miscigenação dos três povos formadores da nação.

Livro: O Povo Brasileiro, de Darcy Ribeiro

>> Compre na Livraria Saraiva (R$ 63,50)

>> Compre na Loja Submarino (R$ 63,50)

O livro foi lançado em 1995 e conta com 470 páginas. Ao ler você vai conferir

  • As tentativas do autor em responder a pergunta que intriga a brasileiros e estrangeiros: Por que o Brasil não deu certo?
  • A tentativa de tornar compreensível, por meio de uma explanação histórico-antropológica, como os brasileiros se vieram fazendo a si mesmos para serem o que hoje somos.
  • A descrição de um nova Roma, lavada em sangue negro e sangue índio, destinada a criar uma esplêndida civilização, mestiça e tropical, mais alegre, porque mais sofrida.
  • Nas palavras do autor, “todos nós, brasileiros, somos carne da carne daqueles negros e índios supliciados. Todos nós brasileiros somos, por igual, a mão possessa que os supliciou”.
  • Na concepção do autor, mais do que uma simples etnia, o Brasil é um povo nação, assentado num território próprio para nele viver seu destino.
By | 2014-01-22T09:07:04+00:00 26 de Fevereiro de 2013|Categories: Livros|Tags: , , , |7 Comments

About the Author:

Professor, historiador e blogueiro, já trabalhei em algumas das maiores escolas públicas e particulares de Santa Catarina. Comecei a lecionar em 2001, sempre preocupado com um ensino caracterizado pela criatividade e inserção de novas tecnologias e metodologias variadas em sala de aula.

7 Comments

  1. Mia S. 27 de Fevereiro de 2013 at 0:22

    O Darcy é incrível, fiquei com muita vontade de ler o livro… O que me entristece é o valor do livros aqui no Brasil! Até desanima o leitor… ;/

  2. Michel Goulart 27 de Fevereiro de 2013 at 13:36

    Dê uma conferida que estão fazendo uma promoção deste livro na Saraiva.

  3. Klaus do Iate 5 de Março de 2013 at 14:00

    Etnogênese de qualquer povo é assunto maneiro. Do nosso entao, por sermos diretamente envolvidos é fundamental. Nunca este livro, mas gostaria muito, depois de acabar com os 11 que estou lendo quase ao mesmo tempo. Outros livros que li sobre o assunto me decepcionam. Ou porque caem em patriotada. Ou porque caem naquele chavao de distinguir as contribuições de cada nação de imigrantes europeus, mas colocam no mesmo balaio os nativos e africanos sob os rotulos “indio”, “negro”. Tudo bem que no caso do escravizado as nações foram reembaralhadas como num jogo de cartas, onde os novos maços já nao correspondiam mais aos maços originais e que os tupis foram os nativos que mais interagiram conosco quando a noção de “Brasil” engatinhava. Outro problema é a escorregada de se apostar no modelo de Estado-nação como forma ideal ou padrão e destacar uma historia de uma entidade que ainda nem existia desde Palolitico. Outro problema ´de alguns textos é nao dizer claramente que primeiro surgiu um Estado brasileiro e depois uma nação brasileira que na verdade ainda está se transformando.

  4. Klaus do Iate 19 de Abril de 2013 at 2:59

    Aliás, estava pensando. O fato que no Brasil e vários outros Estados-naçoes, tenha surgido primeiro o Estado brasileiro e depois a nação brasileira, explica porque a cidadania não é muito respeitada. Na Europa deu-se o inverso várias vezes, primeiro surgindo a nação e depois o Estado (Grecia, Italia, Alemanha, França…). No Brasil, os indios não sentiam brasileiros e na verdade não se viam com nada em comum mesmo entre si, os africanos importados também não, o que dirá deles com portugueses. Mesmo os luso-brasileiros, mesmo nascidos aqui se sentiam portugueses. Já o Estado impunha de cima para baixo todos os deveres, era autoritário mesmo com a população branca livre. e todos os direitos eram dados pelo governo e, raramente, mesmo esta população, conseguia ativamente arrancar concessoes e benefícios. O regime monarquico também não ajudava muito. Já que os governantes não subiam ao poder graças ao povo, não se sentiam gratos ou mesmo cobrados por ele.

  5. Klaus do Iate 19 de Abril de 2013 at 3:08

    O surgimento do Estado brasileiro tem data de aniversário bem definida: o 7 de setembro. E o início da nação brasileira quando é?? Certamente surge em alguma data depois disso e hoje certamente já existe.
    Tudo bem que os movimentos das Conjurações Mineira e Baiana reflitam que existia um descontentamento a unir os conjurados, mas não havia sentimento nacional no seio deles, talvez um sentimento regionalista no máximo.Uma vez satisfeitos os interesses locais,eles partiriam para a conquista de toda América Portuguesa?

  6. Tamara 20 de Maio de 2013 at 14:10

    Klaus do Late, tem uma versão na livraria Cultura que custa R$29,50, eu tenho, vale a pena!

    http://www.livrariacultura.com.br/Produto/Busca?Buscar=o%20povo%20brasileiro%20darcy%20ribeiro&Filtro=19,1

    Ou vc pode ver no site da Estante Virtual que tbm pode sair mais em conta

  7. Ana Carla 30 de setembro de 2013 at 20:49

    como sao apresentadas e quais sao as manifestacoes das questoes sociais presente na matriz lusinata?

Leave A Comment