Home/Livros/Livro: Um Rabisco de Deus

Livro: Um Rabisco de Deus

setembro 26th, 2013|Livros|11 Comments


O livro Um Rabisco de Deus, de Tom Hickman, trata da história do pênis proveniente da mitologia, das culturas universais, da religião, da literatura, da ciência, da medicina e da vida contemporânea, com seus altos e baixos – o macabro e o apavorante, o engraçado e o triste – tudo narrado com uma inteligência mordaz.

Livro Um Rabisco de Deus

>> Compre na Livraria Saraiva (R$ 39,90)

>> Compre na Loja Submarino (R$ 29,90)

O livro foi lançado em 2013 e conta com 224 páginas. Ao ler, você vai conferir

  • Possuir um pênis, segundo Sófocles, é estar “acorrentado a um louco”. O livro examina em profundidade a relação esquizofrênica entre o homem e esse louco – e a relação conjunta desse estranho para com o sexo feminino.
  • Através da história o homem reverenciou o pênis como o seu “mais precioso ornamento”. Ainda assim, de forma ambivalente, o pênis sempre foi fonte das suas mais profundas neuroses.
  • Os motivos pelos quais este apêndice carnal conseguiu conquistar um lugar elevado na civilização ocidental.
  • Os humanos na pré-história podiam ver num inocente crepúsculo a imagem de um órgão masculino – o sol – se pondo dentro de um corpo feminino – representado pelo horizonte.
  • As antigas deidades fálicas, de origem grega e latina, tiveram uma sobrevida entre os cristãos até pelo menos o século VIII. A forma engenhosa encontrada pela Igreja para ir acabando com isso foi transformar divindades pagãs em santos.
  • Até o século XIX, milhares de chineses faziam de tudo para se tornar eunucos. Entregavam seu “tesouro precioso” em troca de uma vida confortável de serviçal na Cidade Proibida.
  • Os generais romanos promoviam subordinados com base no tamanho dos seus dotes.

11 Comments

  1. Klaus do Iate 27 de setembro de 2013 at 11:58 - Reply

    MIchel será que ele aborda o curioso nascimento de Afrodite e suas representações mais antiga no crecente fertil?
    Quanto a importancia politica dos eunucos , nao foram só chineses, mas lideres islâmicos e romanos viram nestes funcionarios competentissimos, peças fundamentais na sua política. Tais lideres eram um tanto ingênuos porque apesar de eunucos naõ serem ameaças de formar novas dinastias, eles mesmos eram também humanos sedentos de poder

  2. Klaus do Iate 27 de setembro de 2013 at 11:59 - Reply

    Por que rabisco de Deus? Está mais para lápis de Deus

  3. Klaus do Iate 28 de setembro de 2013 at 9:52 - Reply

    hahaha
    Será que ele conta a evoluçao tortuosa (com trocadilho) do pênis? Os peixes cartilaginosos (tubarão, raia etc.) tinham dois pênis, os clasperes. Nos peixes osseos do qual descendemos , estes orgaos evoluiram para duas nadadeiras pelvicas. Destas nadadeiras pelvicas, evoluiram os membros inferiores dos anfibios, repteis e nós mamiferos. Os penis destes animais se originaram de outras estruturas da linha mediana do corpo. Os primeiros penis de mamifero eram bifurcados como bodoques, atiradeiras, estilingues. Nosso penis de primata, de duplo, só tem os corpos cavernosos que dão dureza ao orgao quando “pronto para operar”. O comprimento é dado por uma estrutura impar mediana o corpo esponjoso. O clitoris tem formaçao parecida, só que corpo esponjoso dele é bem menor, Os corpos cavernosos clitorianos são grandes ,mas profundamente embutidos e bem afastados entre si. Lápis, clitóris e pênis também não flexionam no plural!

  4. Klaus do Iate 28 de setembro de 2013 at 9:53 - Reply

    O nome original do livro é este mesmo?

  5. Klaus do Iate 28 de setembro de 2013 at 9:56 - Reply

    Ainda acho o nascimento de Afrodite/Astarte/Kubaba/Ishtar/Aset é um mito com significado oculto que ainda não traduzi direito.

  6. Klaus do Iate 1 de outubro de 2013 at 11:24 - Reply

    Asherah estava associada com a imagem antiquissima (suméria) da Arvore da Vida. Ha inclusive uma escultura linda de um carneiro sobre esta árvore em ouro e lapis-lazuli (se nao me engano no Museu Britanico? Ou no metropolitan de NY?). A temporada que a elite judaica passou em Babilonia tomou varios mitos locais como seus. O Jardim do Eden apresentava DUAS arvores, segundo nossa Biblia. O casal “primordial” atacou o fruto apenas de uma delas. A cobra (outro simbolo falico) estava muito pertinho da Arvore da consciencia do bem e do mal. Não é dito, mas talvez Cobra também estivesse perto da Arvore da Vida. Cobras, arvores pontudas e meteoros faliformes associados a imagem desta deusa é coisa bem interessante. Uma figura feminina inteira associada apenas ao “rabisco” de Deus. E nao a um deus inteiramente antropomorfico… Estranho, nao?

  7. Karine Ferreira 2 de outubro de 2013 at 12:03 - Reply

    Que interessante! Comprarei!

  8. CRISTIAN 23 de outubro de 2013 at 21:19 - Reply

    ACHO O LIVTO BASTANTE INTERESSANTE UM ABRAÇO CRSITIAN

Leave A Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.